Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 5 minutos 27 segundos atrás

Pré-carnaval movimenta foliões nas ruas do Rio

sab, 19/01/2019 - 17:42

O terceiro fim de semana deste ano continua em ritmo de carnaval nas ruas do Rio de Janeiro. A tarde e a noite deste sábado (19) estão com festas previstas em diversos pontos do centro da cidade e os ensaios de blocos não oficiais. 

Na Lapa, o bloco Põe Na Quentinha? lança o enredo Ajeum Irê nesta tarde no Baródromo, com uma programação que vai até as 19h. A entrada custa R$ 10.

Às 17h20, no Museu de Arte Moderna (MAM), o bloco Planta na Mente faz carnaval e levanta a bandeira da legalização da maconha.

Também no centro da cidade, o bloco Tome Conta de Mim faz a festa a partir das 18h na Rua do Mercado, no local que ficou conhecido como Largo do Boi Tolo, outro famoso bloco não oficial.

No mesmo horário, na Pedra do Sal, o bloco Batuquebato faz seu primeiro ensaio do ano, na região portuária da cidade. 

Homenageando os poagodeiros do Molejo, o bloco Traz a Caçamba é outro que faz festa no centro da cidade, com seu primeiro ensaio de rua do ano, na Lapa. A concetração também está marcada para 18h, no Bar do Antônio.

Às 23h, outro famoso bloco não oficial que deve reunir foliões é o Minha Luz é de LED, que fará uma festa paga em um espaço conhecido como Centrão, na Rua Julia Lopes de Almeida, às 23h.

Mais de 600 pessoas levavam gasolina na hora da explosão de oleoduto

sab, 19/01/2019 - 17:38

Entre 600 e 800 pessoas estavam próximas do local onde um oleoduto da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) explodiu no fim da tarde dessa sexta-feira (18). Informada pelo secretário de Defesa do México, Luis Cresencio Sandoval, a estimativa é de um oficial que patrulhava a região e que tentou convencer o grupo a afastar-se do local pouco antes do início do incêndio que causou a explosão. O número de mortos já chega a 66.

Militares foram acionados pela estatal petrolífera por volta das 17h (horário local), após técnicos da empresa constatarem a variação da pressão no duto – indício de vazamento. Segundo Sandoval, quando chegou ao quilômetro 226, nas redondezas da cidade de Tlahueplilpan, no estado de Hidalgo, os militares se depararam com centenas de pessoas recolhendo parte do combustível que vazava do duto.

“O oficial tentou evitar que as pessoas se aproximassem do duto, tentando-o convencê-los do perigo. Além de fazerem pouco caso, algumas pessoas ficaram agressivas. O oficial, então, se viu forçado a retirar-se, evitando uma confrontação. Enquanto isso, mais gente continuava chegando e o vazamento aumentava”, disse o secretário de Defesa em entrevista coletiva da qual participaram o presidente Lopez Obrador, o governador de Hidalgo, Omar Fayad, e outras autoridades.

O oficial relatou que, além de carregarem recipientes cheios de gasolina, muitas pessoas tinham as roupas encharcadas por combustível. Além de 66 mortos ainda não identificados, as autoridades mexicanas contabilizavam, até as 17h de hoje (19), 76 feridos, sendo 73 do sexo masculino (incluindo sete adolescentes e um garoto de 12 anos) e três do sexo feminino. Os feridos estão sendo atendidos em hospitais de Hidalgo e de estados vizinhos. Grupos de resgate continuam vasculhando o local da explosão, distante cerca de 100 quilômetros da Cidade do México.

Huachicoleo

O furto de gasolina é um crime comum no México, a ponto de ter popularizado o termo huachicoleo e levado o governo federal a implantar um plano de combate à prática que, hoje, o presidente Lopez Obrador garantiu que será mantido e reforçado. Durante a entrevista coletiva, Obrador exibiu imagens de outros dois episódios em que centenas de pessoas foram flagradas furtando combustível de dutos petrolíferos. Os dois registros foram filmados com uma diferença de poucos dias, em diferentes localidades do país.

“Ainda que doa, temos que seguir com o plano e acabar com o roubo de combustíveis e com essas práticas. Não vamos nos deter. Vamos erradicar isso”, declarou Obrador, afirmando que o furto de combustível coloca em perigo não só a segurança dos envolvidos, mas também a das comunidades próximas e do abastecimento dos consumidores de todo o país.

“Não só a Nação perde com este comércio ilegal, com este mercado negro de combustível, como há também o risco de perda de vidas humanas. Desgraçadamente, ontem tocou à gente de Hidalgo, mas este é um perigo permanente, constante [para todos os mexicanos]”, acrescentou o presidente, conclamando a população a não mais participar desses atos.

De acordo com o diretor-geral da estatal petrolífera Pemex, Octávio Romero Oropeza, só nos últimos 90 dias, a empresa identificou dez pontos de furto de combustível em Tlahueplilpan. Além disso, ontem mesmo, outro incêndio ocorreu em circunstâncias semelhantes na cidade de San Juan del Rio, no estado de Querétaro, a cerca de 100 quilômetros a noroeste de Tlahuelilpan. Não houve, no entanto, registro de feridos.

Durante a entrevista coletiva, o fiscal-geral da República, Alejandro Gertz, assegurou que, apesar da “tragédia”, os fatos que levaram à explosão do duto Tuxpan-Tula serão investigados e os responsáveis punidos. Gertz lembrou que o roubo de combustíveis é considerado um delito grave, punido com penas de prisão que podem chegar a 30 anos.

O duto Tuxpan-Tula, que explodiu, transporta cerca de 70 mil barris diários. Segundo Oropeza, é muito importante porque supre a refinaria de Tula com gasolina e outros componenentes que, de Tula, são enviados para Salamanca, de onde os produtos são, por fim, redistribuidos para diversas localidades do país.

Aniversário de São Paulo terá programação com diversidade de ritmos

sab, 19/01/2019 - 16:28

São Paulo completa 465 anos na próxima sexta-feira (25). Para celebrar a data, que é feriado municipal, a prefeitura promoverá shows de diversos gêneros musicais no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista, a partir das 12h. Grupos de funk, gospel, samba, rap, pop, MPB, punk e rock’n roll vão se revezar até a meia-noite no palco. A região também será tomada por festas de coletivos urbanos e intervenções culturais. A programação contará ainda com atividades descentralizadas nas casas de cultura, centros culturais e no Teatro Flávio Império.

“A ideia é contemplar atividades para toda a família e público de todas as idades”, destacou a prefeitura em nota. As apresentações começam com o projeto RC na Veia, criado por Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, para homenagear o pai. O show com música da jovem guarda recebe como convidada a cantora Wanderléa. Em seguida, o grupo de rap gospel Ao Cubo se apresenta às 14h ao lado dos sambistas do Art Popular.

Às 16h, a festa continua com show do sambista Paulinho da Viola, que cantará ao lado da filha Beatriz Rabello, além de Fabiana Cozza e Rodrigo Campos. Canções como Coração leviano, Dança da solidão, Timoneiro e Foi um rio que passou em minha vida farão parte da apresentação. Às 18h30, sucessos do grupo de rock Charlie Brown Jr. serão relembrados no show Tamo Aí na Atividade apresenta Charlie Brown Jr, com apresentação de estrelas do rock nacional como Dinho Ouro Preto (Capital Inicial), Di Ferrero, Digão (Raimundos), Supla e Panda (La Raza).

Às 20h30, o rap nacional será representado por Rael e Rashid, acompanhados por Pabllo Vittar. O encerramento, às 23h, será com a cantora Ludmilla, que apresentará sucessos de funk, como o mais recente Din din din.

Coletivos urbanos

Em três palcos adjacentes, a partir das 14h, o público poderá conferir o som de festas produzidas por coletivos urbanos de São Paulo. Para os amantes de música black, um dos palcos reunirá DJ Donna, Discopedia convida Seu Osvaldo e Batekoo convida KL Jay. Quem prefere música eletrônica, deve conferir as apresentações de Gop Tun, Millos & Trepanado, ODD e Mamba Negra. E a música brasileira estará representada no palco que concentra as festas Primavera, te amo; Santo Fort; Pilantragi; Prato do dia e Desculpa qualquer coisa.

A Rua XV de Novembro recebe o palco Músicos do Futuro, com o discotecagem de Leandro Pardí, além de shows de forró com o grupo Caiana, música gospel com Érika Morise, o reggae de Alma Djem e o grupo Inovasamba. A região central terá ainda um concerto na Praça das Artes, com Diego Carneiro, violoncelista e diretor de Orquestra Equatoriana de Trajetória Internacional. Ele interpreta as famosas danças da Suíte de Bach e as Bachianas Villa-Lobos.

Atividades descentralizadas

Na zona norte, o Centro Cultural da Juventude recebe a banda de hardcore Dead Fish, que se apresenta com Deb Babilônia às 18h. Na zona leste, no Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes, o público-alvo são as crianças, com atrações circenses. Às 18h, ocorrerá o show do grupo Sampa Crew. Na Casa de Cultura do Butantã, na zona sul, às 15h, o show do Clube do Balanço com participação de Janayna Pereira e homenagens a artistas que embalaram sua vida e carreira.

A programação completa pode ser conferida no site da prefeitura de São Paulo.

Migrantes desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo já são 114

sab, 19/01/2019 - 15:44

O número de migrantes desaparecidos após um naufrágio a 50 milhas da costa da Líbia subiu de 20 para 114, enquanto três foram resgatados e três morreram, anunciou hoje a Organização Internacional das Migrações (OIM) na Itália.

O porta-voz da OIM na Itália, Flavio di Giacomo, disse que os três sobreviventes, que foram resgatados pela Marinha italiana e transportados para a ilha de Lampedusa, na Itália, comunicaram que o barco levava 120 pessoas.

A Marinha italiana já tinha confirmado que, durante as operações, foram vistos três corpos. Permanecem desaparecidos 114 migrantes.

O representante da OIM disse ainda que, segundo os sobreviventes, estão entre os desaparecidos cerca de dez mulheres, uma delas grávida, e duas crianças, sendo a maioria proveniente da Nigéria, de Camarões, Gâmbia, da Costa do Marfim e do Sudão.

A organização não governamental (ONG) alemã Sea Watch já havia informado sobre o naufrágio nessa sexta-feira (18), por meio de suas redes sociais, denunciando que, até o momento, não há um "programa europeu de resgate no Mediterrâneo" e que o barco da ONG espanhola Open Arms está bloqueado na Espanha pelas autoridades, enquanto o navio humanitário Sea Eye continua à procura de um porto para a mudança de tripulação.

*Com informações da RTP (emissora pública de televisão de Portugal)

Sobe para 399 número de presos por ataques no Ceará

sab, 19/01/2019 - 15:34
Subiu para 399 o número de pessoas presas ou apreendidas por suspeita de participação na onda de ataques no Ceará desde o dia 2 de janeiro, segundo balanço da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do estado divulgado hoje (19).

Desde o início da onda de violência, que atinge municípios em todo o estado, suspeita-se que a ordem para os ataques parta de presídios onde estão líderes de facções criminosas.

Na madrugada deste sábado, décimo oitavo dia de ataques, criminosos provocaram uma explosão em uma ponte em Fortaleza. Ontem (18), três homens foram presos após incendiar um ônibus na capital.

As ações de facções criminosas deixaram em alerta todo o estado. Prédios públicos, viadutos, estradas, ônibus e locais com veículos foram incendiados ou atingidos de alguma forma pelos grupos.

Convocados pelo governo do Ceará para reforçar a segurança pública, 800 dos cerca de 1.200 policiais militares da reserva apresentaram-se à corporação, em Fortaleza, na manhã desta sexta-feira. E 150 já voltaram a patrulhar as ruas da capital do estado, alvo de ataques criminosos organizados.

Na quinta-feira (17), o governador do Ceará, Camilo Santana, pediu ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o reforço do apoio dado pelo governo federal no combate aos ataques promovidos por facções. A ofensiva teria começado em reação à nomeação do secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, e às medidas anunciadas como a não separação de presos em presídios por facção.

Furto de combustível causou explosão que matou ao menos 66 pessoas

sab, 19/01/2019 - 13:59

As autoridades mexicanas confirmaram que já chega a 66 o número de pessoas mortas na explosão de um oleoduto da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) na cidade de Tlahueplilpan, no estado de Hidalgo. Setenta e seis pessoas ficaram feridas, a maioria com queimaduras. Entre os feridos, já transferidos para diversos hospitais de Hidalgo e de outros estados, há sete adolescentes e um garoto de 12 anos.

Segundo o governador de Hidalgo, Omar Fayad, o incêndio e a explosão no duto Tuxpan-Tula foram causados pela extração clandestina de combustível. “Desgraçadamente, muitas pessoas perderam a vida e várias estão, neste exato momento, se debatendo entre a vida e a morte”, disse Fayad em entrevista coletiva da qual também participaram o presidente do México, Lopez Obrador, e outras autoridades.

Ainda de acordo com Fayad, militares foram acionados pela estatal petrolífera por volta das 17h (horário local) desta sexta-feira (18), após a constatação de variação da pressão no duto indicar algum vazamento. Ao chegar ao quilômetro 226, nas redondezas da cidade de Tlahueplilpan, os militares se depararam com centenas de pessoas recolhendo parte do combustível que vazava do duto.

“Os militares tentaram persuadir os cidadãos a deixar o local, alertando-os sobre os riscos. Fala-se em centenas de pessoas. Infelizmente, a maioria não deu ouvidos aos militares. Por volta das 18h50, fomos informados de que havia acontecido uma explosão e que as chamas estavam consumindo tudo o que havia ao redor; que havia mortos e pessoas queimadas”, contou o governador.

Classificando o episódio como “trágico”, Fayad disse que, dos 76 feridos, 73 são homens e três mulheres. Além disso, grupos de resgate continuam vasculhando o local. A área foi isolada e um centro de atendimento às vítimas foi montado, com a criação de grupos de trabalho: investigação; apoio às vítimas; preservação do local da ocorrência; informações; monitoramento do estado de saúde das vítimas e de atendimento à imprensa e demais autoridades.

Durante a entrevista, o presidente Lopez Obrador disse que todo o país está “consternado” pela “tragédia”. “Antes de mais nada, queremos oferecer nossos pesâmes aos familiares das vítimas, informando-lhes que todo o governo está com eles. De forma sincera, o ocorrido nos entristece. Também queremos transmitir aos parentes dos feridos que estamos dando atenção especial nos hospitais, buscando salvar vidas. Agora, isso é o mais importante: evitar mais mortes”, acrescentou Obrador.

San Juan del Rio

O presidente mexicano ainda mencionou um segundo incêndio ocorrido em outro duto da Pemex, na cidade de San Juan del Rio, no estado de Querétaro, cerca de 100 quilômetros a noroeste de Tlahuelilpan. De acordo com a estatal, nesse incêndio não houve feridos, e as chamas foram debeladas por volta da meia-noite dessa sexta-feira (18).

"Felizmente, não houve feridos. Por isso não nos perguntaram nada sobre esse incidente, registrado poucas horas depois do ocorrido em Hidalgo”, disse Obrador.

De acordo com a Pemex, o duto de San Juan del Rio foi “vandalizado” e, assim como em Tlahuelilpan, pessoas tentavam furtar combustível do local quando o incêndio se propagou. A empresa afirma que “seguirá reforçando as medidas de prevenção necessárias para acabar com o furto de combustível, colaborando com o combate a esse flagelo que prejudica o patrimônio de todos os mexicanos”.

Segundo a estatal, o furto de combustível – prática que, no México, de tão comum, já deu origem a uma palavra de uso corrente, o chamado huachicoleo (roubo de combustível) - coloca em perigo a segurança das comunidades próximas aos oleodutos e o abastecimento dos consumidores.

 

Dia do padroeiro do Rio de Janeiro terá missa, terço e procissão

sab, 19/01/2019 - 13:42

Padroeiro do Rio de Janeiro, São Sebastião será homenageado pela Igreja Católica neste domingo (20), com uma programação que começa às 8h na capital fluminense. A data é feriado na cidade, que terá celebrações em diversos pontos.

O arcebispo do Rio, cardeal Dom Orani Tempesta, vai abençoar a largada da Corrida de São Sebastião, no Aterro do Flamengo, e de lá segue para a Tijuca, na zona norte, onde vai celebrar a tradicional missa solene no Santuário de São Sebastião dos Frades Capuchinhos.

A programação será retomada às 15h, com o Terço da Misericórdia, na frente da mesma igreja. Às 16h, começa a procissão em honra ao padroeiro, até a Catedral Metropolitana de São Sebastião, no centro.

Clubes paulistas vão atuar no combate à violência contra a mulher

sab, 19/01/2019 - 13:26

Os clubes paulistas Corinthians, Palmeiras e São Paulo vão atuar no Programa Tem Saída, da prefeitura, de combate à violência doméstica contra a mulher. Lançada em 2018, a iniciativa oferece autonomia financeira, por meio de oportunidades de emprego, para que as mulheres vítimas de violência tenham possibilidade de não depender economicamente do agressor. Pelo acordo de cooperação assinado nesta semana, os times de futebol vão, além de apoiar a divulgação do programa entre torcedores, disponibilizar vagas de emprego.

Desde o ano passado, as mulheres da capital paulista que denunciam os agressores e informam que precisam de emprego são encaminhadas para o Programa Tem Saída. No Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo (CATe), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, elas são atendidas com prioridade e direcionadas para entrevistas de emprego em uma das empresas parceiras da iniciativa.

As candidatas passam por processo seletivo diferenciado, com apoio da equipe técnica da prefeitura e das áreas de recursos humanos das empresas parceiras. De acordo com o governo municipal, as equipes receberam treinamento específico para atender as mulheres vítimas de violência.

Os clubes e os órgãos municipais publicarão um manifesto conjunto na internet, como parte da cooperação. Além disso, serão divulgadas informações sobre a violência contra a mulher para sensibilizar os torcedores.

A prefeitura destaca que o Brasil ocupa a quinta posição no ranking de feminicídio mundial, atrás de países como El Salvador, Guatemala, Colômbia e Rússia, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

As informações sobre o Programa Tem Saída podem ser obtidas no site www.prefeitura.sp.gov.br/desenvolvimento, pelo serviço telefônico da prefeitura de São Paulo, no número 156 ou pelo e-mail temsaida@prefeitura.sp.gov.br

Delegacias 24 horas

O governador João Doria anunciou esta semana a ampliação das delegacias da Mulher (DDM), que funcionarão 24 horas. Atualmente, das 133 unidades, apenas uma, no centro da capital paulista, funciona na madrugada. Na terça-feira (15), Doria vetou o projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa de São Paulo, no final do ano passado, para que as delegacias ficassem abertas 24 horas, inclusive nos finais de semana e feriados. O governador disse que o veto foi dado por se tratar de uma inconstitucionalidade, pois interfere no domínio exclusivo do chefe do Poder Executivo.

“Nós não podemos sancionar algo que é contra a lei, o programa das Delegacias da Mulher nas 133 unidades e mais 40 que vamos implantar ao longo de quatro anos com funcionamento 24 horas. Essa implantação será feita ao longo de quatro anos, de forma, evidentemente, responsável e criteriosa. Já na primeira semana de fevereiro, vamos inaugurar mais uma DDM e ao longo do mês de fevereiro mais duas”, anunciou.

 

"Coletes amarelos" protestam pelo décimo sábado consecutivo

sab, 19/01/2019 - 12:52

Os chamados “coletes amarelos” voltaram a protestar pelas ruas de Paris e de uma dezena de outras cidades francesas, hoje (19), décimo sábado consecutivo de manifestações. A mobilização ocorre dias após o presidente francês Emmanuel Macron lançar um plano para discutir com os manifestantes as reivindicações do movimento.

Cerca de 80 mil policiais foram mobilizados em todo o país. Só em Paris, cerca de 5 mil agentes públicos reforçam a segurança.

Os organizadores do protesto incentivaram que cada manifestante que tenha participado de outras marchas comparecesse hoje na companhia de dois amigos que não tenham ido a nenhuma das manifestações anteriores. O objetivo dos organizadores é superar o número de participantes do último sábado (12), quando mais de 80 mil pessoas foram às ruas em todo o país. Calcula-se que, em 17 de novembro de 2018, quando os protestos começaram, mais de 280 mil pessoas participaram do ato.

O movimento dos “coletes amarelos” é heterogêneo e não tem uma única pessoa ou grupo que o lidere. A lista de reivindicações é ampla, incluindo tanto questões de proteção ambiental,quanto a demanda por melhorias salariais. Além disso, há, entre os manifestantes, representantes de setores da extrema direita que defendem teses antieuropeias.

*Com informações da Agência Telam, da Argentina

Brasil aumenta produtividade de grãos na safra 2018/2019

sab, 19/01/2019 - 12:47

O Brasil deverá colher 237,3 milhões de toneladas de grãos em 15 culturas diferentes na safra 2018/2019. Conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o volume representa crescimento de 9,5 milhões de toneladas em relação à safra anterior (4,2% a mais em termos proporcionais).

Segundo a empresa, vinculada ao Ministério da Agricultura, a produtividade será 3% maior na comparação com a safra 2017/2018. O crescimento da safra de grãos ocorre com aumento de 1,2% da área plantada (62,5 milhões de hectares no total).

Metade do volume da produção de grãos estimada é do plantio de soja (118,8 milhões de toneladas) e 38,4% advêm das colheitas de milho, colhido em duas safras por ano.

A produção de soja é 0,4% menor que 2017/2018 (numa área 1,7% maior). De acordo com Cleverton Santana, superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, a cultura foi prejudicada pela falta de chuva em meados de dezembro no Paraná e em Mato Grosso do Sul, quando a lavoura estava em floração e frutificação.

“As condições climáticas não nos levam a crer que teremos recorde de produtividade de soja”, assinala Santana. Segundo ele, não está prevista anormalidade em janeiro. Outras áreas de extensa produção de soja terão boa colheita, como o Mato Grosso e o chamado “Matopiba”, acrônimo criado com as iniciais dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

O milho deve ter uma produção 12,9% maior. O amendoim terá alta de 10%. Arroz e feijão terão queda de mais de 7%, por causa da redução da área plantada. A Conab destaca ainda o crescimento da safra de algodão: produção 20,3% maior. A maior parte do algodão deverá ser usada para a confecção de tecidos nos mercados interno e externo.

O trigo plantado no sul do país também teve ganho de produção: 27,3% a mais (total de 5,4 milhões de toneladas. Também tiveram altas outras “culturas de inverno” como aveia, canola, centeio, cevada e triticale.

A Conab monitora as safras agrícolas há 40 anos. As estimativas são feitas com base em cálculo estatístico, acompanhamento de custos de produção e do pacote tecnológico usado nas lavouras, imagens de satélite (índices de vegetação) e pesquisa de campo com produtores

Relatório mostra desigualdade no mercado de trabalho na América Latina

sab, 19/01/2019 - 12:30

No mercado de trabalho em países da América Latina e do Caribe, a diferença entre homens e mulheres persiste e, em alguns casos, aumentou nos últimos anos. Esta é uma das conclusões do relatório Panorama Social de América Latina 2018, elaborado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e divulgado nesta semana.

Segundo o levantamento, em 2016 a taxa de desemprego urbano era de 10,4% entre mulheres e de 7,6% entre homens. No mesmo ano, 48,7% das mulheres recebiam remunerações abaixo do salário mínimo, índice que cai para 36,7% entre os homens. Na distribuição por faixa etária, a diferença se mantém, alcançando o máximo nas trabalhadoras com idade entre 45 e 64 anos, parcela onde a diferença chegou a 16 pontos.

No mesmo ano, em média, 26,9% das mulheres ocupadas estavam em situação classificada pelo estudo como “subemprego” (em razão dos valores abaixo da linha da pobreza e com jornadas extensas), contra 19% dos homens na mesma condição. A média geral foi de 21,5%. Na evolução histórica desde 2002, os índices caíram para os dois gêneros, embora em ritmo maior no caso dos homens, “razão pela qual aumentou a brecha de gênero”, destaca o documento.

Considerando os trabalhadores que contribuem para a previdência, houve uma inversão entre 2002 e 2016. Enquanto na primeira data a média dessa condição era maior entre mulheres (37,7%) do que entre homens (36,4%), na segunda essa prevalência mudou com índice maior no público masculino (46,5%) do que no feminino (45,5%).

“Nem nem”

A maior diferença de gênero no mercado de trabalho identificada pela pesquisa da Cepal está naquelas mulheres jovens fora dele: as que não não estão ocupadas nem estudam, denominadas “nem nem”.

“Enfatizamos o tema da juventude, porque é a porção etária que está enfrentando as maiores dificuldades de inserção laboral e, sobretudo, as mulheres”, afirmou a secretária executiva da Cepal, Alicia Bárcena.

As jovens que não estudavam nem trabalhavam em 2016 correspondiam a 31,2% nos países pesquisados da região. Já quando a análise se voltou aos homens jovens, esse índice caiu quase três vezes, ficando em 11,5%. Embora nos últimos 15 anos a queda nas taxas dessa condição tenha sido maior entre as mulheres, a diferença continua representativa.

Entre os fatores para esse quadro, a Cepal citou a ausência de políticas e sistemas de cuidado, a manutenção da divisão sexual do trabalho nas famílias, a gravidez na adolescência e a alta carga de trabalho doméstico e de cuidado, ambos não remunerados.

“Em particular a distribuição desigual do trabalho não remunerado e de cuidado entre homens e mulheres, o não reconhecimento de seu valor econômico e das barreiras que isso impõe a uma plena integração das mulheres ao mercado de trabalho e, portanto, à obtenção de autonomia econômica, reproduzem as desigualdades de gênero ao largo do ciclo de vida”, analisam os autores do relatório.

Causas e impactos

Segundo a oficial de Gênero e Raça do Escritório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) no Brasil e pesquisadora em gênero, Ismália Afonso, para entender o fenômeno é preciso analisar o histórico dessas mulheres. No Brasil, o perfil mais comum é de jovens negras de periferia, evidenciando uma inter-relação entre gênero, raça e classe. Mas outros fatores devem ser considerados, como a violência presente nas histórias de vida e nos ambientes onde essas pessoas estão inseridas.

“Isso vem sendo forjado ao longo de anos, elas são vítimas de violência doméstica parental e indireta, dos pais contra as mães. E isso ajuda que elas tenham mais dificuldade de se manter na escola. O ambiente público, a cidade mais violenta, concorre para que pessoas que morem em territórios mais violentos [se mantenham], porque é muito difícil sair de casa para estudar de forma estável se a escola é violenta, se o trajeto é violento”, analisa.

Outro elemento que contribui, acrescenta Afonso, é a sobrecarga de trabalho doméstico. E aí não somente dos filhos, mas também de familiares e dos próprios companheiros ou companheiras. Assim, a explicação que busca sugerir como causa central da saída da escola e da dificuldade de empregabilidade a gravidez da adolescência deveria ser observado com mais cuidado. Muitas vezes, a jovem já deixou a educação formal antes, ou vivencia o casamento ou a gestação como formas de socialização em condutas mais próximas do mundo adulto.

Além de ver o fenômeno em suas múltiplas causas, a oficial do Pnud defende que esse cenário deve merecer resposta do Poder Público porque afeta não somente o presente com o futuro dessas jovens. “Sem contribuição previdenciária, já que não trabalham, há uma série de direitos que não serão garantidos a elas (licenças, aposentadoria). Dessa maneira, é possível esperar que avancem para a idade adulta e a velhice ainda mais empobrecidas”, completa.

 

Diretor do Inep é remanejado para assessoria do Ministério da Educação

sab, 19/01/2019 - 12:07

O economista Murilo Resende Ferreira, que tinha sido nomeado diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foi remanejado para a assessoria da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC).

Assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a portaria que anula a nomeação de Resende foi publicada em edicão extra do Diário Oficial da União de quinta-feira (17). A nomeação para o cargo de assessor do Ministro da Educação (MEC), assinada pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez, foi publicada no Diário Oficial de sexta-feira (18).

Em nota, o MEC informou que, como assessor, Resende atuará “em grupo especial de trabalho no âmbito do Inep que, entre determinadas atribuições, ajudará no acompanhamento, análise e direcionamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)”. A nota diz que a decisão foi tomada pelo ministro da Educação em conjunto com o presidente do Inep, Marcus Vinicius Rodrigues – indicado para o cargo na última segunda-feira (14).

 O MEC afirma que, com o remanejamento, o novo assessor especial “conseguirá desenvolver o trabalho de forma ampla e substantiva”.

O Inep é uma autarquia federal vinculada ao MEC, responsável por subsidiar a formulação de políticas educacionais federais. Compete à diretoria Avaliação da Educação Básica do Inep definir e propor parâmetros, critérios e mecanismos de realização das avaliações da educação básica e coordenar o processo de elaboração do Enem, entre outras ações articuladas com os sistemas estaduais e municipais de ensino.

Brasil já recebeu 1,1 milhão de imigrantes e 7 mil refugiados

sab, 19/01/2019 - 11:01

Ao entrar no Brasil, cada estrangeiro se apresenta às autoridades migratórias e informa o motivo da visita ao país. Se o motivo for turismo, o visitante recebe um visto válido por até dois meses. Se o objetivo for morar temporariamente no Brasil, é preciso preencher um cadastro pela internet para ter direito a permanecer no país por até dois anos. O visto é emitido em até cinco dias e pode ser renovado.

Imigrantes atendidos pela Operação Acolhida recebem comida em Boa Vista - Victor Ribeiro/Radiojornalismo EBC

Atualmente 1,1 milhão de pessoas estão em uma dessas situações.

Para ser reconhecida como refugiada – como 7 mil residentes no Brasil –, a pessoa precisa provar que sofre algum tipo de perseguição, por motivos como opinião política, nacionalidade ou religião. “Do ponto de vista jurídico, ambas as alternativas conferem direitos e garantias aos imigrantes”, afirma o diretor do Departamento de Migrações do Ministério da Justiça, André Furquim. “O nosso desafio é fazer com que o imigrante conheça a distinção entre ambos os institutos e, encarando a situação que está vivenciando, opte por aquela alternativa que lhe melhor convier.”

Devido à onda migratória na Venezuela, os postos de triagem montados pela Operação Acolhida nas cidades de Pacaraima e Boa Vista, ambas em Roraima, orientam quem cruza a fronteira. Agentes da ONU Migração prestam atendimento aos imigrantes sobre quais documentos são necessários para solicitar vistos de turista ou de residente, enquanto representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) informam sobre as circunstâncias para requerer o status de refugiado.

Em visita às instalações da operação, em Roraima, a secretária nacional de Justiça, Maria Hilda Marsiaj, disse que “os pedidos de refúgio se acumulam porque precisam ser analisados minuciosamente e, muitas vezes, já não cumprem os requisitos”. Entre as exigências está a de que a pessoa só pode retornar ao país de origem com a permissão das autoridades brasileiras. Sem a autorização, ela perde o direito ao refúgio.

“O pedido de refúgio é mais complexo, porque é preciso comprovar a existência desse temor e relatar pessoalmente para um servidor do Ministério da Justiça, que vai procurar saber se existe mesmo a realidade que o solicitante conta no país de origem dele”, explica o coordenador-geral do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), Bernardo Lafeté. O Conare é vinculado ao Ministério da Justiça.

*Victor Ribeiro é repórter da Rádio Nacional

Morre no Rio aos 53 anos o compositor MarceloYuka

sab, 19/01/2019 - 10:54

O compositor Marcelo Yuka, fundador da banda O Rappa, morreu no fim da noite desta sexta-feira (18), segundo a assessoria de imprensa do Hospital Quinta D'or. Ele estava internado em estado grave no hospital da zona norte do Rio de Janeiro desde o início de janeiro e sofreu um acidente vascular cerebral isquêmico na noite de ontem.

O compositor Marcelo Yuka, em entrevista à TV Brasil - Divulgação/TV Brasil

Nascido no Rio, Yuka tinha 53 anos e era cadeirante desde 2000, quando levou nove tiros e ficou paraplégico ao tentar impedir um assalto. A partir do episódio, ele aumentou sua participação em iniciativas de inclusão social por meio da música.

Marcelo Yuka integrou o grupo O Rappa de 1993 a 2001, atuando como baterista e compositor. Ele escreveu letras sobre temas como violência urbana, racismo e desigualdades sociais, com destaque para sucessos como Minha Alma, Me Deixa e Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro. Em 2004 ele fundou a banda F.UR.T.O. (Frente Urbana de Trabalhos Organizados).

Em 2012, o músico concorreu como candidato a vice-prefeito na chapa do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) à prefeitura do Rio.

Yuka já vinha sofrendo de problemas de saúde desde agosto do ano passado, quando sofreu outro acidente vascular cerebral.

Até o momento, não foram divulgadas informações sobre velório e enterro.

*Colaborou Ligia Souto, da Rádio Nacional

Explosão de oleoduto no México deixa pelo menos 20 mortos

sab, 19/01/2019 - 10:07

Pelo menos 20 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas com a explosão de um oleoduto da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) na cidade de Tlahueplilpan, no estado de Hidalgo, México. Em nota, a petrolífera informou que a explosão se seguiu a um incêndio provocado por um vazamento no duto Tuxpan-Tula e que as pessoas mortas e feridas tentavam recolher para si parte do combustível que vazou.

Explosao do oleoduto deixa 20 mortos e dezenas de feridos - Veronica Monroy/Reuters/Direitos Reservados

A explosão ocorreu no fim da tarde desta sexta-feira (18). As autoridades locais acionaram o plano de emergência, pedindo à população que seguisse as instruções de segurança e evacuando as proximidades. Os feridos com queimaduras mais graves foram transportados para hospitais da Cidade do México, a cerca de 100 quilômetros de distância.

Funcionários treinados da empresa estatal auxiliaram os bombeiros e as equipes de segurança no combate ao fogo e atendimento aos moradores de Tlahuelilpan afetados pelo incêndio. Pelo menos 11 ambulâncias e 15 médicos foram enviados para o local, além de equipes técnicas e veículos de outras unidades da Pemex.

No Twitter, o presidente do México, López Obrador, lamentou a “grave situação”, informando que, tão logo foi informado da explosão do duto, deu instruções para que todos os esforços fossem empenhados para controlar o fogo e atender às vítimas e suas famílias. “Convoco todo o governo a prestar auxílio à população local”, escreveu Obrador pouco antes de seguir para Tlahuelilpan a fim de visitar o local do incêndio.

San Juan del Rio

Houve outro incêndio em um duto da Pemex na cidade de San Juan del Rio, no estado de Querétaro, cerca de 100 quilômetros a noroeste de Tlahuelilpan. De acordo com a estatal, neste incêndio, não houve feridos, e as chamas foram debeladas por volta da meia-noite desta sexta-feira (18).

Embora a empresa garanta que o trecho afetado do duto Tula-Salamanca fica em uma zona despovoada, a ocorrência mobilizou guardas municipais, bombeiros, agentes da defesa civil e até homens do Exército, além de técnicos da própria empresa.

Ainda de acordo com a Pemex, o duto foi “vandalizado” e, assim como em Tlahuelilpan, pessoas tentavam furtar combustível do local. A empresa afirma que “seguirá reforçando as medidas de prevenção necessárias para acabar com o furto de combustível, colaborando com o combate a esse flagelo que prejudica o patrimônio de todos os mexicanos”.

Ainda de acordo com a estatal, o furto de combustível – prática que, no México, de tão comum, já deu origem a uma palavra de uso corrente, o chamado huachicoleo (roubo de combustível) - coloca em perigo a seguridade das comunidades próximas aos oleodutos e o abastecimento dos consumidores.

*Com informações da Pemex

OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019

sab, 19/01/2019 - 08:52

Surtos de doenças preveníveis por vacinação, altas taxas de obesidade infantil e sedentarismo, além de impactos à saúde causados pela poluição, pelas mudanças climáticas e pelas crises humanitárias. Estes são alguns dos itens que integram a lista das 10 principais ameaças à saúde global em 2019, divulgada nesta semana pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Altas taxas de obesidade infantil preocupam a OMS - Marcello Casal Jr./Arquivo/Agência Brasil

A entidade pretende colocar em prática um novo plano estratégico, com duração de cinco anos, com o objetivo de garantir que 1 bilhão de pessoas a mais se beneficiem do acesso à saúde e da cobertura universal de saúde; estejam protegidas de emergências de saúde; 1 bilhão desfrutem de melhor saúde e bem-estar.

De acordo com a OMS, são as seguintes as questões que vão demandar mais atenção da organização e de seus parceiros neste ano: Poluição do ar e mudanças climáticas

A estimativa da Organização Mundial da Saúde é que nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído todos os dias. Poluentes microscópicos podem penetrar nos sistemas respiratório e circulatório, danificando pulmões, coração e cérebro, o que resulta na morte prematura de 7 milhões de pessoas todos os anos por enfermidades como câncer, acidente vascular cerebral e doenças cardiovasculares e pulmonares.

Doenças crônicas não transmissíveis

Dados da entidade mostram que doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, são responsáveis por mais de 70% de todas as mortes no mundo – o equivalente a 41 milhões de pessoas. Isso inclui 15 milhões de pessoas que morrem prematuramente (entre 30 e 69 anos), sendo que mais de 85% dessas mortes prematuras ocorrem em países de baixa e média renda.

Pandemia de influenza

O mundo enfrentará outra pandemia de influenza – a única coisa que ainda não se sabe é quando chegará e o quão grave será. O alerta é da própria OMS, que diz monitorar constantemente a circulação dos vírus para detectar possíveis cepas pandêmicas.

Cenários de fragilidade e vulnerabilidade

A entidade destacou que mais de 1,6 bilhão de pessoas – 22% da população mundial – vivem em locais com crises prolongadas (uma combinação de fatores como seca, fome, conflitos e deslocamento populacional) e serviços de saúde mais frágeis. Nesses cenários, metade das principais metas de desenvolvimento sustentável, incluindo saúde infantil e materna, permanece não atendida.

Resistência antimicrobiana

A resistência antimicrobiana – capacidade de bactérias, parasitos, vírus e fungos resistirem a medicamentos como antibióticos e antivirais – ameaça, segundo a OMS, mandar a humanidade de volta a uma época em que não conseguia tratar facilmente infecções como pneumonia, tuberculose, gonorreia e salmonelose. “A incapacidade de prevenir infecções pode comprometer seriamente cirurgias e procedimentos como a quimioterapia”, alertou.

Ebola

No ano passado, a República Democrática do Congo passou por dois surtos de ebola, que se espalharam para cidades com mais de 1 milhão de pessoas. Uma das províncias afetadas também está em zona de conflito ativo. Em dezembro, representantes dos setores de saúde pública, saúde animal, transporte e turismo pediram à OMS e seus parceiros que considerem 2019 um "ano de ação sobre a preparação para emergências de saúde".

Atenção primária

Sistemas de saúde com atenção primária forte são classificados pela entidade como necessários para se alcançar a cobertura universal de saúde. No entanto, muitos países não têm instalações de atenção primária de saúde adequadas. Em outubro de 2018, todos os países-membro se comprometeram a renovar seu compromisso com a atenção primária de saúde, oficializado na declaração de Alma-Ata em 1978.

Vacinação

Segundo a OMS, a relutância ou a recusa para vacinar, apesar da disponibilidade da dose, ameaça reverter o progresso feito no combate a doenças evitáveis por imunização. O sarampo, por exemplo, teve aumento de 30% nos casos em todo o mundo. “[A vacina] é uma das formas mais custo-efetivas para evitar doenças – atualmente, previnem-se cerca de 2 milhões a 3 milhões de mortes por ano", diz a OMS. Além disso, 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas se a cobertura global de vacinação tivesse maior alcance.

Dengue

Um grande número de casos de dengue é comumente registrado durante estações chuvosas de países como Bangladesh e Índia. Dados da OMS mostram que, atualmente, os casos vêm aumentando significativamente e que a doença já se espalha para países menos tropicais e mais temperados, como o Nepal. A estimativa é que 40% de todo o mundo esteja em risco de contrair o vírus – cerca de 390 milhões de infecções por ano.

HIV

De acordo com a entidade, apesar dos progressos, a epidemia de Aids continua a se alastrar pelo mundo, com quase 1 milhão de pessoas morrendo por HIV/aids a cada ano. Desde o início, mais de 70 milhões de pessoas adquiriram a infecção e cerca de 35 milhões morreram. Atualmente, cerca de 37 milhões vivem com HIV no mundo. Um grupo cada vez mais afetado são as adolescentes e as mulheres jovens (entre 15 e 24 anos), que representam uma em cada quatro infecções por HIV na África Subsaariana.

Cultura japonesa é atração no próximo fim de semana no Rio

sab, 19/01/2019 - 08:00

O Rio de Janeiro recebe entre os dias 25 e 27 deste mês a segunda edição festival de cultura japonesa Rio Matsuri. O evento reunirá no centro de convenções Riocentro várias atrações da chanada Terra do Sol Nascente, como a gastronomia, as danças, as artes marciais e os origamis (técnica japonesa de reprodução de determinados seres ou objetos por meio de dobras do papel).

Oficina de origami em edição anterior do Japan Festival Rio Matsuri Tomaz Silva/Arquivo/Agência Brasil

Segundo o organizador do festival, Sérgio Takao Sato, o festival também terá espaço para manifestações culturais japonesas que se tornaram fenômenos da cultura pop mundial, como mangás (histórias em quadrinhos japonesas), animes (desenhos animados) e cosplays (fantasias de personagens).

Entre as atrações do festival está um concurso de cosplay e a degustação de saquês, o destilado feito com arroz que é a bebida nacional do Japão. Também haverá oficinas gratuitas de origami e mangá, esta com um dos principais artistas do gênero no país, Fábio Shin.

Também haverá um torneio de Pokemon TCG (jogo de cartas), que poderá garantir, aos participantes a possibilidade de pontuar para concorrer no mundial.

“O Brasil é o país que tem a maior comunidade japonesa fora do Japão. Apesar de o Rio de Janeiro ser um estado onde a presença dos descendentes não é tão grande quanto nos estados de São Paulo e do Paraná, a cultura japonesa está forte por conta, por exemplo, da gastronomia. Hoje tem mais restaurantes japoneses no Rio de Janeiro do que churrascarias”, disse Sato.

A expectativa é que 50 mil pessoas passem pelo festival, que será aberto às 17h de sexta-feira (25). No ano passado, foram 37 mil visitantes. Antes do festival, ainda neste domingo (20), está prevista uma ação de limpeza na Praia de Copacabana pela comunidade japonesa, além da apresentação musical de tambores tradicionais e do desfile de um grande dragão entre os postos 2 e 5, da Avenida Atlântica.

Prêmio da Mega-Sena pode chegar a R$ 33 milhões neste sábado

sab, 19/01/2019 - 07:45

O concurso 2.118 da Mega-Sena, que será sorteado na noite deste sábado (19), poderá pagar um prêmio de R$ 33 milhões a quem acertar as seis dezenas.

Aposta mínima é de seis dezenas e custa R$ 3,50 - Marcello Casal Jr./Arquivo/Agência Brasil

Também são distribuídos prêmios para os que acertarem quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas.

A aposta mínima, de seis números, custa R$ 3,50.

Os jogos podem ser feitos até as 19h (hora de Brasília) de hoje, em qualquer lotérica do país, ou pela internet, no site Loterias Online da Caixa Econômica Federal.
 

Ciclovia Tim Maia pode ser reaberta, diz perito designado pela Justiça

sex, 18/01/2019 - 23:42

De acordo com o laudo entregue ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) pelo engenheiro civil Antônio Vicente de Almeida Mello, a Ciclovia Tim Maia está em condições de ser reaberta. A informação foi divulgada hoje (18) pela Secretaria Infraestrutura e Habitação da capital fluminense.

O engenheiro avaliou as condições da ciclovia após ter sido designado como perito no âmbito da ação judicial que levou à interdição da via. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Habitação, algumas medidas que Mello sugeriu foram adotadas, entre elas a implantação de um protocolo de uso e de um sistema de monitoramento. 

"Outras ações recomendadas pelo profissional, como a elaboração de um plano de inspeções e o reparo de algumas estruturas, serão adotadas, mas não impedem a reabertura imediata da ciclovia", informou a pasta em nota.

O custo da perícia foi calculado em R$180 mil e deve ser pago pela prefeitura. O laudo entregue será objeto de análise no âmbito do processo. O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ainda vai avaliar o documento e apresentar sua posição, uma vez foi o autor da ação civil pública que levou à interdição da ciclovia. A prefeitura também já foi chamada a se manifestar. A reabertura depende de uma decisão do juiz Marcello Alvarenga Leite, que analisa o processo. Não há uma previsão de data para que isso ocorra.

Histórico

A ciclovia Tim Maia liga o Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro, até a Barra da Tijuca, na zona oeste. Em abril de 2016, parte de sua estrutura desabou após ser atingida por fortes ondas durante uma ressaca do mar. No episódio, duas pessoas morreram.

Após a tragédia, obras foram realizadas e a ciclovia chegou a funcionar parcialmente , mas em fevereiro de 2018 uma cratera se abriu  e parte dela afundou após a ocorrência de fortes chuvas. Na ocasião, a Justiça atendeu ao pedido do MPRJ  e determinou a interdição total que vigora até hoje.

Além da ação civil pública, tramita uma ação penal relacionada com o desabamento em que 16 pessoas respondem em liberdade por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Entre eles, estão profissionais do consórcio Concremat-Concrejato, responsável pela construção da ciclovia, e da Fundação Instituto de Geotécnica (Geo-Rio), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Obras.

Amistoso entre Brasil e República Tcheca será dia 26 de março

sex, 18/01/2019 - 22:57

O amistoso entre as seleções de futebol do Brasil e da República Tcheca foi marcada para o dia 26 de março, no Eden Arena, um dos mais modernos estádios do país europeu. Administrado pelo clube SK Slavia Praha, tem capacidade para 21 mil torcedores. O horário ainda não foi definido. O jogo, na cidade de Praga, faz parte da preparação que a Seleção Brasileira fará no mês para a Copa América Brasil 2019. 

Para o coordenador da seleção brasileira principal, Edu Gaspar, a República Tcheca permitirá que a comissão técnica faça avaliações importantes para este momento. “É um adversário que traz as características que a comissão técnica deseja para esse período de preparação visando a Copa América. Além disso, as estruturas de treinamento e jogo são ótimas e oferecem todas as condições”, disse.

Além dessa, o Brasil fará mais uma partida em março, mas as informações sobre o segundo amistoso devem ser divulgadas nos próximos dias, como também o dia da convocação para esses compromissos.

O jogo no dia 26 de março será o segundo da história das duas seleções. Na primeira, em 19 de dezembro de 1997, a Seleção Brasileira venceu por 2 a 0. Foi na semifinal da Copa das Confederações, no Estádio Rei Fahd, em Riad, Arábia Saudita. Antes, o Brasil tinha enfrentado 17 vezes a Tchecoslováquia, que foi dividida em República Tcheca e Eslováquia. 

Os ingressos para a Copa América 2019, que será disputada de 14 de junho a 7 de julho no Brasil já estão à venda. As partidas vão ocorrer em cinco cidades-sede e seis estádios: Mineirão (Belo Horizonte), Arena do Grêmio (Porto Alegre), Maracanã(Rio de Janeiro), Fonte Nova (Salvador) e Arena Corinthians e Morumbi (São Paulo). O sorteio dos grupos está marcado para quinta-feira (24), às 20h30 pelo horário de Brasília, na Cidade das Artes, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Páginas