Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 21 minutos 9 segundos atrás

Fala de ministro da Justiça foi precipitada, mas denúncia é séria, diz deputado

qua, 01/11/2017 - 20:24

As declarações do ministro da Justiça, Torquato Jardim, sugerindo que parte do comando da Polícia Militar do Rio teria ligações com criminosos foi precipitada, porém retrata o que ocorre em parcela da corporação. A avaliação é do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), que presidiu a Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) das Milícias, responsável por revelar esquemas de corrupção envolvendo policiais e políticos no estado em 2009.

“Foi uma fala precipitada, não foi fruto de uma investigação, de um documento. Ele falou sua opinião como cidadão, mas o problema é que ele é o ministro da Justiça. Então, não é uma opinião comum. Ouvindo essa história, tem que tomar alguma providência. Ele não poderia dar uma entrevista dizendo algo que não tem fundamento, por mais que algumas dessas coisas possam ser verdadeiras”, disse Freixo.

Em entrevistas a diferentes veículos, como o jornal O Globo e o portal UOL, o ministro disse que o comando de batalhões da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro seria definido por “acerto com deputado estadual e o crime organizado” e que “em algum lugar, voltamos a Tropa de Elite 1 e 2, onde alguma coisa está sendo autorizada informalmente", em referência ao filme de José Padilha.

Freixo lembra que a CPI mostrou, em 2009, esquemas de corrupção dentro da polícia. Como resultado da CPI, 226 pessoas foram indiciadas, incluindo 75 policiais civis e militares. “Nós sabemos que isso é muito antigo no Rio de Janeiro, e a própria CPI das Milícias indicou isso, que existe, sim, uma relação de corrupção, de domínio de territórios e de poder. A denúncia é muito séria”, declarou Freixo.

Sobre as declarações do ministro, o especialista em segurança pública e ex-comandante da PM do Rio, coronel reformado Ubiratan Angelo, reconhece que há problemas na corporação, mas frisou que as virtudes da tropa são muito maiores, embora nem sempre divulgadas.

“A fala dele não retrata a realidade. Pode ser que tenham inúmeras falhas, operacionais e administrativas, mas isso pode ocorrer em qualquer instituição, não é só na segurança pública. Mesmo que se tenha conhecimento de qualquer fato desabonador da PM, é errado pegar e generalizar. Quando ele fala que os comandantes da PM estão ligados ao crime organizado, está ofendendo a todos os oficiais”, destacou Ubiratan.

Mais cedo, em Brasília, o ministro classificou como “normais” as reações contrárias às suas afirmações. Ao ser questionado por jornalistas, o ministro não recuou em suas afirmações: “Sobre o Rio de Janeiro, não sei, já falei o que tinha que falar. Nenhuma reclamação. Reações são normais”, disse.

O governo do Rio protocolou hoje (1º) no Supremo Tribunal Federal (STF) uma interpelação judicial contra o ministro da Justiça, Torquato Jardim. A medida foi tomada em reação às declarações de Torquato publicadas. Na interpelação judicial, o governo do Rio de Janeiro defende que Torquato Jardim precisa comprovar todos os fatos para não responder pelos crimes de calúnia, injúria e difamação e também por prevaricação. O governo pede ainda que o ministro seja obrigado a descrever os fatos ilícitos a que fez referência, liste os nomes dos agentes públicos que teriam praticados os crimes alegados e apresente documentos que atestem a veracidade das informações.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Justiça não se manifestou ainda. 

Compartilhar:    

Governo do Rio apresenta no STF interpelação judicial contra ministro da Justiça

qua, 01/11/2017 - 20:10

O governo do Rio de Janeiro protocolou hoje (1º) no Supremo Tribunal Federal (STF) uma interpelação judicial contra o ministro da Justiça, Torquato Jardim. A medida foi tomada em reação às declarações de Torquato publicadas pela imprensa nos últimos dias. Em entrevistas a diferentes veículos, como o jornal O Globo e o portal UOL, o ministro disse que o comando de batalhões da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro seria definido por “acerto com deputado estadual e o crime organizado” e que “em algum lugar, voltamos a Tropa de Elite 1 e 2, onde alguma coisa está sendo autorizada informalmente", em referência ao filme de José Padilha.

Na interpelação judicial, o governo do Rio de Janeiro defende que Torquato Jardim precisa comprovar todos os fatos para não responder pelos crimes de calúnia, injúria e difamação e também por prevaricação. O governo pede ainda que o ministro seja obrigado a descrever os fatos ilícitos a que fez referência, liste os nomes dos agentes públicos que teriam praticados os crimes alegados e apresente documentos que atestem a veracidade das informações.

O pedido cita ainda trechos de entrevistas publicadas nas quais Torquato Jardim disse a jornalistas que existem dados do serviço de inteligência subsidiando suas afirmações. "É dever funcional do interpelado – via resposta a esta interpelação - comprovar todos os fatos que afirmou conhecer a partir de documentos oficiais", registra o documento.

O governo do Rio de Janeiro argumenta que os fatos criminosos mencionados pelo ministro devem se tornar conhecidos pelo princípio da publicidade, da moralidade e da indisponibilidade do interesse público. Para o governo, a interpelação é um meio de esclarecer as acusações para, num segundo momento, poder adotar medidas cabíveis.

Nesta quarta-feira, Torquato comentou a repercussão de suas declarações e classificou como “normais” as reações contrárias. Em nota, o governo do Rio de Janeiro já havia rebatido as afirmações e disse que não negocia com criminosos.

Deputados federais e estaduais do Rio de Janeiro também criticaram o ministro. O presidente da Assembleia do Estado do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB-RJ), chegou a publicar um vídeo nas redes sociais caracterizando as afirmações de mentirosas. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também desaprovou as declarações de Torquato Jardim e considerou ser irresponsável uma manifestação desse tipo sem provas.

A Agência Brasil pediu ao Ministério da Justiça uma posição oficial sobre a interpelação judicial apresenta pelo governo do Rio de Janeiro, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Reunião

A interpelação judicial foi anunciada pelo secretário de estado de Segurança, Roberto Sá, após um reunião com o governador Luiz Fernando Pezão. Também participaram do encontro o secretário da Casa Civil e do Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo da Silva; o vice-governador Francisco Dornelles; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Wolney Dias; além de outros coronéis e comandantes da corporação.

Em pronunciamento, Roberto Sá manifestou solidariedade à PM e disse que a interpelação não traz prejuízos para a relação com o governo federal. "Não interfere em nosso trabalho com o governo federal. Pelo contrário, toda ajuda é bem vinda. E o trabalho no nível operacional está transcorrendo de uma maneira espetacular", disse.

Ele também defendeu o coronel Wolney Dias. "Conheço ele há 34 anos. É um profissional com a carreira ilibada, com mais de 10 comandos operacionais, comandos intermediários, corregedor por duas vezes e integrante de missão de paz da ONU [Organização das Nações Unidas] no exterior. Além disso, está totalmente alinhado com as minhas diretrizes e é uma pessoa que goza da minha confiança", afirmou.

Wolney Dias tomou posse na semana passada como comandante-geral da PM e sua nomeação também foi criticada por Torquato Jardim. O ministro disse achar curioso que Roberto Sá não tenha optado por oficiais da ativa e sim por um coronel que já estava aposentado. O secretário de segurança afirmou haver outros coronéis capacitados para a função, mas alegou que nesse momento era necessária a experiência de Wolney Dias.

Coronel morto

Roberto Sá criticou ainda outra declaração de Torquato Jardim em que ele insinuou que a morte do coronel Luiz Gustavo Teixeira , então comandante do 3º Batalhão de PM, teria sido uma certo de contas. O oficial morreu baleado na última quinta-feira (26) quando o carro onde estava foi cercado por bandidos que atiraram contra o veículo. "A linha de investigação da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, instituição que respeitamos muito pela qualidade de seu trabalho, aponta que ele foi baleado quando reagiu a um roubo. E ele não pode estar aqui para se defender".

O assunto também foi abordado pelo comandante-geral da PM. "Acho um absurdo se levantar uma suspeita de um coronel que dedicou a sua carreira a dedicar bons serviços ao Rio de Janeiro. Um absurdo se levantar qualquer insinuação. Era uma pessoa muito querida, um profissional exemplar, e sua família não merece que sua imagem seja arranhada". Wolney Dias também rebateu as acusações do ministro Torquato Jardim. "Eu não comando uma horda. Eu comando uma legião de heróis que sangram diariamente, tingem o solo do estado em defesa da sociedade e da população à qual jurou defender".

Compartilhar:    

Rio registra 23 estabelecimentos comerciais como patrimônio cultural imaterial

qua, 01/11/2017 - 19:44

Confeitaria  Colombo  agora é patrimônio  cultural
de natureza imaterial do RioDivulgação/Colombo

Instituições tradicionais do centro do Rio, como a Confeitaria Colombo, A Mala Ingleza, o Rio Scenarium, o Angu do Gomes, o Bar Brasil, a Gráfica Marly, a Tabacaria Africana e a Charutaria Syria, estão entre os 23 estabelecimentos comerciais da região que o prefeito Marcelo Crivella registrou como Patrimônios Culturais de Natureza Imaterial da cidade. Segundo a prefeitura, o decreto publicado hoje (1º) busca requalificar os negócios tradicionais da área do chamado Rio Antigo.

A decisão do prefeito levou em consideração convênio firmado entre o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro (Sebrae-RJ), que fizeram estudos visando à preservação do comércio do centro da cidade, considerado referência cultural do município.

A lista inclui 21 comércios tradicionais do centro da cidade, um no bairro da Saúde e um na Gamboa, ambos localizados na zona portuária.

Reconhecimento

Para o presidente do Polo Rio Antigo, Carlos Thiago Cesário Alvim, o reconhecimento vem em boa hora porque a associação iniciou há mais de 20 anos a revitalização da região central, que se tornou símbolo da cultura da carioca e berço da boemia, sendo muito procurada por turistas e moradores da cidade.

“Apesar de todas as dificuldades que o empresariado enfrenta, ficamos muito honrados por este reconhecimento, que nos dá fôlego e robustez para continuar lutando pela nossa região e pela nossa cidade. Temos, entre as casas reconhecidas, os fundadores do Polo Novo Rio Antigo, o que faz esse título ainda mais especial para a gente. Esperamos que esse reconhecimento como Patrimônio Cultural traga mais atenção do Poder Público para a região e estimule ainda mais o fluxo de visitantes”, disse Alvim.

A prefeitura advertiu que o estabelecimento que não mantiver as características que o identificaram como representativo de atividade econômica tradicional e notável poderá ter o registro como bem cultural cancelado. Isso poderá acontecer também se o comércio encerrar suas atividades. Nos dois casos, a decisão caberá ao Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural, informou a prefeitura.

Compartilhar:    

BNP Paribas vence leilão e vai emprestar R$ 2,9 bilhões para governo do Rio

qua, 01/11/2017 - 19:34

O banco BNP Paribas foi o vencedor do leilão para emprestar R$ 2,9 bilhões ao governo fluminense, que ofereceu como garantia até 50% das ações da Companhia de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae). O empréstimo é uma antecipação de receita da privatização da Cedae e faz parte do plano de recuperação firmado pelo estado com o governo federal. Com esse dinheiro, o Rio pretende colocar em dia os salários atrasados dos servidores. 

O BNP Paribas foi o único a apresentar lance e atendeu a todas as credenciais exigidas. O banco propôs um taxa de juros do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), taxa cobrada em transferência entre bancos, de 145,7626%. A presidente da comissão do pregão, Melina Moreira Amato, perguntou se o banco poderia reduzir a proposta, porém a instituição não aceitou. Conforme determina o edital, o custo do empréstimo será pago pelo governo do estado depois de três anos

O leilão foi realizado no auditório anexo do Palácio Guanabara, sede do governo do estado, em Laranjeiras, na zona sul do Rio. 

Logo no início da sessão, representantes de servidores apresentaram documentos pedindo participação e tentando impedir a sessão, como um grupo da Cooperativa dos Trabalhadores da Cedae. Durante o leilão, houve manifestação de funcionários da companhia.

O leilão estava marcado para o dia 24, mas foi adiado duas vezes. A primeira vez para o dia 27 por causa de alterações técnicas no edital. Depois, foi suspenso por uma liminar, que foi derrubada ontem (31) pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), André Fontes, após atender recurso da Procuradoria-Geral do Estado e permitiu a realização do leilão nesta quarta-feira.

Compartilhar:    

Mdic diz que aumento de importações no ano sinaliza para retomada da economia

qua, 01/11/2017 - 19:16

O crescimento das importações do país no mês de outubro (média diária de US$ 651,2 milhões, contra US$ 568,8 milhões para o mesmo mês de 2016) e no acumulado do ano (elevação de 9,1% na comparação com o mesmo período do ano passado), é uma indicação da melhora da atividade econômica no futuro. A avaliação é do diretor de Estatísticas e Apoio às Exportações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Herlon Brandão.

Para ele, o crescimento das importações ao longo do ano é reflexo da atividade produtiva e da demanda interna por insumos para indústria e para o agronegócio. “Notamos um crescimento, pelo terceiro mês seguido, da importação de bens de capital. Isso é muito positivo, é investimento, e sinaliza uma melhora da atividade econômica no futuro”, disse ao apresentar, hoje (1º), o resultado da balança comercial do mês de outubro.

De acordo com Brandão, como o Brasil importa, principalmente, bens para atividade produtiva - como insumos industriais, máquinas para agricultura e bens de capital - o crescimento das compras no exterior demonstra que “o setor produtivo está demandando mais insumos para produção nacional e para exportação”.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), nos dez meses do ano, o Brasil importou US$ 125 bilhões. Destaque para óleos combustíveis, com saldo positivo de 89,2%; hulhas (+110,4%); circuitos integrados (+48,3%); naftas (+43,4%) e partes de aparelhos transmissores ou receptores (+58,7%).

Agronegócio

Em relação ao agronegócio, os destaques da balança comercial são para a exportação de soja e milho. De janeiro a outubro, foram vendidas 63 milhões de toneladas de soja e 21 milhões de toneladas de milho. “Até setembro, tínhamos queda do volume de milho exportado, agora temos aumento. Temos crescimento do volume exportado de carne de frango, de carne bovina, celulose e açúcar, que também estava em queda e agora passou a ter crescimento”, destacou Brandão.

Nas exportações de modo geral, o destaque fica por conta de celulose, açúcar, commodities minerais, assim como a venda de petróleo, devido ao crescimento da produção nacional e os preços dessas commodities, além dos produtos industrializados, com 12% dos manufaturados, motivado pela venda de automóveis acima de 50%, de veículos de carga e produtos siderúrgicos.

“O volume de exportações de automóveis cresce para toda a América Latina, especialmente, Argentina, México, Chile, Peru e Colômbia. As carnes, que no começo do ano tinham queda, agora, estão tendo aumento também”, disse Brandão.

A expectativa do governo  é que o país feche o ano com crescimento de 15% nas transações comerciais em relação a 2016. “Já temos dez meses e isso permite fazer um cenário para o ano: vamos ter desempenho positivo das exportações e importações e, certamente, a corrente do comércio brasileira vai encerrar com crescimento significativo. Já estamos com aumento de 15% do comércio como um todo, e esperamos encerrar com esse nível ou superior”.

Compartilhar:    

Internet fixa cresce 6% em doze meses, aponta Anatel

qua, 01/11/2017 - 19:11

Banda larga fixa registrou aumento em todos as unidades da federaçãoArquivo/ Agência Brasil

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou hoje (1º) os dados de acesso à internet fixa no país. Em setembro, o serviço ganhou 113.243 usuários, o que representa um aumento de 0,4% em relação ao mês anterior. No acumulado dos últimos doze meses, o aumento é de 1.575.470 usuários, um crescimento de 5,92%.

Entre as empresas, a Claro liderou o crescimento no mês de setembro, com 51.909 assinantes, acréscimo de 0,6%. Outros grupos que também obtiveram crescimento foram a Sercomtel, com 8.811 novos usuários (+4,84%), e a TIM, com 6.839 novos clientes (+1,76%).

Regional

Nos últimos 12 meses, houve aumento de usuários de banda larga fixa em todos as unidades da federação. Entre agosto e setembro, os maiores índices foram registrados em São Paulo (+0,53%), no Paraná (+0,72%) e em Minas Gerais (+0,44%). Quando analisado o último ano, estão na frente Rio Grande do Norte (+20,01%); Ceará (+16,42%) e Maranhão (+13,64%).

Em relação às tecnologias, as mais utilizadas nesse período foram xDSL, que tem como base os fios de cobre trançados utilizados por linhas telefônicas digitais comuns, e cabo, que utiliza as redes de transmissão de TV por cabo convencionais.

Compartilhar:    

Iniciativa facilita aproximação entre grandes empresas e startups

qua, 01/11/2017 - 19:10

Arena Criativa expõe desafios robóticos e novas tecnologias na Finit, em Belo Horizonte Welton Máximo/ABr

Na entrada de um dos espaços de negócios da Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Finit), um painel chama a atenção. Em tempo real, os mais bem avaliados recebem match (correspondência) e têm a classificação exibida. A cada segundo, o ranking muda, e alguém antes ignorado passa a atrair os holofotes.

O que parece um aplicativo de relacionamentos é, na verdade,  um critério de avaliação de empresas. Grandes companhias dão notas para as startups (pequenas empresas que vendem inovações tecnológicas), que sobem de nível conforme a pontuação. A iniciativa faz parte do Movimento 100 Open Startups, uma das principais plataformas de conexão entre os disseminadores de novas tecnologias e as empresas de maior porte.

Ontem (31) e hoje (1º), a companhia promoveu rodadas de encontros entre representantes de 100 grandes empresas e 200 startups de todo o país. Com reuniões cronometradas em 20 minutos, o objetivo era fazer as grandes companhias conversar com o maior número possível de empresas nos dois dias do encontro. Assim como nos aplicativos de encontro, um match significa interesse do grande empresário em continuar as conversas.

Segundo Bruno Rondani, CEO e fundador do Movimento 100 Startups, o contato pessoal acelera o fechamento de negócios e o desenvolvimento de novas tecnologias na economia brasileira. “A internet ajuda a divulgar a startup, mas os negócios continuam a ser fechados pessoalmente. Entre as capitais, São Paulo tem o maior número de startups no país, mas Belo Horizonte tem a maior densidade [ao dividir o total de empresas pelo número de habitantes]. A cidade é um celeiro de inovações”, afirmou.

Atrativos

Felipe  Schepers  e  Christian  Reed,  fundadores  da  startup  Opinion  Box    Welton  Máximo/Agência  Brasil

A iniciativa agrada aos donos de startups. Fundadores da Opinion Box, startup de Belo Horizonte que fornece soluções tecnológicas para pesquisas de opinião, Felipe Schepers e Christian Reed, dizem que o evento representa um catalisador no fechamento de negócios. “Num curto espaço de tempo, várias empresas grandes entram em contato com soluções bacanas. Num processo normal, demoraria muito para a gente ter acesso a esse tanto de empresas”, explica Reed.

Fundador da Kitutor, plataforma de educação online que oferece aulas em sites restritos, Antônio Pinto diz que iniciativas como a do Movimento 100 Open Startups trazem ganhos para toda a sociedade ao aproximar as ideias tecnológicas do mercado. “Num evento como esse, dois dias equivalem a um ano de reunião”, afirma. Ganhador de três concursos recentes de startups, Antônio Pinto ainda opera em fase de pré-venda, mas diz que fechou bons contatos que gerarão faturamento assim que a empresa for lançada, em janeiro.

Gerente executivo de Tecnologia e Inovação na mineradora Vale e vice-presidente da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), Luiz Eugênio Mello ressalta que a articulação entre o conhecimento produzido nas universidades e nas empresas iniciantes e o mercado é essencial para estimular o investimento em pesquisa e inovação, principalmente em um momento de crise econômica e de redução dos investimentos públicos.

“A mudança e a renovação nascem a partir da semente. Nesse sentido, as startups representam as empresas no estado nascente. A novidade vem de quem está começando. Quem já está estabelecido busca manter o mundo do jeito que é. Quem está buscando espaço tem de inovar”, ressalta.

Fundado em São Paulo há oito anos, o Movimento 100 Open Startups tem como objetivo fazer a ponte entre as grandes empresas e os detentores de inovação tecnológica. Ao se cadastrar no site http://www.openstartups.net, as startups passam a receber avaliações das empresas, em um mecanismo semelhante ao do painel exposto na feira, e são classificadas em cinco níveis. Somente a partir do nível 4, que indica negócios em andamento com grandes empresas, as startups são autorizadas a participar dos encontros presenciais como na Finit.

*O repórter viajou a convite da Anpei

Compartilhar:    

Aeroportos do Rio prevêem aumento de passageiros no feriado

qua, 01/11/2017 - 18:50

O Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão registra leve aumento no número de passageiros neste feriadoTânia Rêgo/Agência Brasil

Estimativas da Infraero apontam que são esperados 195.863 passageiros no Aeroporto Santos Dumont até a próxima segunda-feira (6), no feriado prolongado do Dia de Finados. O número representa aumento de 4,73% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 186.609 viajantes passaram pelo terminal carioca.

Já no Aeroporto Internacional Tom Jobim, deverão circular de hoje (1º) até a segunda-feira 285,8 mil passageiros, alta de 0,4% em comparação com o mesmo período de 2016. A média é de 15 mil passageiros a mais em relação ao fluxo de um período normal do aeroporto.

A concessionária RIOgaleão, que administra o Tom Jobim, informou que os voos internacionais terão, nesse período, aumento de 10,5%, movimentando 84,1 mil passageiros. O maior fluxo de passageiros de voos internacionais tem como origem Santiago (Chile), Miami (Estados Unidos) e Buenos Aires (Argentina). Entre os voos nacionais, os turistas são oriundos, principalmente, de Porto Alegre, São Paulo, Recife e Salvador.

Os turistas que chegarem hoje  à noite ao Rio de Janeiro pelo Aeroporto Tom Jobim serão recebidos por alunos da Escola Livre de Dança da Maré, que vão interagir com o público por meio de um flashmob, desenvolvido pelo coreógrafo Renato Cruz.

Brasil

De acordo com a Infraero, durante todo o feriado, o movimento nos 59 aeroportos administrados pela empresa deve crescer 4,2% em comparação a igual período de 2016. São esperados em torno de 1,9 milhão de passageiros, entre operações de embarques e desembarques.

 


 

 

Compartilhar:    

Itamaraty condena atentado em Nova York

qua, 01/11/2017 - 18:46

Homem invade faixa de ciclistas, atropela e mata oito pessoas em Nova York (Reuters/Direitos reservados)

O ministério das Relações Exteriores (MRE) condenou o atentado ocorrido na terça-feira (31) em Nova York e expressou seu pesar às famílias das vítimas do atropelamento no sudeste da Ilha de Manhattan. Em nota, o ministério também repudiou qualquer ato terrorista seja qual for a motivação.

“O governo brasileiro condena o atentado terrorista ocorrido ontem, 31 de outubro, em Nova York, que resultou na morte de pelo menos oito pessoas, entre os quais cinco argentinos, e deixou uma série de feridos. […] O governo brasileiro reitera sua condenação a todo ato terrorista, qualquer que seja sua motivação”, diz a nota.

Após expressar seu pesar às famílias dos oito mortos, dentre norte-americanos e argentinos, o ministério disse que não há, até o momento, brasileiros entre as vítimas. No entanto, informou que vai continuar “monitorando de perto a situação”.

O atentado ocorreu quando um homem, identificado como Sayfullo Saipov, atropelou com uma caminhonete várias pessoas, algumas delas em uma ciclovia, perto da margem do Rio Hudson. Até o momento, as autoridades confirmaram que uma pessoa supostamente vinculada com o atropelamento foi detida. A área fica a poucas quadras de onde ficavam as Torres Gêmeas, derrubadas por aviões em outro atentado terrorista, em 11 de setembro de 2001.

O autor do atentado é um homem de 29 anos, nascido no Uzbequistão, e que vive nos Estados Unidos desde 2010. Ele jogou uma caminhonete alugada contra pedestres e ciclistas, numa ciclovia movimentada. Só parou quando bateu em um ônibus escolar. Segundo testemunhas, ele desceu do veículo gritando “Allahu Akbar” (Deus é grande, em árabe), antes de ser baleado pela polícia.

Assistência a brasileiros

O MRE informou os números de contato do núcleo de assistência a brasileiros, à disposição para informações e esclarecimentos. O serviço está disponível de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 20h, pelos telefones +55 61 2030 8803 e +55 61 2030 8804, e pelo e-mail dac@itamaraty.gov.br . Nos demais horários, poderá ser contatado o telefone do plantão consular da Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras e de Assuntos Consulares e Jurídicos do Itamaraty: +55 61 98197 2284. Para casos de emergência, contatar o plantão do Consulado-Geral do Brasil em Nova York: + 1 646 403 2676.

 

Compartilhar:    

Mortes violentas têm aumento de 7,1% em setembro no Rio de Janeiro

qua, 01/11/2017 - 18:12

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou hoje (1º) que os casos de letalidade violenta (homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial) no estado do Rio de Janeiro tiveram aumento de 7,1% em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado, passando de 535 para 573.

Os dados fazem parte da pesquisa Incidências Criminais e Administrativas de Segurança do Estado do Rio de Janeiro referentes ao mês de setembro de 2017 e referem-se aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil durante o mês.

O roubo de veículo registrou aumento de 25,5% em relação a setembro do ano passado (de 3.439 em 2016 para 4.317 em 2017). Já o roubo de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) teve acréscimo de 0,3% em relação a setembro de 2016, passando de 11.165 para 11.195.

Em setembro, foram registradas 676 ocorrências de roubo de carga no estado, uma queda de 24,2% em relação ao mesmo mês do ano passado, em que foram registrados 892 casos. Segundo o ISP, esse número reforça uma tendência de queda observada no segundo semestre deste ano e é o quarto mês seguido de decréscimo em 2017.

Também foi registrada redução de 19,9% no roubo a estabelecimento comercial em relação a setembro de 2016, passando de 668 para 535.

De acordo com o instituto, nos primeiros nove meses do ano, foram apreendidas 6.606 armas no estado, sendo 393 fuzis – cerca de 25 armas de fogo e um fuzil por dia. Com os 46 fuzis apreendidos pelas polícias Civil e Militar em setembro, o número de apreensão de fuzis já ultrapassou os 371 apreendidos em todo o ano de 2016.

Compartilhar:    

Secretaria vai doar home theater que seria instalado em cadeia onde está Cabral

qua, 01/11/2017 - 17:53

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) decidiu doar todos os equipamentos da videoteca que seria instalada na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, zona norte do Rio, onde está preso o ex-governador Sérgio Cabral. Os aparelhos serão encaminhados para a organização Casa do Menor São Miguel Arcanjo, que funciona em Tinguá, no município de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

O material deve chegar na instituição ainda hoje (1°). O equipamento é composto de uma televisão de 65 polegadas, home theater, aparelho de DVD, além de centenas de filmes que seriam usados pelos internos da cadeia pública, que recebeu vários políticos do estado presos na Operação Lava Jato.

Ontem (31), o Ministério Público estadual abriu inquérito para investigar a instalação do equipamento na cadeia pública de Benfica. De acordo com a Seap, os eletroeletrônicos seriam doação da Igreja Batista do Méier. No entanto, a instituição esclareceu, por meio de nota, que não autorizou doação de aparelho eletrônico a qualquer complexo penitenciário.

A igreja disse ainda que investigará se algum membro da congregação se envolveu no episódio. “A Igreja tem por hábito rejeitar quaisquer ofertas, doações e legados, quando estes tenham origem, natureza ou finalidade que colidam com os princípios éticos e cristãos exarados na Bíblia Sagrada”, destacou em nota.

 


 

Compartilhar:    

Indicadores da indústria têm recuo em setembro, mas CNI diz que queda estancou

qua, 01/11/2017 - 17:49

O setor industrial amargou resultados negativos no mês de setembro, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em comparação com agosto, todos os indicadores registraram recuo, tais como faturamento, utilização da capacidade instalada, emprego, horas trabalhadas e massa salarial. Os dados integram a pesquisa Indicadores Industriais, que foi divulgada nesta quarta-feira (1º).

O faturamento da indústria caiu 0,9% de um mês para o outro, na série livre de influências sazonais. Este é o segundo mês consecutivo de queda no indicador. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o faturamento está 2,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2016. A situação, segundo a CNI, revela dificuldade da indústria para manter uma trajetória firme de crescimento, mas, por outro lado, indica que o ritmo de queda foi paralisado. “Não estamos descendo ladeira”, resume o economista da confederação Marcelo Azevedo.

O número de empregados na indústria caiu 0,1%. O economista da CNI argumenta que a indústria está demonstrando dificuldade em produzir e garantir postos de trabalho, por isso as demissões continuam ocorrendo, mas avalia que esse processo se dá, agora, em menor intensidade do que o que vinha sendo registrado.

Na comparação do acumulado no ano até setembro de 2017 e igual período de 2016, a queda chega a 3,4%. Segundo a CNI, a massa salarial real caiu 1,2%. No acumulado do ano de janeiro a setembro, a massa salarial está 2,4% abaixo do mesmo período de 2016. Já o rendimento médio real caiu 2,2% em setembro frente a agosto, mas o acumulado no ano até setembro é 1,1% maior que o registrado em igual período de 2016.

Tendo em vista esse período mais largo, Azevedo explica a diferença entre os resultados obtidos nos índices massa e rendimento pelo fato de, “por mais que, individualmente, cada um dos empregados esteja ganhando mais, o que tem efeito na inflação, a massa paga é ainda menor”. Ele acrescenta que a massa menor expressa que menos pessoas estão sendo pagas.

As horas trabalhadas na produção recuaram 0,1% em setembro frente a agosto. Nos últimos três meses, as mudanças não foram bruscas. O índice havia crescido 0,2% em julho e 0,1% em agosto. As horas trabalhadas recuam 2,7% frente a setembro de 2016 e caem 3% na comparação do acumulado entre janeiro e setembro de 2017 com igual período do ano anterior.

A indústria operou, em média, com 77,5% da capacidade instalada em setembro, na série livre de efeitos sazonais, uma queda de 0,2 ponto percentual na comparação com agosto. A utilização dessa capacidade de 2017 é idêntica ao que foi visto em 2016. Quanto a CNI compara o dado com a média para o período janeiro-setembro da série entre 2003 e 2015, a queda é de 4,2 pontos.

Apesar dos números negativos neste mês, a CNI afirma que a trajetória é de melhora, pois a sequência de quedas nos índices não se verifica mais. Azevedo expõe que, embora setembro tenha registrado variações negativas, elas não foram intensas. “Os indicadores todos que estamos avaliando mostram que está havendo estabilidade no crescimento. Isso significa que a gente parou de cair, mas ainda em um patamar lá embaixo, por isso há muito o que ser feito para crescer”, afirma.

Até o fim do ano, ele espera que setores como a indústria de transformação alavanquem o resultado e gerem um saldo positivo no crescimento industrial em 2017.

Depois, para o economista, é preciso garantir que, passada a recessão, seja recuperado o patamar de crescimento registrado pelo Brasil antes da crise econômica. “O dever de casa”, segundo ele, inclui qualificar trabalhadores, garantir energia e infraestrutura, além de preços acessíveis de insumos, entre outros itens.

Compartilhar:    

Mega-Sena pode pagar R$ 2,5 milhões no sorteio desta quarta-feira

qua, 01/11/2017 - 17:41

A aposta mínima da Mega-Sena custa R$ 3,50Arquivo/Agência Brasil

A Mega-Sena pode pagar R$ 2,5 milhões para o apostador que acertar os seis números que serão sorteados hoje (1º), no concurso 1.983.

A aposta mínima custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília), em uma das mais de 13 mil casas lotéricas do país. O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília), em Volta Redonda (RJ).

Também é possível participar do sorteio pela internet. Para isso, é preciso ter conta-corrente na Caixa e ter mais de 18 anos. O serviço está disponível diariamente, das 8h às 22h (horário de Brasília), exceto em dias de sorteio, quando as apostas terminam às 19h, retornando às 21h para o concurso seguinte.

Se apenas uma pessoa acertar as seis dezenas do concurso desta quarta-feira, receberá R$ 12,5 mil em rendimentos mensais se aplicar o prêmio na poupança. Com esse dinheiro, também é possível comprar 83 carros populares.

*Estagiária sob supervisão da editora Juliana Andrade

Compartilhar:    

Novembro azul lembra importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata

qua, 01/11/2017 - 17:18

Monumentos são iluminados em apoio à campanha Novembro Azul para chamar a atenção dos homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata Valter Campanato/Agência Brasil

O câncer de próstata é o foco de mais uma edição da campanha Novembro Azul, organizada pela Sociedade Brasileira de Urologia. O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. Somente entre 2016 e 2017, 61,2 mil novos casos foram estimados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Com o intuito de estimular a população masculina a superar a vergonha em relação ao assunto e cuidar da saúde, a campanha realiza diversas ações ao longo do mês. Em São Paulo, a programação, que começa na segunda-feira (5) e vai até dia 23, inclui mutirões para esclarecer dúvidas, uma caminhada e palestras. Em Brasília, será realizado na Câmara dos Deputados o X Fórum de Saúde do Homem, no dia 21. Por ocasião da campanha, como em anos anteriores, o Congresso Nacional e o Cristo Redentor serão iluminados de azul.

Os aspectos culturais, como o machismo, têm impacto no diagnóstico e controle da doença, muitas vezes associada com a perda da virilidade. Como consequência, há o isolamento e a baixa autoestima do paciente que, não raro, tem dificuldade para buscar ajuda e médica e durante o tratamento precisa se afastar das atividades laborais.

“A gente não consegue conversar porque as pessoas mudam de assunto rapidinho. De cara, a pessoa quer saber da vida sexual, não quer saber se você passa mal, se desmaia. Você fica meio invisível. Meu irmão mesmo disse: ‘Você é um câncer mais ou menos’, porque imagina-se que você tem que fazer aquela cara de dor, ou então, não considera que você tem câncer”, desabafa o assistente administrativo Liomardes Lino, que já passou por uma cirurgia para tratar a doença teve uma recidiva no ano passado, que o levou à radioterapia.

De acordo com dados do Inca, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos. Considerado novo para desenvolver a doença, Lino foi diagnosticado com o câncer de próstata aos 48 anos, em 2014. Foi por insistência de sua esposa que fez o exame chamado Antígeno Prostático Específico (PSD), que acusava um alto grau de anormalidade dos níveis esperados da proteína produzida pela próstata.

Exames de toque

Para o urologista Mário Fernandes Chammas Jr, a cultura machista da América Latina é um fator que atrapalha a detecção e, portanto, o tratamento da doença. Ele assegura que o exame de toque retal é simples e rápido, com duração de 5 a 10 segundos, e defende as consultas regulares ao médico. “Muitas vezes, o paciente acaba falando: ‘Era só isso?’. E perde o medo inicial.”

Além do tabu em relação ao exame, outro aspecto relevante é o fato de que a maioria de casos é assintomática. “É diferente de outros tipos de câncer, em que aparece algo no seu corpo, algo que provoca medo e te faz ir ao médico. Em larga maioria, só há sintoma quando já está muito avançado. Cabe ao médico procurar antes que chegue a esse ponto”, afirma.

Rede de apoio

Liomardes Lino participa atualmente de um grupo de homens que passaram ou passam pelo tratamento e trocam experiências por meio do aplicativo Whatsapp. Desse encontro, surgiu também a página Eu tive câncer de próstata, no Facebook, criada pelo representante de medicamentos Fernando César de Toledo Maia. Também diagnosticado com câncer de próstata, ele conta que se sentia isolado e lamentava não encontrar um canal de troca de experiências. "Senti necessidade de fazer porque não tive onde me apoiar, eu não conhecia histórias. A única história que ouvia era: 'você vai ficar impotente, incontinente’”, conta Maia.

Na opinião dele, o governo deveria realizar campanhas de impacto, como as que conseguiram reduzir o número de fumantes no país, para chamar atenção para a importância e a gravidade do tema. “A campanha deve comunicar a possibilidade de metástase [quando o câncer se espalha por outros órgãos]”, opina.

Ele relata que, mesmo no grupo, a preocupação principal dos integrantes é quanto aos possíveis efeitos colaterais do tratamento e que nenhum deles faz acompanhamento psicológico, embora muitos estejam enfrentando problemas com a família e depressão. “Eles não acreditam que a psicoterapia traria um retorno a esses problemas [sexuais]. Conheço um médico que havia casado com uma pessoa mais nova e que não quis se tratar porque achou que ia perder a virilidade”, diz.

Mário Fernandes Chammas Jr. esclarece que não é o câncer que leva a uma possível impotência sexual, mas sim o tratamento. “Nos tratamentos mais comuns no Brasil, a radioterapia e a cirurgia, quando você ataca a próstata, machuca os tecidos em volta dela, incluindo o nervo responsável pela ereção.”

Ele acrescenta que boa parte dos pacientes recupera a função, havendo a opção de aplicar medicamentos diretamente no pênis e, em último caso, utilizar uma prótese peniana. Em todos os casos, o urologista é o profissional médico qualificado para prescrever o método mais indicado.

Sintomas e prevenção

O médico explica também que o tipo mais comum de câncer de próstata é o adenocarcinoma. Na fase inicial da doença, são comumente identificados sangue na urina, dificuldade em urinar, diminuição do jato de urina e aumento da frequência ao banheiro.

Para investigar o câncer de próstata são feitos dois exames: o de toque retal, que avalia o tamanho, a forma e a textura da próstata, e o Antígeno Prostático Específico (PSD). Para confirmar uma suspeita sinalizada pelos dois testes, é feita uma biópsia, que consiste em analisar pequenos pedaços da glândula. A função da próstata é a produção de um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozóides.

Homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos têm maior chance de também desenvolvê-lo. Outros fatores de risco são sobrepeso e tabagismo. Praticar atividades físicas e manter uma alimentação saudável são formas de prevenir a doença.

Quando se manifesta da forma menos agressiva dos três níveis existentes, o paciente deve frequentar o médico a cada três meses e seguir uma rotina de exames laboratoriais, protocolo estabelecido por especialistas há cerca de dez anos.

Direitos do paciente com câncer

Os pacientes com câncer têm direito a receber auxílio-doença – se for afastado do trabalho por mais de 15 dias – e o saque do Programa de Integração Social e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep). Quem é atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) pode solicitar ainda o benefício chamado Tratamento Fora de Domicílio (TFD), valor que cobre despesas como transporte aéreo, terrestre e fluvial, diárias para alimentação e pernoite. No caso do TFD, a liberação depende da disponibilidade orçamentária do município ou estado. Alguns estados, como o Rio de Janeiro, asseguram ainda a gratuidade de ônibus intermunicipais, trem, metrô e barca. A lista dos completa dos direitos do paciente está disponível no site do Inca.

Compartilhar:    

Começa a campanha Novembro Azul, de conscientização sobre câncer de próstata

qua, 01/11/2017 - 17:14

Em  anos  anteriores,  prédios c omo  o Congresso Nacional,  em  Brasília, foram iluminados em azul

na  época  da  campanha  Arquivo/Agência Brasil

Depois do Outubro Rosa, iniciativa voltada para a conscientização sobre o câncer de mama, o que mais afeta as mulheres, tem início hoje (1º) o Novembro Azul, campanha destinada à prevenção do câncer de próstata.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), neste ano devem ser registrados 61,2 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. Dados do Ministério da Saúde indicam que 14.484 homens morreram em decorrência da doença no país em 2015. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

De acordo com o Inca, o câncer de próstata é considerado um tumor da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostram que 20% dos pacientes são diagnosticados em estágios avançados da doença, o que faz com a taxa de mortalidade chegue a 25% dos pacientes.

O Inca alerta que alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta, levando cerca de 15 anos para atingir 1 cm³, que não chega a dar sinais durante a vida, nem ameaçar a saúde do homem.

Em setembro, o Inca lançou uma cartilha que trata de aspectos gerais do câncer de próstata e aborda possibilidades e limites para detecção precoce, fatores que podem aumentar o risco da doença, além de sinais e sintomas do tumor.

Compartilhar:    

Postos da capital paulista abrem no feriadão para vacinar contra febre amarela

qua, 01/11/2017 - 17:05

As 37 unidades que estão em campanha de vacinação contra a febre amarela na zona norte da capital paulista vão abrir neste feriado de Finados (2), na sexta-feira (3) e no final de semana para atendimento ao público interessado em se vacinar.

No município de São Paulo, foi confirmada a presença do vírus da febre amarela em três macacos encontrados mortos: um no Horto Florestal (no último dia 20) e dois no Parque Anhanguera (24), ambos na região norte. A prefeitura ressalta que, até o momento, não há confirmação de caso humano de febre amarela adquirida na cidade.

Ao todo, 15 parques da capital paulista estão fechados, por tempo indeterminado, como medida preventiva após a morte dos macacos nos parques Anhanguera e do Horto Florestal. Além desses, os parques que estão interditados na cidade são: Senhor do Vale, Pinheirinho D’Água, Jacintho Alberto, Rodrigo de Gásperi, Jardim Felicidade, Cidade de Toronto, São Domingos, Tenente Brigadeiro Faria Lima, Lions Tucuruvi, Sena, Linear Canivete, Córrego do Bispo e da Cantareira.

Segundo informações da secretaria municipal de saúde de SP, desde dezembro de 2016, está ocorrendo um surto de febre amarela silvestre no Brasil, sendo que os estados mais atingidos são Minas Gerais e Espírito Santo. A febre amarela apresenta dois ciclos de transmissão distintos: a febre amarela urbana e a febre amarela silvestre.

“Todos os casos relatados no Brasil são de febre amarela silvestre, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, só encontrados em lugares de mata. Desde 1942, não há registro de transmissão de febre amarela urbana no Brasil”, divulgou a secretaria.

A lista de postos de vacinação que estarão abertas excepcionalmente no feriado e no final de semana está no site da prefeitura.

Os horários de funcionamento serão:
02/11 quinta – 8:00 as 14:00
03/11 sexta – 8:00 as 17:00
04/11 sábado – 8:00 as 17:00
05/11 domingo – 8:00 as 14:00

Compartilhar:    

Petrobras reajusta em 6,5% preço do gás para comércio e indústria

qua, 01/11/2017 - 16:57

A Petrobras anunciou hoje (1) um reajuste médio de 6,5% dos preços de comercialização às distribuidoras do gás liquefeito de petróleo (GLP) destinado aos usos industrial e comercial. O aumento entra em vigor nesta quinta-feira (2).

O reajuste não se aplica aos preços do GLP para uso residencial, o gás de cozinha, comercializado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (Kg).

Em nota divulgada esta tarde, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que o aumento de preço ficará entre 4,5% e 7,7% para o consumidor, dependendo do polo de suprimento.

Com o aumento de preços, a estimativa do Sindigás é que o valor do produto destinado a embalagens maiores que 13 Kg ficará 46% acima da paridade de importação.

 

Compartilhar:    

Balança comercial bate recorde para meses de outubro com US$ 5,2 bi de superávit

qua, 01/11/2017 - 16:21

A balança comercial brasileira teve superávit de US$ 5,2 bilhões em outubro, o que representa um recorde para o mês desde o início da série histórica do governo, em 1989. O resultado representa também o nono recorde mensal consecutivo. Os dados foram divulgados hoje (1º) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic).

De janeira a outubro, o saldo entre exportações e importações tem superávit de US$ 58,5 bilhões. Trata-se do maior superávit da série histórica, tanto para os dez primeiros meses do ano quanto para anos fechados.

Crescimento na exportação de commodities, como o minério de ferro, explica superávit recorde da balançaFoto Portal Brasil.gov.br / Ricardo Teles

Ao todo, as exportações no mês de outubro totalizaram US$ 18,9 bilhões, com valor médio de US$ 989,9 milhões. Já as importações somaram US$ 13,7 bilhões, com média diária de US$ 651,2 milhões.

As exportações representam o quatro maior valor para meses de outubro, e as importações ocupam o oitavo maior resultado para o mês.

De acordo com o diretor de Estatísticas e Apoio às Exportações da Secex, Herlon Brandão, a expectativa de superávit para ano foi ampliada de aproximadamente US$ 60 bilhões para cerca de US$ 65 bilhões a US$ 70 bilhões.

“Isso se justifica pelo desempenho das exportações. Temos US$ 30 bilhões a mais, com desempenho positivo de vários produtos, como a soja, minério de ferro, produtos siderúrgicos, tanto de volume, como de preços das exportações”, disse Brandão.

De acordo com o Mdic, o destaque da balança comercial no mês de outubro ficou por conta com exportação de minério de ferro, com crescimento de 59,9%; produtos semimanufaturados de ferro e aço (89%); máquinas e aparelhos para terraplanagem (127,5%); produtos laminados para ferro e aço (132,4%), e farelo de soja (45,4%).

As maiores reduções foram na venda de aviões (-US$ 57,3%), café cru em grão (-US$ 18,1%), tubos flexíveis de ferro ou aço (-US$ 30,5%), óleos combustíveis (-US$ 41,6%) e couros e peles (-US$ 11,9%).
 
Já nas importações, o destaque foram os bens de capital, que tiveram alta pelo terceiro mês consecutivo, o que não ocorria desde a sequência junho, julho e agosto de 2013. A expectativa do governo é que ocorram novos crescimentos nos próximos meses. Além disso, os bens intermediários apresentaram crescimento de 7,9%, categoria que vem tendo crescimento desde novembro de 2016.

Compartilhar:    

Páginas