Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 11 minutos 49 segundos atrás

Nível de combustível do aeroporto de Brasília chega a estado crítico

dom, 27/05/2018 - 16:48

O nível de combustível do aeroporto de Brasília chegou novamente ao estado crítico. As reservas do caíram a 3,3% e estão perto de se esgotar novamente, segundo a assessoria da Inframérica, que administra o terminal.

As reservas diminuíram novamente porque não chegaram novos caminhões de abastecimento neste domingo (27). Ontem (26), após a chegada de dez caminhões-tanque, o nível das reservas de combustível chegou a 12,5%.

Da meia-noite até as 15h, o aeroporto de Brasília operou 69 pousos, 57 decolagens e apresentou 11 atrasos superiores a 30 minutos. Não há voos atrasados no momento. Novas informações sobre o abastecimento do terminal devem sair às 17h.

Em entrevista coletiva concedida neste domingo, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, disse que viaturas da Força Nacional estão garantindo a chegada de álcool anidro, para a mistura de gasolina e do óleo diesel, e querosene de aviação à capital federal.

Infraero

Dos aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), nove ainda estavam com falta de combustível até as 15h20. São eles: São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Ilhéus (BA), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Maceió (AL), Aracaju (SE), Joinville (SC) e João Pessoa (PB).

A Infraero também está em contato com órgãos públicos para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa.

Eunício convoca sessão extraordinária para votar projeto sobre fretes

dom, 27/05/2018 - 16:16

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), convocou para amanhã (28), às 16h, sessão extraordinária para votar requerimento de urgência ao projeto que regulamenta os preços mínimos de fretes rodoviários.

A proposta cria uma política de preços mínimos para o transporte rodoviário de cargas, uma das principais reivindicações dos caminhoneiros. Antes, os senadores terão de analisar seis medidas provisórias que trancam a pauta.

Para Eunício Oliveira, votar o projeto será uma das contribuições para acabar com a paralisação de caminhoneiros - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

De acordo com Eunício Oliveira, votar a regulação dos preços do frete será uma das contribuições para acabar com a paralisação dos caminhoneiros, que chegou ao sétimo dia neste domingo (28). O projeto aguarda análise da Comissão de Assuntos Econômicos, mas poderá ser votado em regime de urgência diretamente no plenário.

Já aprovado na Câmara dos Deputados, o projeto tem por objetivo criar uma política de preços mínimos e estabelecer “condições razoáveis” para realização de fretes em todo o país, além de adequar a redistribuição do serviço prestado.

A proposta estabelece que o preço será fixado conforme tabela elaborada semestralmente por órgão competente, com valores por quilômetro rodado por eixo carregado e conforme a carga. Os parâmetros devem ser fixados sempre nos meses de janeiro e julho de cada ano.

O projeto prevê que a definição dos preços deve contar com a participação dos sindicatos de empresas de transportes, de transportadores autônomos de caragos e de representantes das cooperativas de transporte de cargas. A oscilação do valor do óleo diesel e dos pedágios deverá ser levada em conta na composição dos custos do frete.

Na sexta-feira (25), Eunício informou que o Senado está de plantão e poderia convocar a qualquer momento uma sessão extraordinária para votar o projeto dos fretes. Segundo o senador, não cabe ao Congresso, mas sim ao Executivo interferir na política de preços da Petrobrás.

Ainda tramita no Senado o projeto de lei que zera as alíquotas de PIS/Cofins sobre o diesel, aprovado pelos deputados na semana passada. Devido a um erro de cálculo durante a votação na Câmara, a medida, no entanto, deverá sofrer alterações no Senado, ou quando chegar à Presidência para sanção.

Com informações da Agência Senado

Equipe econômica vai ao Palácio após novos pleitos dos caminhoneiros

dom, 27/05/2018 - 14:36

O presidente Michel Temer esteve reunido na manhã de hoje (27), no Palácio do Planalto, com ministros de Estado para avaliar o andamento das negociações para o fim das paralisações dos caminhoneiros. A categoria fez ontem novos pedidos: a redução de 10% do preço do diesel diretamente na bomba, válida por dois meses. A equipe econômica foi chamada ao Palácio: participaram da reunião os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Durante a semana, quando os caminhoneiros fizeram as primeiras exigências de mudanças nos preços da Petrobras, a área econômica teve de ser consultada para fazer os cálculos do impacto das reivindicações nas contas públicas. A paralisação entra hoje no sétimo dia e continua causando desabastecimento de combustíveis e alimentos em quase todo o país.

A reunião do gabinete de crise que monitora os protestos começou, por volta das 9h, sem a presença de Temer. Depois, o presidente reuniu em seu gabinete alguns ministros para continuar as conversas, entre eles Eliseu Padilha, da Casa Civil; Torquato Jardim, da Justiça; Carlos Marun, da Secretaria de Governo; e Sergio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional.

Está prevista uma segunda reunião às 17h e uma manifestação do governo sobre o avanço das negociações e o panorama geral no país. Estiveram ainda no Palácio do Planalto os ministros de Minas e Energia, Moreira Franco; da Segurança Pública, Raul Jungmann; e a advogada-Geral da União, Grace Mendonça. O secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, também participou da reunião.

Governo do DF diz que há combustível garantido até terça-feira

dom, 27/05/2018 - 14:19

O governador do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg, disse que o abastecimento de combustível está garantido na capital federal até terça-feira (29). Segundo ele, chegaram ao DF mais de 200 caminhões-tanque carregados de 4 milhões de litros de combustível. Os veículos foram escoltados por viaturas da Polícia Militar. Rollemberg afirmou que esse carregamento garante o abastecimento da frota de ônibus e também dos postos que atendem veículos particulares. A capital começou a ser reabastecida na tarde ontem (26). Apesar disso, na manhã de hoje, longas filas eram vistas nos postos do Plano Piloto, na região central. Muitos, entretanto, continuavam fechados. 

A Polícia Militar tem monitorado a situação das rodovias do DF e, segundo o governador, nenhuma das estradas locais está bloqueada.

Rollemberg anunciou hoje a suspensão das aulas na rede pública nesta segunda-feira (28), mas recomendou o funcionamento das creches conveniadas. Na terça-feira (29), as aulas deverão ser retomadas normalmente.

Os postos de saúde permanecerão fechados nesta segunda-feira, devendo normalizar os atendimentos a partir de terça. Nos hospitais, a prioridade é para o atendimento de urgências e emergências. Cirurgias eletivas e outros procedimentos deverão ser remarcados. Ainda segundo o governador, hospitais têm oxigênio para mais uma semana.

De acordo com o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão funcionando normalmente.

Rollemberg acrescentou que também chegaram ao DF carregamentos de sulfato de alumínio, usado para o tratamento de esgoto, de rações para aves e animais confinados e sete caminhões com gás de cozinha.

Ainda segundo o governador, viaturas da Força Nacional estão garantindo a chegada de álcool anidro, para a mistura de gasolina e do óleo diesel, e querosene de aviação à capital federal. Segundo a Inframerica, o Aeroporto de Brasília só tem querosene suficiente até as 16h de hoje

 

Polícia do Exército reforça segurança no entorno de refinaria no Rio

dom, 27/05/2018 - 13:50

Um grupamento de militares da Polícia do Exército (PE) chegou neste domingo (27), às 13h, à região no entorno da Refinaria Duque de Caxias (Reduc). Na área, estão localizadas as principais distribuidoras de combustíveis, como BR e Raizen (Shell).

Dez camionetes da PE e até uma ambulância militar passaram entre as centenas de manifestantes, sem despertar temor entre os presentes, que aplaudiram os militares e cantaram o Hino Nacional.

Porém, outros manifestantes disseram que só vão permitir a saída dos caminhões-tanque se for para órgãos públicos. Mais cedo, houve um princípio de tumulto, quando um caminhoneiros tentou entrar na distribuidora para abastecer o caminhão-tanque e teve uma de suas mangueiras cortadas.

Porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), o coronel Carlos Cinelli disse que, por questões de segurança, o destino do combustível não pode ser revelado. Informou, no entanto, que uma das prioridades é abastecer o setor de saúde, principalmente hospitais.

"Por solicitação da Secretaria de Segurança, em ação integrada e coordenada com a PRF e PM, tropas de Polícia do Exército estão em deslocamento para a Reduc, a fim de garantir o fluxo logístico de combustível", informou o coronel Cinelli pouco antes do início da operação.

Temperaturas mais baixas abrem caminho para doenças respiratórias

dom, 27/05/2018 - 13:45

A formação de uma nova frente fria sobre o Sul do país fez com que as temperaturas despencassem ao longo da semana em diversos estados, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A massa de ar frio abriu caminho para a formação de geada na Serra da Mantiqueira e no Vale do Ribeira e é tida como sinal de alerta para as temidas doenças respiratórias.

A pneumologista e diretora da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, Fernanda Miranda, explicou que, para quem já tem algum tipo de condição respiratória como asma ou enfisema, o clima mais frio pode provocar uma piora dos sintomas. A queda nas temperaturas também contribui para uma maior circulação de viroses e doenças infecciosas, já que as pessoas tendem a permanecer em locais fechados.

“A aglomeração facilita a transmissão e as partículas ficam suspensas por mais tempo no período seco, facilitando a inalação de vírus e bactérias”, explicou. “Durante esse período, é importante que as pessoas bebam muito liquido, usem hidratante corporal e soro nasal para manter as narinas bem hidratadas, além de evitar banhos quentes, que podem desidratar a pele. E, claro, tomar a vacina contra a gripe”, completou.

Baixa cobertura

Dados do Ministério da Saúde revelam que 21 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo ainda precisam ser vacinadas contra a gripe. O grupo com menor índice de vacinação é de crianças entre 6 meses a menores de 5 anos – até a última sexta-feira (25), a cobertura era de apenas 46%.

“Esse é um sinal de alerta. As crianças que podem ser vacinadas precisam receber a dose. As doenças respiratórias costumam se manifestar de forma mais grave nessa população. A orientação é procurar a vacina o quanto antes. Estamos no início do período de inverno e as infecções ainda vão aumentar se não houver vacinação”, explicou Fernanda.

O público com maior cobertura, até o momento, é de puérperas, com 74%, seguido pelos idosos (71%), trabalhadores da saúde (67%) e professores (67%). Entre as gestantes, a cobertura de vacinação está em 51%.

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem ser imunizadas. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão registrados para receber a dose.

Aeroporto de Brasília tem combustível só até 16h deste domingo

dom, 27/05/2018 - 13:33

No sétimo dia da greve dos caminhoneiros, a administração do aeroporto de Brasília informou que as reservas de combustível do terminal voltaram ao nível de alerta e só tem querosene suficiente até as 16h deste domingo (27). Ontem (26), o aeroporto da capital recebeu 10 caminhões de combustível, elevando as reservas a 12,5%.

Desde as 18h de ontem, o aeroporto não recebe caminhões de combustível. De meia-noite ao meio-dia de hoje, o terminal operou 43 pousos e 38 decolagens. Até o fim da manhã, três voos foram cancelados e haviam dois atrasados. Segundo a Inframérica, que administra o aeroporto da capital, o tempo dos atrasos registrados não passou de 30 minutos.

Os aeroportos administrados pela Infraero recebem pousos e decolagens, mas permanecem monitorando o abastecimento de querosene de aviação. Nos terminais desabastecidos, as aeronaves chegam e só podem decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

De acordo com a Infraero, até as 9h10 de hoje, continuavam sem combustível os aeroportos de Carajás (PA), São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG),Ilhéus (BA), Goiânia (GO), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Maceió (AL), Aracaju (SE), Joinville (SC) e João Pessoa (PB).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) ainda não concluiu os dados de hoje sobre desbloqueio nas rodovias - Vladimir Platonow / Agência Brasil

Estradas

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, até ontem à noite haviam 554 pontos de bloqueios nas estradas e 625 pontos já tinham sido desbloqueados desde o início das operações.

Dos 27 estados brasileiros, 23 ainda tinham pontos de bloqueio. Os números da manhã de hoje ainda estão sendo levantados e devem ser divulgados após a reunião de monitoramento que está ocorrendo no Palácio do Planalto.

Suspensão de aulas

A reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou que as aulas da graduação, pós-graduação e de educação básica estarão suspensas nesta segunda-feira (28). Por meio de nota oficial, a reitoria disse ainda que as atividades de atendimento à população e os serviços de manutenção da universidade funcionarão normalmente.

Amanhã, no fim da tarde, será feita uma avaliação pela reitoria da UFRJ sobre os desdobramentos da crise. Outras universidades adotaram o mesmo procedimento. A reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) emitiu comunicado orientando os professores a não realizarem atividades de avaliação e a desconsiderarem as ausências dos estudantes.

A paralisação dos caminhoneiros também ocasionou a falta de alimentos nos restaurantes universitários. Na Universidade Estadual de Londrina, por exemplo, a falta de mantimentos e materiais levou à suspensão do funcionamento do restaurante.

A universidade decidiu também suspender as atividades acadêmicas amanhã, quando a administração voltará a se reunir para avaliar os efeitos das medidas tomadas para desbloquear as estradas. Somente as atividades administrativas não serão suspensas.

O restaurante universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)  não serviu jantar na sexta-feira (25). A universidade pediu que a comunidade acadêmica acompanhe as atualizações no site da instituição a partir de amanhã.

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) liberou as chefias de departamentos para decidir como administrar as atividades acadêmicas e programar a reposição de aulas. Também orientou que as direções dos setores administrativos adotem ponto facultativo para os servidores. A reitoria informou que avalia permanentemente a situação e informará a qualquer momento sobre novas medidas em decorrência da paralisação dos caminhoneiros.

Comandante do Exército diz que ordem é “buscar solução sem conflitos”

dom, 27/05/2018 - 13:31

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, afirmou hoje (27) que o foco das ações em torno da greve dos caminhoneiros é “buscar a solução da crise sem conflitos”. Por meio de sua conta no Twitter, o general voltou a dizer que o bem-estar social deve prevalecer sobre “interesses pontuais” e “privilegiar o abastecimento de itens imprescindíveis”.

“Desejamos, o mais rápido possível, a solução desse desafio, a fim de mitigar as dificuldades crescentes da população. Reafirmamos como diretriz operacional o foco no bem-estar social e na perene negociação para evitar conflitos entre os atores diretamente envolvidos”, declarou.

Brasília - O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, do Senado - Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

Villas Boas disse ainda que, nesta crise, as Forças Armadas estão atuando em “perfeita integração” com os órgãos de segurança pública e as agências governamentais. Para o general, o trabalho conjunto é “uma clara demonstração de profissionalismo e sentimento de cumprimento do dever”.

O general participa de reunião na sala do Alto-Comando do Exército com comandantes das Forças Armadas e outros militares sob a coordenação do ministro da Defesa. O grupo participa de uma videoconferência com os responsáveis pelas operações que visam pôr fim à greve dos caminhoneiros.

Nova legislação europeia de dados traz impacto também para brasileiros

dom, 27/05/2018 - 12:42

Internautas brasileiros receberam esta semana notificações de diversos aplicativos com atualizações de políticas de privacidade. Elas foram motivadas pela entrada em vigor na sexta-feira (25) da nova lei de proteção de dados da União Europeia (GDPR, na sigla em inglês). A norma foi aprovada em 2016, atualizando uma diretiva de 1995 sobre o assunto, e também terá impactos no Brasil.

A GDPR se aplica a qualquer tratamento de dados de residentes na União Europeia, mesmo no caso de empresas sediadas em outros países (como a americana Apple ou a sul-coreana Samsung. Isso inclui as corporações que oferecem bens e serviços para a região ou monitoram comportamento de seus cidadãos.

A nova regulação pode afetar empresas brasileiras que oferecem serviços ou tratam dados de cidadãos que residem na União Europeia, incluindo contratadas por outras que participem de alguma etapa de processos de tratamento de informações de residentes no bloco.

A lei inclui a possibilidade de o usuário solicitar a retirada de suas informações de uma plataforma - Marcello Casal jr/Agência Brasil

Direitos e obrigações

Para o tratamento de dados é necessário obter consentimento do titular, em um pedido que deve ser apresentado de forma clara e acessível, garantindo também o direito ao usuário de revogá-lo. A norma estabelece uma série de direitos aos cidadãos, entre eles acessar as informações que uma empresa tenha, corrigi-las e negar que elas sejam objeto de tratamento.

A lei acrescenta um item polêmico, denominado “direito ao esquecimento”: a possibilidade de o usuário solicitar a retirada de suas informações de uma plataforma (como o Google), devendo a empresa avaliar se o pleito não fere o interesse público. Também previu o direito de a pessoa não submeter suas informações a decisões automatizadas, como as linhas do tempo do Facebook ou a recomendação de vídeos do YouTube.

As empresas são submetidas a diversas exigências. Precisam notificar usuários em caso de um vazamento que implique risco a eles. Devem informar se há dados sendo processados, como e para qual finalidade. Caso instadas, ficam obrigadas a fornecer dados do usuário em formato que outras máquinas podem ler, instituindo uma espécie de “portabilidade de dados”. Têm ainda de adotar medidas tecnológicas para garantir a proteção dos dados dos usuários.

A regulação estabelece multas de até 20 milhões de euros ou de 4% do faturamento anual da empresa punida (o que for maior). Os valores variam de acordo com a gravidade da infração. Isso vale para quem processa  e para quem controla os dados, incluindo armazenamentos feitos na “nuvem” (serviços que permitem acesso remoto a informações por meio da conexão à internet).

Efeito cascata

A regulação alcança usuários brasileiros por meio de um “efeito cascata”. Diversos serviços e aplicações atualizaram suas políticas de privacidade para entrar em conformidade com as exigências da norma.

“Depois de atualizar nossas políticas de dados e tornar os controles de privacidade mais fáceis de encontrar, agora vamos mostrar um alerta no Feed de Notícias, de modo que analisem detalhes sobre publicidade, reconhecimento facial e informações que eles escolheram compartilhar em seu perfil”, disse a vice-presidente de privacidade do Facebook, Erin Egan, em comunicado divulgado na página oficial da plataforma.

A Microsoft também anunciou que ampliará os direitos de privacidade estabelecidos a partir da GDPR para todos os usuários. “Conhecidos como Data Subject Rights, eles incluem o direito de saber quais dados coletamos sobre você, corrigi-los, excluí-los e até levá-los para outro local. Nosso painel de privacidade oferece as ferramentas necessárias para assumir o controle de seus dados. Nesta semana, também publicamos uma declaração de privacidade atualizada que rege produtos e serviços ao consumidor”, informou Julie Brill, vice-presidente corporativa da companhia.

Propostas sobre proteção de dados pessoais são analisadas na Câmara e no Senado - Marcello Casal jr/Agência Brasil

O Google publicou comunicado em seu blog anunciando a atualização de sua política de privacidade em razão da GDPR. “Aprimoramos ainda mais nosso programa de privacidade, melhorando o processo de revisão de lançamento de produtos e documentando o processamento de dados de forma detalhada, tudo de acordo com as exigências de responsabilidade estabelecidas pela GDPR”, acrescentou o texto.

Já o Twitter informou que a adaptação às exigências da regulação só serão disponibilizadas para usuários na União Europeia.

Relações comerciais

A entrada em vigor da GDPR pode ter impactos também nas relações diplomáticas e comerciais do Brasil com a Europa. Isso porque o bloco pode levar em consideração o que chama de “nível de proteção” existente aqui para avaliar acordos. Contudo, o Brasil ainda não tem uma lei específica de proteção de dados, tema em debate no Congresso Nacional.

De acordo com o embaixador da delegação da UE no Brasil, João Gomes Cravinho, caso o país não aprove uma lei ou institua uma legislação distinta da europeia, poderá haver consequências na relação entre o país e o bloco. “Se não houver convergência no plano de privacidade de dados, há algumas matérias em que os operadores econômicos ficam condicionados e não podem realizar plenamente todo o seu potencial.”

As limitações poderão ocorrer porque o “nível de proteção” também será avaliado por empresas europeias na hora de fazer negócios com firmas brasileiras se houver algum tipo de transferência de dados entre as duas companhias.

Na avaliação do analista de Política e Indústria da Confederação Nacional da Indústria Fabiano Barreto, empresas devem ficar atentas aos impactos da GDPR no país. “Embora seja cedo para identificar efeitos colaterais do novo regulamento, certamente haverá. Bases de dados com informações sobre titulares de nomes de domínio, por exemplo, são ferramentas essenciais para combater a disseminação de conteúdo ilícito na internet. Equilibrar interesses individuais, como a privacidade, e interesses coletivos será um grande desafio", afirmou Barreto.

Lei brasileira

Para que o Brasil seja considerado país com “nível de proteção adequado”, reconhecimento já existente para Argentina e Uruguai, a expectativa da União Europeia é que uma eventual lei brasileira de proteção de dados se aproxime dos termos da GDPR.

Para Renato Leite Monteiro, advogado especialista em proteção de dados e professor da Universidade Mackenzie, a aprovação de um texto distante da norma europeia pode ter impactos negativos. “Se tivermos regras diferentes, menos protetivas ou contraditórias, vai dificultar muito. Todas as discussões que levaram à GDPR deveriam ser levadas em consideração nos atuais projetos de lei.”

Atualmente, alguns projetos sobre o tema tramitam no Congresso. Nesta semana, o Senado aprovou requerimento de urgência para que o PL 330/2013, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), seja analisado em plenário. A proposta deve entrar na pauta da próxima semana. Na Câmara, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), relator da comissão especial que analisa a matéria, deve entregar nas próximas semanas nova versão do PL 4060/2012.

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 30 milhões na quarta-feira

dom, 27/05/2018 - 12:33

Ninguém acertou as seis dezenas do sorteio 2.044 da Mega-Sena sorteadas ontem (26), na cidade de Fernandópolis (SP).

As dezenas sorteadas foram: 07 - 14 - 47 - 54 - 56 - 60. 

A expectativa de prêmio para o próximo concurso, que será sorteado na quarta-feira (30) em Jataí (GO), é R$ 30 milhões. 

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

 

São Paulo vai permitir circulação de caminhões durante esta semana

dom, 27/05/2018 - 12:20

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), acaba de informar que assinou um decreto para permitir a livre circulação de caminhões na capital paulista ao longo desta semana.

A expectativa do prefeito é que os serviços essenciais se normalizem ao longo da semana. Hoje, apenas a coleta seletiva de lixo está suspensa e há preocupações com insumos para a merenda e o suprimento de gás de cozinha nas escolas públicas a partir de terça-feira. A frota de ônibus circulará amanhã com a 60% a 80% dos veículos nas ruas. Neste domingo, a circulação, que normalmente ocorre com frota reduzida, está normal. 

Acordo com o Sindipetro permitiu, segundo o prefeito, que fossem abastecidos veículos destinado a serviços essenciais com 1 milhão de litros de combustível.

Escolas municipais do Rio podem suspender aulas por falta de merenda 

dom, 27/05/2018 - 12:19

A rede de educação do município do Rio poderá ter ponto facultativo a partir da próxima terça-feira (29), pela falta de merenda. A informação foi divulgada pelo prefeito, Marcelo Crivella. A entrega dos alimentos é feita por empresas terceirizadas e só há comida para as crianças até amanhã (28).

São 1.537 unidades escolares no município, com 654 mil alunos e 52 mil funcionários. A rede atende ao ensino fundamental, e a comida servida nas escolas muitas vezes é a principal refeição de estudantes.

A rede estadual de ensino informou que as escolas funcionarão normalmente na segunda-feira, mas não se posicionou sobre os demais dias.

BRT

O serviço de ônibus por faixa seletiva BRT voltou a funcionar no sábado (26), de forma reduzida, e neste domingo (27) retomou o atendimento com mais veículos, mas ainda sem a capacidade normal para o período. Isto foi possível porque os ônibus articulados do consórcio foram abastecidos no sábado por um comboio de caminhões-taque escoltados desde a distribuidora Raízen, da Shell, por policiais do Batalhão de Choque. 

Circulam neste domingo (27) 56 articulados, correspondentes a 17% da frota, e as rotas serão atendidas apenas parcialmente, com intervalos de 10 a 20 minutos. Não haverá BRT entre o Aeroporto Internacional Tom Jobim e Madureira, do Corredor Transcarioca. Nos corredores Transoeste e Transolímpica também haverá redução no número de estações atendidas.

Ônibus municipais

A frota de ônibus municipal do Rio foi reduzida ainda mais neste domingo, com somente circulação de 13% do total, percentual inferior aos 23% de sábado. A informação é do sindicato dos ônibus municipais Rio Ônibus. 

"O número vem reduzindo conforme o estoque de combustível acaba. As empresas têm empenhado todos os esforços para conseguirem os insumos o mais rápido possível. Enquanto o abastecimento não é normalizado, há um remanejamento da frota de forma a atender melhor à população nos horários de pico”, informou em nota o sindicato.

Barcas

O sistema de transporte de barcas, que liga o Rio a Niterói e a outros destinos, continua em operação reduzida ou suspensa. Na Linha Arariboia, a principal, o serviço foi interrompido no fim de semana. Nas linhas Charitas, Paquetá e Cocotá, está ocorrendo o cancelamento de algumas viagens. “As medidas, que foram autorizadas pela Secretaria de Estado de Transportes, vão gerar uma redução de 8% no número de travessias realizadas pela concessionária regularmente”, informou em nota a concessionária CCR Barcas.

Trens, metrô e VLT

O sistema por trilhos foi pouco afetado pela greve dos caminhoneiros, pois quase todas as composições são movidas à energia elétrica. Nos trens da Supervia, os ramais Deodoro, Japeri, Belford Roxo, Santa Cruz e Santa Cruz operam normalmente. Mas não haverá circulação nas extensões Guapimirim e Vila Inhomirim, operadas por locomotivas movidas a óleo diesel. O metrô opera normalmente em todas suas linhas, assim como o VLT.
 

No Rio, universidades federais e Uerj suspendem aulas nesta segunda

dom, 27/05/2018 - 12:13

Todas as universidades federais no Rio de Janeiro e também a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) decidiram não funcionar nesta segunda-feira (28), por conta dos reflexos da greve dos caminhoneiros. As informações foram publicadas nos portais das instituições na internet.

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou que todas as atividades da graduação e da pós-graduação e da educação básica estão suspensas em todos os campi. “As atividades essenciais voltadas para o atendimento à população e para a manutenção da universidade seguirão em funcionamento, conforme plano de trabalho organizado pelos setores. No fim da tarde de segunda-feira, a reitoria avaliará a situação e emitirá novo comunicado que será publicado na página oficial da UFRJ”, informou a nota.

A Universidade Federal Fluminense (UFF), baseada em Niterói, também decidiu suspender as atividades. “Há um impacto direto na mobilidade urbana, na segurança pública e no funcionamento adequado das instituições. Diante deste quadro, resolvemos suspender, nesta próxima segunda-feira, atividades da UFF, exceto aquelas consideradas essenciais para o atendimento à população ou para a manutenção da universidade. No fim da segunda-feira faremos um novo balanço da situação, visando uma tomada de decisão para o funcionamento da UFF ao longo da semana”, disse a nota.

A Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) está com as atividades de educação suspensas na segunda-feira. "A reitoria da Unirio comunica que as atividades da graduação e da pós-graduação estarão suspensas no dia 28 de maio em todos os campi da instituição devido às consequências da grave crise de mobilidade urbana proveniente da escassez de combustível. As atividades administrativas essenciais não sofrerão solução de continuidade. A Reitoria continuará acompanhando os desdobramentos dessa crise e se pronunciará por meio de novo comunicado na próxima segunda-feira a respeito do restante da semana.”

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) também decidiu suspender as aulas. “Comunicamos a suspensão das atividades acadêmicas nos campi da UFRRJ e o abono das faltas dos servidores. Diante do quadro ainda indefinido, a reitoria comunica a suspensão das atividades no dia 28 de maio.”

A Uerj também decidiu suspender as aulas. “Considerando o aprofundamento da grave crise de mobilidade urbana provocada pela escassez de combustíveis, a reitoria da Uerj resolveu suspender as atividades da universidade nesta próxima segunda-feira, exceto para as atividades consideradas essenciais. A Administração Central continua monitorando os desdobramentos deste grave cenário e se pronunciará, por meio de novo comunicado, sobre o funcionamento da Uerj ao longo da semana.”

 

* Com informações de Tâmara Freire, Radiojornalismo EBC

 

Bloqueios em rodovias paulistas registram queda de 77,7%, diz governo

dom, 27/05/2018 - 11:34

O governo de São Paulo informou hoje (27) pela manhã que, após as medidas anunciadas ontem pelo governador Márcio França, o número de bloqueios nas rodovias estaduais paulistas registrou queda de 77,7%, passando de 157 vias bloqueadas [total de vias paradas na manhã de sábado] para 35.

Segundo o governo, às 7h da manhã de hoje, havia ainda 35 interrupções em rodovias estaduais e duas em rodovias federais.

Ontem, após reunião com representantes dos caminhoneiros, o governador Márcio França anunciou a suspensão da cobrança do pedágio sobre o eixo levantado dos caminhões, o perdão de multas aplicadas no período e a redução do valor do diesel na bomba, com fiscalização do Procon. Hoje à tarde está prevista uma nova reunião no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Também no sábado, o governador se reuniu com o ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun, e representantes dos caminhoneiros. No encontro, o governador repassou uma série de reivindicações dos caminhoneiros para ser discutida pelo governo federal, tais como a suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para o terceiro eixo elevado dos caminhões, a garantia de que a redução de 10% no preço do diesel chegue às bombas nos postos de combustível e o aumento do prazo, de 30  para 60 dias, para o congelamento do valor.

Na capital paulista, 68% dos ônibus circulam neste domingo

dom, 27/05/2018 - 11:33

Por causa da paralisação dos caminhoneiros, 68% da frota de ônibus municipal de São Paulo estão funcionando na manhã de hoje (27), na capital paulista. O total se refere ao número de ônibus que circulam aos domingos, dias em que a frota já é reduzida na cidade. A informação é da prefeitura municipal.

Segundo a administração municipal, 15 linhas estão inoperantes neste domingo. A prefeitura não informou quais são essas linhas.

Reunião

Na manhã deste domingo, o Comitê de Gerenciamento de Crise está reunido novamente para atualizar as informações sobre os estoques de combustível, planejar ações para a obtenção de combustível e discutir o plano de contingência para a cidade enquanto durar a paralisação dos caminhoneiros. Após essa reunião, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, deve conceder uma entrevista coletiva à imprensa.

Prefeito de Angra avalia pedir desligamento das usinas nucleares

dom, 27/05/2018 - 11:01

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, avalia pedir o desligamento das Usinas Nucleares Angra 1 e 2, pela impossibilidade de executar o plano de emergência no município, em caso de acidente, por causa da falta de combustível. Caso aconteça algum problema nas usinas, existe um plano de evacuação traçado, que deve ser seguido à risca pelos moradores da região, com rotas de fuga pelas estradas, o que está comprometido pela impossibilidade de se usar os veículos. A informação foi divulgada em nota, pela prefeitura de Angra, que está em estado de emergência pública, decretado no sábado (26).

No momento, em Angra dos Reis, todos os postos de abastecimento estão sem gasolina, etanol ou diesel, segundo a prefeitura.

Jordão informou que, se Angra não tiver prioridade no abastecimento de combustível para que se possa exercer o plano de emergência das usinas nucleares, será pedido o desligamento de Angra 1e Angra 2.

Eletronuclear

A Eletronuclear respondeu em nota que não há qualquer comprometimento em relação à segurança da central nuclear e que as usinas Angra 1 e Angra 2 estão operando normalmente, sem quaisquer anormalidades.

“Embora a necessidade de evacuação no caso de uma emergência nas usinas seja bastante remota, a empresa ressalta que sua frota de ônibus e carros está abastecida e com plenas condições de atender ao Plano de Emergência Local e dar apoio ao Plano de Emergência Externo, no caso de qualquer eventualidade”, disse a empresa.

 

 

Paralisação de caminhoneiros nas estradas entra no sétimo dia

dom, 27/05/2018 - 10:52

Neste domingo (27), sétimo dia de greve, o governo volta a negociar com os caminhoneiros, ao mesmo tempo em que forças de segurança continuam a desobstruir pontos de bloqueio nas rodovias de todo o país. A categoria dos motoristas autônomos reivindica agora desconto de 10% no valor do diesel que será cobrado na bomba, a ampliação desta redução de 30 para 60 dias e o fim da suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para eixo elevado dos caminhões para todo o país.

O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, apresenta hoje ao presidente Michel Temer essas novas propostas. Marun e ministros de várias áreas se reúnem no Palácio do Planalto, no gabinete de gestão de crise, na tentativa de encerrar a paralisação.

Até a noite de sábado (26), metade dos mais de mil pontos bloqueios ainda resistia nas estradas. Eram, às 22 h de sábado, 554 pontos de bloqueio nas rodovias, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A maioria das barreiras é parcial e sem prejuízo à circulação de veículos. De acordo com a polícia, 625 pontos foram desbloqueados. Em estados da Região Centro-Oeste, como Mato Grosso do Sul, as estradas começam a ser totalmente liberadas, segundo informou nesta manhã a PRF estadual.

Brasília

Brasília começou a ser reabastecida de combustíveis desde a tarde de sábado. Longas filas são vistas hoje em postos do Plano Piloto, na região central. Muitos, entretanto, continuam fechados.

O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek já recebeu combustível, mas ainda operava com restrições. O governador Rodrigo Rollemberg descartou no sábado a possibilidade de decretar estado de emergência. A prioridade, segundo ele, concentra-se em saúde, segurança e transporte público. Poucos ônibus circulam neste domingo.

São Paulo

Em São Paulo, as principais estradas permanecem bloqueadas, e o combustível é suficiente somente até segunda-feira (28) para os serviços essenciais. A polícia e governo estadual negociam, com ajuda do governo federal, a liberação das rodovias. O governador Márcio França, que se reuniu no sábado com o ministro Carlos Marun, anunciou a suspensão da cobrança do eixo suspenso, usado pelos caminhões que trafegam sem carga total, nos pedágios das rodovias paulistas. A medida faz parte de um pacote de ações negociado para a desobstrução das estradas. A interrupção da cobrança começa a vigorar a partir da 0h de terça-feira (29), prazo negociado pelos líderes dos caminhoneiros para liberação das rodovias, principalmente trechos da Régis Bittencourt (que liga aos estados do Sul) e do Rodoanel (que interliga rodovias na região metropolitana paulista). Já o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que o combustível para a maior parte dos serviços essenciais está garantido somente até segunda-feira. A prefeitura decidiu manter, por tempo indeterminado, o estado de emergência. 

Rio de Janeiro 

A cidade do Rio de Janeiro permanece em estágio de atenção. O Centro de Operações da prefeitura do Rio diz que, com a manutenção da greve dos caminhoneiros, o desabastecimento de combustível “afeta drasticamente a mobilidade no município”. Em uma escala de três, o estágio de atenção está no segundo nível e significa que um ou mais incidentes impactam, no mínimo, uma região, provocando reflexos relevantes na mobilidade.

Parte do BRT, sistema de ônibus expresso do Rio de Janeiro, voltou a funcionar. Outras linhas continuam sem operar. Por falta de combustível, o transporte de barcas entre o Rio e Niterói foi totalmente suspenso no sábado. O Exército disponibilizou um contingente de soldados para dar apoio à Polícia Militar (PM) na segurança em torno da Refinaria Reduc, que começa a reabastecer a capital, o rstado e diversas regiões do país. 
 

Petroleiros deflagram greve de 72 horas a partir de quarta-feira

dom, 27/05/2018 - 10:44

No momento em que o governo federal negocia o fim da paralisação dos caminhoneiros, que entrou hoje (27) no sétimo dia, os petroleiros organizam uma greve nacional “de advertência“. A paralisação de 72 horas será a partir da próxima quarta-feira (30). A mobilização é liderada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos filiados.  

Os petroleiros preparam para hoje atrasos e cortes de rendição nas quatro refinarias e fábricas de fertilizantes: Rlam (BA), Abreu e Lima (PE), Repar (PR), Refap (RS), Araucária Nitrogenados (PR) e Fafen Bahia.

Para amanhã (28), a FUP e seus sindicatos promovem o Dia Nacional de Luta, com atos públicos e mobilizações.

Em nota, a FUP informou que a paralisação dos petroleiros pretende pressionar o governo federal a reduzir os preços do gás de cozinha e dos combustíveis, também é uma manifestação contra a eventual proposta de privatização da Petrobras e a gestão do presidente da empresa, Pedro Parente.

“A greve de advertência é mais uma etapa das mobilizações que os petroleiros vêm fazendo na construção de uma greve por tempo indeterminado, que foi aprovada nacionalmente pela categoria”, diz o comunicado da FUP.

General diz que não há risco de militares cometerem erros

dom, 27/05/2018 - 10:28

O secretário nacional de Segurança Pública, Carlos Alberto dos Santos Cruz, disse hoje (27) que as Forças Armadas estão preparadas para atuar na desobstrução de rodovias e que não há chance de os militares cometerem erros. “Nosso pessoal é muito bem preparado, o prestígio que o Exército e as Forças Armadas têm são construídos pelo bom-senso, pela habilidade. Não existe o mínimo risco de se cometer qualquer erro, qualquer coisa fora de lei”, disse.

General da reserva do Exército, Cruz conversou com a imprensa ao chegar, nesta manhã, no Palácio do Planalto para participar da reunião do gabinete de crise que monitora a paralisação dos caminhoneiros. A manifestação entra hoje (27) no sétimo dia e tem causado desabastecimento de combustíveis e alimentos em vários locais do país.

O general disse ainda a Força Nacional não está atuando diretamente em operações nas rodovias porque tem um efetivo pequeno. “A Força Nacional está distribuída [em outras operações], não temos efetivo em reserva”, disse. “É um contingente pequeno, não é um contingente que possa influir decisivamente em qualquer ação”.

Hoje, a Força Nacional está com 1,2 mil homens, atuando em 16 operações em 11 estados, como no combate ao roubo de cargas no Rio de Janeiro e no apoio a equipes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Fundação Nacional do Índio (Funai) no Pará e da Polícia Federal na fonteira com o Paraguai. Um pequeno efetivo foi enviado para Minas Gerais para auxiliar especificamente nessa operação nas rodovias e, se houver necessidade, outros poderão ser deslocados para outros locais.

Sobre as reivindicações dos caminhoneiros autônomos, Cruz disse que são interesses naturais de categorias que estão pressionadas pela sua necessidade. “Espero que se chegue a uma conclusão, são coisas que precisamos regularizar para o bem-estar de todo mundo. Não é uma questão de ver o certo ou errado, mas de regularizar”, disse.

A reunião do gabinete de crise teve início antes das 10h. O presidente Michel Temer chegou há pouco no Palácio do Planalto para participar das discussões. 

 

Caminhoneiros mantêm 554 pontos de bloqueios em estradas, diz PRF

dom, 27/05/2018 - 10:28

Caminhoneiros ainda mantêm 554 pontos de bloqueio nas rodovias em decorrência da paralisação da categoria, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O balanço é das 22h de ontem (26) e aguarda atualização. Segundo a PRF, a maioria dos bloqueios é parcial e sem prejuízo à circulação de veículos.

De acordo com a polícia, 625 pontos foram desbloqueados. Os caminhoneiros entraram hoje (27) no sétimo dia do movimento em defesa da redução do preço do óleo diesel e do fim da cobrança de pedágio de veículos que circulam com os eixos levantados.

A PRF informou ainda que, apesar das manifestações, há corredores para a circulação de transporte de animais vivos, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais, medicamentos, combustíveis e outras cargas condideradas sensíveis.

Os policiais rodoviários federais garantem também que há apoio aos manifestantes durante as desmobilizações no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais. 

Bloqueio nas rodovias federais: 

Pontos de bloqueios em rodovias (atualizado às 22h do dia 26/05/2018) - Divulgação/PRF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Páginas