Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 18 minutos 12 segundos atrás

Exposição em São Paulo reúne fotografias de cenas da região da Luz

sab, 17/11/2018 - 17:57

As derivas (intervenções artísticas) do fotógrafo Marcello Vitorino Luz, na parte central da capital paulista, resultaram na exposição Labirinto em Mim, aberta no Museu da Energia, nos Campos Elíseos, um dos bairros da região. A mostra busca justamente estabelecer um diálogo com esse território onde a instituição está inserida.

Os caminhos percorridos pelo fotógrafo durante a produção das imagens foram marcados em um desenho feito a partir do mapa da área. “As fotos estão saindo dessa área demarcada”, afirmou Vitorino sobre a organização do espaço expositivo, que ocupa três salas do museu.

O trabalho foi desenvolvido durante os seis anos em que vive na região. Entre a grande produção do artista, foram selecionadas 21 fotos para compor a exposição. “É pouco para o que eu produzi, mas acho que ocupou bem o espaço e deu essa sensação meio labiríntica”, disse.

Exposição Labirinto reúne fotografias de cenas da região da Luz, no centro de São Paulo. - Marcello Vitorino Luz/Direitos reservados

Vida pulsante

Com uma câmera de celular, ele vai registrando cenas marcantes das ruas do bairro. “É um caminhar solto. Eu simplesmente estou aberto para esses encontros. As fotografias são encontros que acontecem”, acrescentou sobre o processo de produção.

“Meu estúdio é perto da Rua São Caetano. Estava descendo uma vez e vi uma limousine rosa, que eles alugam para festas de debutantes, saindo e atravancando toda a rua. Uma cena inusitada. Jamais perderia isso”, esclareceu a respeito dos momentos que atraem a sua atenção.

Essas cenas são, na visão de Vitorino, formas da cidade mostrar sua energia e vitalidade. “São instantes que a cidade está sempre nos dando, nos lembrando que a vida está pulsando sempre, por mais que queiram nos convencer do contrário.”

Discrição como método

A escolha do celular como instrumento permitiu o fotógrafo trabalhar mais livremente em uma linha inspirada no célebre francês Cartier Bresson, famoso por captar instantes do cotidiano. “É uma ferramenta que tenho curtido. Resgata um pouco daquela invisibilidade bressoniana. Gosto dessa ideia de passar despercebido, sem ter alguém perguntando ‘para onde é [a foto]?’, sempre se intimidando com a sua presença” justificou a escolha.

Também integra a exposição a videoinstalação Fio de Ariadne, da artista Renata Roman. O nome faz referência a personagem mitológica que deu um novelo ao herói Teseu para que ele pudesse se orientar no labirinto da ilha de Creta e derrotar o Minotauro. Metade homem e metade touro, o monstro devorava jovens como tributo. A obra é composta por sons e imagens do chão da região.

O conjunto pode ser visto até o dia 2 de março na Alameda Nothmann, 184. De terça a sábado, das 10h as 17h.

Quase metade dos órgãos federais não tem unidades contra corrupção

sab, 17/11/2018 - 17:52

Faltando 14 dias para o fim do prazo que o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) concedeu para 197 órgãos e entidades federais estruturarem seus programas de integridade a fim de “prevenirem, detectarem, remediarem e punirem fraudes e atos de corrupção”, 79 ministérios, autarquias e fundações ainda não indicaram ao CGU sequer o nome dos responsáveis por coordenar e monitorar as futuras ações de controle interno. 

Segundo a Portaria 1.089/2018, que regulamenta a política de governança da administração pública federal, cada órgão deveria terconstituído sua própria unidade de gestão de integridade até 11 de maio deste ano, informando ao CGU os dados de ao menos um servidor destacado para atuar permanentemente na unidade, com acesso a todos os outros setores, inclusive aos mais altos escalões do órgão ou entidade. A portaria também estabelece 30 de novembro como data limite para que os programas de integridade sejam apresentados e aprovados a fim de serem postos em prática. 

A lista dos 197 órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional obrigados a constituir suas unidades de gestão de integridade está disponível no site do CGU. 

Governança

Entre os 79 entes federais que ainda não indicaram ter criado a unidade gestora estão a Presidência e a Vice-Presidência da República, além de ministérios como o das Relações Exteriores, Segurança Pública, Trabalho e dos Direitos Humanos, e as agências Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), de Mineração (ANM), do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Cinema (Ancine), entre outros órgãos  federais. 

Os 118 órgãos federais que informaram ter criado instâncias para estruturar, executar e monitorar seus programas internos de integridade e boa governança representam quase 60% dos 197 obrigados a constituir suas unidades de gestão.

Outras oito entidades federais que não constavam da relação inicial do CGU decidiram indicar suas próprias unidades gestoras, aderindo voluntariamente ao programa de integridade. São elas a Escola Superior de Guerra (ESG), Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD), Hospital das Forças Armadas (HFA), Hospital Federal de Ipanema (HFI) e o Instituto Nacional de Cardiologia. 

Unidades gestoras

A obrigação de indicar a criação da unidade gestora era uma das exigências que os 197 órgãos federais deveriam ter cumprindo dentro da primeira fase de estruturação de seus programas de integridade, encerrada 15 dias após a publicação da Portaria 1.089, ou seja, em 11 de maio. A segunda fase do programa termina no próximo dia 30.

Pela portaria ministerial, até lá, os órgãos e entidades listados pela CGU deverão aprovar seus planos, que deverão conter os objetivos, as ações de estabelecimento das unidades gestoras e a forma como estas atuarão, além da indicação dos principais riscos para a integridade institucional e as medidas para saná-los. A portaria também estabelece que o plano de cada órgão deverá ser revisado periodicamente. 

Durante a terceira e última fase de estruturação do programa, os órgãos e entidades federais deverão executar as medidas previstas no plano de ação aprovado, monitorando seu cumprimento. Também deverão procurar expandir o alcance de seus programas de integridade para as políticas públicas que implementarem, bem como para seus fornecedores e outras organizações públicas ou privadas com as quais mantenham relação. 

Presidência

Questionado a respeito do fato de 40% dos órgãos e entidades ainda não terem indicado a unidade de gestão de integridade, o CGU informou que “trabalha para que o maior número possível deles” não apenas indiquem a criação da unidade gestora, mas aprovem seus planos de trabalho até o próximo dia 30.

O ministério acrescentou que eventuais descumprimentos da portaria ministerial serão tratados no âmbito de futuras auditorias, lembrando que não lhe compete atuar junto à Presidência da República e aos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores e órgãos a eles vinculados. 

Consultada na sexta-feira (16), a Presidência não tinha se manifestado até o momento da publicação da reportagem.

 

Mais Médicos: Associação Médica Brasileira cita “retaliação” cubana

sab, 17/11/2018 - 15:50

A Associação Médica Brasileira (AMB) qualificou de retaliação a decisão do governo cubano de romper o acordo firmado com o Brasil no âmbito do Programa Mais Médicos e retirar os intercambistas do país.

Em nota divulgada hoje (17), a AMB diz que o governo brasileiro transferiu “de forma temerária” para Cuba parte da responsabilidade pelo atendimento na atenção básica e que isso deixou o Brasil “submisso aos humores” do governo de outro país. “Os impactos negativos previstos são os que estamos comprovando agora”.

No comunicado, a AMB afirma que o programa foi criado a partir de uma premissa equivocada: a de que não havia médicos em número suficiente no Brasil. O que não existe, segundo a entidade, são políticas públicas que atraiam e fixem esses profissionais nos municípios – sobretudo os menores e os mais distantes dos grandes centros.

“O governo brasileiro acabou lançando mão de importação de mão de obra, trazida numa condição análoga à escravidão: obrigada a abrir mão de mais de 70% do que o Brasil desembolsava e alocada independentemente das condições de trabalho existentes”. lembra a Associação Médica.  

Para a AMB, resolver a questão que envolve a oferta de médicos em locais de difícil provimento ou de difícil acesso não é algo a ser feito por meio de ações paliativas. De acordo com a nota, a  solução definitiva passa pela criação de uma carreira médica de Estado.

Os atuais 458.624 profissionais contabilizados no Brasil atualmente são classificados pela entidade como suficientes para atender às demandas da população. “Essa crise será resolvida com os médicos brasileiros”, destacou a AMB. “Não vamos aceitar esta sabotagem com o povo brasileiro”, conclui o comunicado da associação.

Ações emergenciais

O documento sugere ainda como ações emergenciais para a serem adotadas em meio à “crise deflagrada” na saúde a reformulação e reforço do Piso de Atenção Básica; aumento do valor repassado pela União para a atenção básica para que municípios consigam contratar médicos na própria região; mudanças na forma de cálculo, garantindo mais recursos para municípios menores; e reforço do atendimento em áreas indígenas e de difícil acesso.

A AMB propõe também que se aumente o investimento nas Forças Armadas para aproveitar a experiência destas tanto em áreas de difícil acesso quanto em áreas indígenas, levando médicos e toda a infraestrutura de saúde necessária a essas localidades. Para tanto, a União utilizaria os atuais médicos das Forças Armadas, incrementaria o efetivo por concurso e selecionaria também novos médicos oficiais voluntários para atuar de forma temporária.

Outras sugestões são incentivar a adesão de médicos jovens ao Mais Médicos e promover mudanças no edital do programa, que será lançado em breve, conforme anunciado pelo Ministério da Saúde, criando subsídios e incentivos a profissionais jovens com dívida no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). No período em que estes médicos atuarem no programa, as parcelas do financiamento ficariam suspensas. Além disso, haveria o benefício de descontos no montante geral da dívida, de acordo com o tempo de permanência e o município ou região escolhido (quanto menor o município ou de mais difícil provimento, maiores os descontos).

A Associação Médica Brasileira alerta que é preciso garantir a esses méidicos mesmas condições ofertadas aos cubanos até então: moradia, alimentação e transporte.

EUA elogiam postura de Bolsonaro na questão do Mais Médicos

sab, 17/11/2018 - 15:16

O Conselho de Segurança dos Estados Unidos elogiou o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, por sua posição em relação aos profissionais cubanos no programa Mais Médicos.

Governo de Cuba considerou ofensivas declarações de Bolsonaro sobre médicos cubanos - Arquivo/Agência Brasil

“Elogiamos o presidente eleito do Brasil, @JairBolsonaro, por tomar posição contra o regime cubano por violar os direitos humanos de seu povo, incluindo médicos enviados para o exterior em condições desumanas”, disse o conselho, em sua conta oficial no Twitter, na noite desta sexta-feira (16). A postagem tem uma versão em português e outra em inglês.

O conselho é um órgão ligado diretamente ao presidente americano com a responsabilidade de assessorar em questões de política externa e segurança nacional.

Também pelo Twitter, na quinta-feira, a secretária assistente do Departamento de Estado (o órgão de diplomacia dos Estados Unidos), Kimberly Breier, também elogiou Bolsonaro. “Que bom ver o presidente eleito Bolsonaro insistir em que os médicos cubanos no Brasil recebam seu justo salário em vez de deixar que Cuba leve a maior parte para os cofres do regime”, escreveu Kimberly no Twitter.

No último dia 14, o governo de Cuba informou que deixará de fazer parte do programa Mais Médicos. A justificativa do Ministério da Saúde cubano é que as exigências feitas pelo governo eleito são “inaceitáveis” e “violam” acordos anteriores. O presidente eleito Jair Bolsonaro disse, em sua conta do Twitter, que a permanência dos cubanos está condicionada à realização do Revalida pelos profissionais, Revalida é o exame aplicado aos médicos que se formam no exterior e querem atuar no Brasil.

“Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e à liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou", disse o presidente eleito, na rede social, no dia 14. "Além de explorar seus cidadãos, ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos", publicou.

O programa foi criado em 2013, na gestão da presidente Dilma Rousseff, para levar médicos a regiões distantes e periferias do país. A vinda dos médicos cubanos foi acertada em convênio firmado entre os governos do Brasil e de Cuba, por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), e que dispensava a validação do diploma dos profissionais.

"Graças a Deus"

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) publicou hoje (17) em sua página no Twitter que no Brasil “graças a Deus temos internet para ter informação e desenvolvimento”. A mensagem foi uma resposta ao governo de Cuba, que decidiu, na última quarta-feira (14), retirar seus profissionais do Programa Mais Médicos, do governo federal. Em Cuba, o acesso à internet é limitado.

O governo cubano alegou que as declarações feitas por Bolsonaro sobre a continuidade do programa foram “ameaçadoras e depreciativas”. O presidente eleito exigiu que os profissionais cubanos fizessem o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) para continuar no programa. O Revalida é um exame realizado anualmente para validar diplomas expedidos por universidades estrangeiras para médicos que precisam exercer a profissão no Brasil.

A segunda etapa do Revalida 2017 será realizada hoje (17) e amanhã (18), em Brasília, Curitiba, São Luís, Manaus e Belo Horizonte.

 

Secretaria aguarda documento para libertar delator de Sérgio Cabral

sab, 17/11/2018 - 14:14

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) informou hoje (17), por meio de sua assessoria de imprensa, que está aguardando a entrega do documento oficial para formalizar a libertação de Carlos Miranda, apontado pelo Ministério Público Federal como operador financeiro do esquema de corrupção comandado pelo ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (MDB).

De acordo com a SEAP, o documento apresentado pelos advogados do preso não estava correto, o que impediu a soltura de Miranda nessa sexta-feira (16).

A defesa de Miranda informou no início da tarde deste sábado que vai protocolar um habeas corpus no plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), requerendo o relaxamento da prisão, tendo em vista a sua “manifesta ilegalidade”.

Carlos Miranda foi operador financeiro do esquema comandado pelo ex-governador Sérgio Cabral - Antônio Cruz/Arquivo Agência Brasil

 

Violação

Miranda permanece na unidade prisional. A perspectiva da advogada Fernanda Freixinho é que Carlos Miranda seja libertado somente na segunda-feira (19).

Ontem, os advogados de Miranda afirmaram, em nota distribuída à imprensa, que “o presídio de Benfica informa que não vai liberar o colaborador, tendo em vista que a Vara de Execuções Penais não instruiu adequadamente o pedido, constando ainda mandados de prisão expedido pela 13ª Vara de Curitiba, que já foi dado baixa pelo Dr. Moro e que é justamente o objeto do processo de execução penal”.

Segundo os advogados, “a não liberação do colaborador na data estabelecida implica em violação, por parte do Estado, ao acordo homologado pelo ministro Dias Toffoli (presidente do Supremo Tribunal Federal-STF). A defesa gostaria de mostrar sua indignação com o flagrante descumprimento do acordo por parte dos entes estatais”, acrescentram os advogados.

Delação

O delator Carlos Miranda, ex-assessor de Sergio Cabral, obteve o direito de cumprir o restante de sua pena em casa. Ele foi preso há dois anos, a partir do início da Operação Calicute, em novembro de 2016.

Desde então, foi condenado em seis processos diferentes e suas penas somavam 78 anos de prisão. No entanto, um acordo de delação premiada foi firmado com o MPF e homologado pelo STF em dezembro do ano passado, reduzindo a pena para sete anos.

"Miranda ficará dois anos em regime domiciliar fechado. Posteriormente, cumprirá um ano e meio no domiciliar semiaberto e um ano e meio no domiciliar aberto. Nos dois últimos, poderá sair de casa para realizar cursos e trabalhar", informou seus advogados. O uso de tornozeleira eletrônica será obrigatório. Ele também deverá pagar à Justiça uma multa no valor de R$ 4 milhões. Conforme a defesa, o valor já foi disponibilizado.

A delação de Carlos Miranda tem subsidiado novas investigações. Informações fornecidas por ele contribuíram para a deflagração da Operação Furna da Onça na semana passada, na qual foram presos sete deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). 

Secretário diz que está aliviado com avanço do escoramento em viaduto

sab, 17/11/2018 - 13:56

O secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras de São Paulo, Vitor Aly, disse hoje (17) que está “mais aliviado” com a situação do viaduto na Marginal Pinheiros, que cedeu cerca de dois metros na última quinta-feira (15), já que os trabalhos de escoramento estão avançando.

“O escoramento é uma estrutura passiva e só vai segurar a estrutura na hora em que ela se deformar e encostar nele. Ela está esperando o viaduto encostar, o que está ocorrendo devagar. Essa deformação está dentro do que a gente estava esperando”, disse.

Segundo o secretário, e ontem à noite até a manhã deste sábado houve novamente uma movimentação na estrutura em função da diferença de temperatura. “Tivemos uma variação de temperatura e, como era esperado, a estrutura é projetada para isso, houve uma movimentação. Tivemos um recalque [rebaixamento] do lado direito de três milímetros, representando um centímetro no acumulado desde o início dos trabalhos de escoramento. Do lado esquerdo, registramos 1,2 centímetro acumulado [de rebaixamento]”.

Prioridades

Na manhã de ontem (16), a estrutura já tinha sofrido uma movimentação de sete milímetros e, por isso, as ações para escoramento da estrutura foram aceleradas. Hoje, 75 funcionários trabalham no local.

O secretário voltou a informar que a prioridade é a segurança dos trabalhadores e do viaduto. “Estamos tomando todas as medidas de segurança. Nossa prioridade é a segurança. Primeiro, a segurança das pessoas que estão trabalhando, segurança da estrutura, segurança da preservação da linha da CPTM. Todas as medidas estão sendo tomadas no sentido do escoramento para abreviar a interrupção da CPTM e para a segurança dos operários.”

Devido a trepidação causada à estrutura, a circulação de trens da Linha 9-Esmeralda da CPTM, que passa sob o viaduto, foi interrompida entre as estações Pinheiros e Ceasa desde a manhã de ontem. As estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária estão fechadas. O sistema de ônibus gratuito Paese foi acionado e faz a integração no trecho interrompido.

Comitê

“Nosso objetivo é liberar o mais rápido possível a linha da CPTM”, disse o secretário. No entanto, ele informou que testes com os trens da CPTM só devem ocorrer depois que o escoramento estiver completo.

“Vamos dar andamento ao macaqueamento [movimentação da estrutura para que ela retorne ao nível ideal] da estrutura, que não é solução de consertar o problema. É só para aliviar a tensão do pilar rompido, de forma que a gente preserve a segurança de quem está trabalhando e a do tabuleiro”, acrescentou.

Conforme o secretário, a equipe não teve acesso ainda ao interior da estrutura do viaduto, o que inviabiliza identificar o tamanho do dano causado. “O prefeito já anunciou um comitê de crise, está estabelecido em função da gravidade do problema que estamos aqui acompanhando”.

A avaliação dentro da estrutura só será feita quando a equipe considerar que a estrutura está estável. O secretário lamentou o fato de o degrau formado pela parte do viaduto ter sido pichado, já que a estrutura está comprometida. Ele informou que os dois autores da ação foram presos pela Guarda Civil Municipal.

Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos

sab, 17/11/2018 - 13:39

O incêndio na Califórnia, iniciado há sete dias, já é considerado o maior da história do estado. Equipes de busca encontraram na madrugada de hoje (17)  mais restos mortais no norte, aumentando para 74 o número de mortes confirmadas. O presidente Donald Trump visita o estado neste sábado.

Mais de mil pessoas estão desaparecidas, segundo as autoridades, a maioria no condado de Butte, no Norte. Thom Porter, chefe de Planejamento Estratégico do Departamento de Proteção Florestal e Proteção contra Incêndios da Califórnia, informou que o número de mortos vai aumentar na medida em que as equipes de busca avançarem na tarefa de vasculhar as mais de 12 mil estruturas destruidas pelas chamas.

"Este é de longe o mais mortal incêndio que enfrentamos", afirmou Porter em uma entrevista no começo da manhã. "Infelizmente a quantidade de vítimas vai piorar. O número de vai subir", acrescentou.

Para autoridades da Califórnia, o número de vítimas do incêndio deve aumentar - REUTERS/Stephen Lam / direitos reservados

Nessa sexta-feira 16), o governador da Califórnia, Jerry Brown, visitou regiões bastante afetadas, como a cidade de Paradise, onde já há menos focos de incêndio, mas a destruição deixada foi superior a 57 mil hectares. Na região, 30 mil pessoas perderam as casas. 

Visita de Trump

Em um primeiro momento, Donald Trump criticou no Twitter o manejo florestal do estado, culpando as autoridades pelo incêndio. Depois, recuou e mudou o tom sobre o incêndio.

Na visita de hoje, ele deverá sobrevoar a região alcançadas pelos incêndios no estado e um abrigo onde estão moradores de áreas atingidas. 

O governador Jerry Brown, que é um democrata, conversou quarta-feira (14) com Trump. "O presidente prometeu todos os recursos do governo federal para ajudar no esforço de recuperação", comentou Brown no Twitter. 

Saúde pública

A Califórnia também está com estado de emergência de saúde pública desde quarta-feira. Os incêndios forçaram a evacuação de pelo menos dois hospitais e e oito outras unidades de saúde.

Um alerta de fumaça foi emitido para partes do condado de Los Angeles. De acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, a preocupação das autoridades é que a fumaça dos incêndios possa representar uma "ameaça significativa à saúde" de pessoas com asma e outras condições pulmonares.

SBU quer incluir times de futebol na prevenção ao câncer de próstata

sab, 17/11/2018 - 13:07

No dia nacional de combate ao câncer de próstata, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) amplia ações no sentido de vincular a campanha anual de conscientização dos homens à prevenção da doença junto aos órgãos públicos, de modo que eles autorizem a iluminação de todos os monumentos em alusão ao Novembro Azul, iniciado em 2004, na Austrália. Isso ocorreu com a Arquidiocese do Rio de Janeiro em relação ao Cristo Redentor.

De acordo com o secretário-geral da SBU, Alfredo Canalini, a instituição está levando também a campanha de conscientização sobre o câncer de próstata aos times de futebol. Além disso, a SBU disponibiliza equipes que podem ir às empresas dar palestra e instruções aos homens sobre as condutas que devem ser tomadas para evitar mortes por câncer de próstata, além de outros aspectos da saúde do homem.

É feita ainda divulgação aberta nas companhias para que elas permitam que os funcionários usem botons ou laços azuis em suas roupas, lembrando da campanha que continua ao longo de todo o mês de novembro.

Saúde do homem

No próximo dia 20, representantes da SBU participam do 11º Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O Fórum acontece todos os anos por sugestão da entidade para discussão da saúde do homem. Este ano o tema é “A saúde do homem do campo”.

Alfredo Canalini informou que a SBU desenvolve ações com a Frente Parlamentar de Saúde do Homem. “Nossa ação é sempre no sentido de fazer que o programa de assistência médica à saúde do homem, que foi publicado em 2007 pelo governo federal, seja colocado em prática”.

A SBU já encaminhou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, documento salientando a necessidade de ações em nível de saúde pública, “que não são caras, mas podem resgatar alguns pacientes de doenças, especialmente os mutilantes, entre eles o câncer de pênis, que existem em regiões mais pobres do Brasil, como o interior do Maranhão e do Piauí, e que são doenças que atrapalham muito a qualidade de vida do homem.

Conforme dados do Datasus, do Ministério da Saúde, 1.6 mil são amputados por ano no Brasil.

Higiene

Canalini esclareceu que os homens podem evitar o câncer de próstata fazendo a higiene adequada na região genital e por meio da retirada do prepúcio, quando o paciente tem uma fimose e não consegue puxar a pele que recobre a ponta do pênis, de modo a fazer uma higiene correta no local e evitar infecções que acabem lesionando a pele e se transformando em câncer.

Em relação à próstata, a recomendação da SBU é que os homens devem procurar um urologista para fazer o primeiro exame aos 50 anos de idade, com o objetivo de detectar precocemente o câncer nesse órgão. Caso o homem seja do grupo de risco, a orientação é que o primeiro exame da próstata seja feito a partir dos 45 anos de idade.

Esse grupo de risco inclui pessoas do sexo masculino com histórico de câncer de próstata na família; homens obesos com índice de massa corporal acima de 35; e pacientes afrodescendentes, já que estudos mostram que o negro tem mais tendência de ter câncer de próstata.

Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

sab, 17/11/2018 - 12:24

A prefeitura de Mariana (MG) não vai desistir da ação que move na Justiça do Reino Unido em busca de uma indenização integral pelos danos sofridos em decorrência do rompimento da barragem da mineradora Samarco. A desistência do processo é uma exigência da Fundação Renova para que os municípios atingidos recebam R$ 53 milhões em ressarcimento aos gastos extraordinários efetuados após tragédia na Bacia do Rio Doce, que completou três anos na semana passada.

"Dinheiro que mineradoras devem ao município não é meu, é da população", diz Duarte Júnior – Arquivo/Agência Brasil

O prefeito Duarte Júnior disse à Agência Brasil que tentará dialogar com a Fundação Renova para resolver o impasse. Se não houver solução, o município irá à Justiça para buscar a liberação dos recursos. "Estão querendo que desistamos dos nossos direitos para receber algo que já está acordado. As mineradoras estão achando que vão colocar cabresto nos prefeitos", afirmou Duarte Júnior.

A Fundação Renova é responsável pela gestão de todos os esforços para reparação dos danos e foi criada conforme Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) assinado em março de 2016 entre a Samarco, suas acionistas Vale e BHP Billiton, a União e os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. Esse acordo também definiu as ações a serem implementadas com recursos das mineradoras.

Uma delas diz repeito ao ressarcimento dos gastos extraordinários de 39 municípios dos dois estados com a mobilização de funcionários da prefeitura e da Defesa Civil além da jornada regular de trabalho, com aluguel de tratores para reabrir estradas, com alojamentos improvisados para os desalojados, com o abastecimento alternativo de água e com serviços emergenciais, entre outos serviços.

De acordo com Duarte Júnior, no cálculo dos municípios, o montante era de R$ 83 milhões. Para agilizar a liberação dos recursos, os prefeitos concordaram com a estimativa de R$ 53 milhões apresentada pela Fundação Renova. Cerca de R$ 41 milhões são apenas para cidades mineiras e R$ 12 milhões para cidades mineiras e capixabas. "Abrimos mão do valor que calculamos porque não queremos que se torne uma grande batalha judicial, o que só prejudicaria a população", disse o prefeito.

As exigências da Fundação Renova para o pagamento dos recursos constam de termo de quitação enviado aos municípios, que foram pegos de surpresa. O assunto entrará na pauta do Fórum Permanente dos Prefeitos do Rio Doce, que se reúne na próxima semana. "Algumas prefeituras até pensam em assinar porque a cobrança da população é grande, e elas precisam de recursos para pagar dívidas, 13º salário e honrar outros compromissos. No meu caso, não vou abrir mão dos direitos que a cidade tem. O dinheiro que as mineradoras devem ao município não é meu, é da população", afirmou Duarte Júnior.

A Fundação Renova informou que aguarda a entrega dos documentos e que, uma vez recebidos, o prazo para transferência dos recursos será de 30 dias. "Os pagamentos às prefeituras serão feitos mediante o envio do termo de quitação assinado e a emissão do Documento de Arrecadação Municipal (DAM)", diz o texto.

Pela Cláusula 6 do termo de quitação, o município deverá conceder à Fundação Renova e às três mineradoras irrestrita e irrevogável quitação de valores relativos ao ressarcimento dos gastos públicos extraordinários. Ações que já estejam em curso precisariam ser encerradas. Além disso, conforme a Cláusula 8, o pagamento a cada prefeitura ficaria condicionado à comprovação de que ela desistiu do processo no Reino Unido e ao compromisso de que novos procedimentos relacionados à tragédia de Mariana não seriam abertos em jurisdições estrangeiras.

Interferência

Para Duarte Júnior, as exigências apresentadas revelam interferência da mineradora inglesa BHP Billiton na gestão da Fundação Renova, o que seria vedado pelo TTAC. A empresa estrangeira é o alvo do processo movido no Reino Unido.

A ação foi proposta pelo escritório anglo-americano SPG Law. No início do mês, os advogados anunciaram que houve mais de 250 mil adesões, entre as quais as de empresas e prefeituras, além da Igreja Católica. A Agência Brasil entrou em contato com a BHP Billiton, que informou que "não irá se manifestar sobre os comentários do prefeito Duarte Júnior".

Ao tomar conhecimento da proposta da Fundação Renova, a SPG Law enviou mensagem às prefeituras alegando que o valor oferecido pela Fundação Renova, de R$ 53,3 milhões é inferior a 0,5% da previsão inicial de indenização que poderia ser obtida no âmbito da ação movida no Reino Unido. "A proposta de acordo encaminhada trata tão somente de indenização dos gastos extraordinários, não da indenização integral dos danos, como pleiteado perante o tribunal inglês", destaca o texto.

Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro

sab, 17/11/2018 - 12:06

Boletim da Defesa Civil de Minas Gerais prevê para este sábado (17) mais chuvas em praticamente todo o estado. Na capital, Belo Horizonte, onde quatro pessoas morreram após os fortes temporais registrados nos últimos dias, a previsão é de céu nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas isoladas.

Pode voltar a ocorrer neste sábado em Belo Horizonte, prevê a Defesa Civil - Defesa Civil BH/Direitos Reservados

A Defesa Civil de Belo Horizonte informou que, neste momento, registra gradativo aumento da instabilidade atmosférica e que está mantida a possibilidade de chuva nas próximas horas.

O céu também permanece nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas isoladas no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, nas regiões noroeste, norte e central e no Rio Doce. Nas demais regiões de Minas, a previsão é de céu nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas.

Vítimas

A estudante Anna Luísa foi a quarta vítima confirmada das fortes chuvas que atingem a capital mineira desde a última quinta-feira (15). A jovem deve ser sepultada na tarde de hoje no Cemitério Bosque da Esperança.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou, na manhã de ontem (16), o corpo de um homem que pode ter se afogado ao tentar atravessar o córrego que corta uma ocupação de sem-teto na região da Mata do Izidoro, no bairro Jaqueline, região norte de Belo Horizonte.

Uma mulher de cerca de 40 anos e sua filha morreram afogadas ontem dentro do próprio carro, que foi arrastado até a linha férrea do metrô pela correnteza junto com outros veículos em uma rua do distrito de Venda Nova.

A prefeitura de Belo Horizonte divulgou um balanço atualizado de 12h30 de quinta-feira até as 16h30 de sexta-feira com 110 ocorrências registradas. Foram registrados, nesse período, na capital mineira, 16 pontos de enchentes ou inundações e 45 pontos de alagamento.

Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado

sab, 17/11/2018 - 11:18

O trabalho de escoramento no viaduto da Marginal Pinheiros, que cedeu cerca de 2  metros na última quinta-feira (15) continua neste sábado (17). Durante a madrugada, operários trabalharam no local, que fica perto da Ponte do Jaguaré, zona oeste da capital paulista. O degrau formado pela parte do viaduto que cedeu amanheceu pichado.

Viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros cedeu cerca de 2 metros nesta quinta-feira - TV Brasil

Ontem (16) as ações de escoramento foram aceleradas por causa de uma movimentação de 7 milímetros. Na ocasião, o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, Vitor Aly, disse que o objetivo inicial era garantir a segurança e evitar que a estrutura sofresse um colapso. Depois dos trabalhos de escoramento é que a prefeitura vai estudar o que ocorreu e buscar em uma solução.

A pista expressa da Marginal Pinheiros está fechada desde o incidente, no sentido Castelo Branco, desde a Ponte Transamérica até a Ponte do Jaguaré. O trânsito está sendo desviado para a pista local.

 A prefeitura de São Paulo vai liberar o rodízio municipal de veículos em trecho da Marginal Pinheiros por causa dos transtornos provocados pela interdição da via. A circulação de todos os veículos será liberada no sentido Castelo Branco, entre a Avenida dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios, a partir da próxima quarta-feira (21). Até o dia 20, o rodízio já estaria suspenso por causa do feriado prolongado. A suspensão será mantida até a liberação total da pista.

Devido à trepidação causada à estrutura, a circulação de trens da Linha 9-Esmeralda da CPTM, que passa sob o viaduto, foi interrompida entre as estações Pinheiros e Ceasa desde a manhã de ontem (16). As estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária estão fechadas. O sistema de ônibus gratuito Paese foi acionado e faz a integração no trecho interrompido.

EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo

sab, 17/11/2018 - 10:58

Gravações raras, imagens inéditas e cenas emblemáticas do Brasil desde o início do século 20 poderão ser acessadas pelo público. O gigantesco acervo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que reúne material das rádios MEC e Nacional e da extinta TVE do Rio, do Maranhão e de Brasília, atualmente TV Brasil, será digitalizado, a partir de um acordo assinado com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Equipamentos antigos, gravações e fotos raras fazem parte do acervo histórico - Fernando Frazão/Agência Brasil

A tarefa é complexa e demorada e tem prazo de até cinco anos para sua finalização, começando pela realização de diagnóstico, identificação e digitalização de 283 mil mídias, sendo 70% de televisão e 30% fitas e discos de áudio das rádios MEC e Nacional. A primeira etapa começa em março de 2019, quando uma equipe de técnicos de FGV se instalará no prédio da TV Brasil, na Lapa, para ter contato direto com o material.

Segundo a gerente executiva de Marketing e Negócios da EBC, Liloye Boubli, o objetivo é garantir o acesso público a esse precioso acervo, que remete às raízes do rádio brasileiro, desde a fundação, por Roquete Pinto, da primeira estação no país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, que seria estatizada e se transformaria na Rádio MEC. O acordo foi anunciado na última terça-feira (13), durante evento no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) no Rio.

“Esse acordo viabiliza o projeto de revitalização do acervo da EBC. Ele contempla desde o diagnóstico da situação desse material, para implantar medidas que passam, inclusive, pelo gerenciamento de direitos, com as soluções aplicáveis, porque o objetivo final da preservação é a difusão. É um material precioso. A primeira rádio do Brasil, fundada por Roquete Pinto, em 1923, é a origem desse acervo. Daí, ela se tornou a Rádio MEC e foi evoluindo, com todos os demais veículos de comunicação que hoje compõem a EBC”, disse Liloye.

Segundo Liloye, a busca de parceria com a FGV foi decorrência de uma necessidade da EBC de contar com corpo técnico capacitado e especializado em recuperação e gerenciamento de acervos históricos, inclusive em seus aspectos jurídicos, sem que isso representasse dispêndio financeiro para a estatal. 

De acordo com a diretora da FGV Goret Paulo, que representou a entidade na assinatura do acordo, a preservação de material histórico é uma das missões da instituição, com o objetivo final de disseminar o conhecimento ao público, por meio de seu compartilhamento.

“Faz parte da missão da FGV contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do país, através das atividades de ensino e pesquisa, principalmente de pesquisa aplicada. Esse projeto é um grande exemplo disso: a pesquisa que traz benefícios para a sociedade. É um acervo que trará uma grande contribuição para o país. Uma vez que ele for levantado, inicia-se um trabalho de preservação e disseminação. Porque o patrimônio que fica guardado, se a sociedade não tiver acesso a ele, nós não geramos impacto e a sociedade não tem benefícios. Com esse projeto, queremos disseminar e compartilhar com o povo brasileiro este arquivo de grande valor que hoje a EBC tem”, disse a diretora da FGV.

Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human

sab, 17/11/2018 - 10:25

A Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba rejeitou resolução do Parlamento Europeu sobre a situação dos direitos humanos na ilha, classificando-a de "inaceitável" e dizendo que tergiversa totalmente a realidade do país.

A resolução sobre Cuba, adotada na quinta-feira (15) pelo Parlamento Europeu, é "contrária aos princípios de respeito, igualdade e reciprocidade" do Acordo de Diálogo Político e Cooperação (ADPC), diz a declaração da Comissão de Relações Internacionais da Assembleia Nacional cubana.

A União Europeia (UE) e Cuba assinaram em 2016 o ADPC, o primeiro marco legal para regular suas relações, que entrou em vigor provisoriamente em novembro de 2017 e marcou o fim do isolamento do país latino-americano como o único da região com o qual o bloco europeu não tinha ainda um pacto bilateral.

"Manipulando a questão dos direitos humanos em Cuba e supostas preocupações sobre o atual processo de reforma constitucional, tentam divulgar uma imagem falsa do nosso país para dificultar a bem-sucedida implementação do ADPC", afirma a declaração divulgada no site da Assembleia Nacional.

Na resolução aprovada pelo plenário do Parlamento Europeu, os eurodeputados "lamentam" que "não tenha melhorado a situação em matéria de direitos humanos e democracia, apesar da adoção de um acordo com a UE", e pedem o cumprimento das obrigações vinculativas sobre respeito aos direitos humanos e liberdades fundamentais sob pena da aplicação da cláusula de suspensão.

O texto insta o governo cubano a redefinir sua política de direitos humanos adaptando-a à legislação internacional e reivindica que essa nova legislação permita, sem impor restrições, que toda a sociedade civil e os membros da oposição política participem ativamente na vida política e social.

Além disso, considera que o processo que ocorre atualmente em Cuba para reformar a Carta Magna "carece dos elementos de inclusão, tolerância e respeito aos direitos civis e políticos fundamentais que poderiam garantir um processo constitucional democrático".

Por sua parte, a Assembleia Nacional de Cuba assegura que a resolução promovida pelas forças conservadoras e liberais da Eurocâmara se baseia em "mentiras fabricadas" e divulgadas por pessoas que não são defensoras dos direitos humanos (...) e que qualificam como "agentes assalariados de uma potência estrangeira".

"O Parlamento Europeu não tem nenhum direito de julgar a democracia cubana, que é genuinamente participativa e popular, como demonstra o atual processo de consulta popular a que se tem submetido o projeto de nova Constituição", ressalta.

A declaração acrescenta que Cuba demonstrou sua vontade de troca nos diálogos sobre direitos humanos com a UE sobre a base "do respeito mútuo, da igualdade soberana e da não ingerência nos assuntos internos", os quais contribuíram para um "melhor entendimento" das respectivas realidades e posições nesta matéria.

Além disso, manifesta sua rejeição à tentativa de condicionar a implementação do ADPC, assim como de promover a ingerência das instituições da UE e seus Estados-membros nos assuntos internos cubanos, e insta o Parlamento Europeu a empregar seus esforços e capacidade de influência para condenar o bloqueio econômico, comercial e financeiro aplicado pelos Estados Unidos sobre a ilha.

Defensoria Pública pede à Justiça manutenção de regras do Mais Médicos

sab, 17/11/2018 - 10:13

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou ação civil pública (ACP) em que pede à União a manutenção das atuais regras do programa Mais Médicos e a abertura deste a profissionais estrangeiros de qualquer nacionalidade. O objetivo, segundo a própria defensoria, é garantir a continuidade dos serviços prestados à população.

“O pedido de tutela de urgência em caráter antecedente à ACP visa evitar que ‘a população atendida seja prejudicada com a saída abrupta de milhares de médicos sem que a União previamente promova medidas efetivas de modo a repor imediatamente o quantitativo de médicos que estão em vias de deixar o programa’”, informou o órgão, por meio de nota.

A Defensoria Pública da União alega que qualquer mudança – incluindo a não necessidade de submissão ao Revalida – deve estar condicionada à realização de prévio estudo de impacto e comprovação da eficácia imediata de medidas compensatórias que assegurem a plena continuidade dos serviços.

O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem trabalhar no Brasil. O exame é feito tanto por estrangeiros formados em medicina fora do Brasil, quanto por brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal.

Direito fundamental

Em seus argumentos, a ação destaca que a assistência à saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), é direito fundamental de todos, sendo a União responsável pela prestação dos serviços.

Na ação, a DPU cita ainda que, no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº. 5035, o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou a constitucionalidade do programa da forma como foi preconizado.

Assistência

Ainda de acordo com a ACP, os profissionais cubanos representam, atualmente, mais da metade dos médicos do programa. A rescisão repentina dos contratos, segundo a defensoria, impactará de forma negativa com o desatendimento de mais de 29 milhões de brasileiros – cenário citado como “desastroso” para, pelo menos, 3.243 municípios.

Dados da DPU indicam que, das 5.570 cidades brasileiras, 3.228 (79,5%) só têm médico pelo programa, enquanto 90% dos atendimentos da população indígena no país são feitos por profissionais cubanos.

Nova seleção

O Ministério da Saúde informou que fará ainda neste mês a seleção para contratar profissionais brasileiros em substituição aos cubanos que fazem parte do Mais Médicos.

A pasta finalizou ontem (16) a proposta de edital para preencher 8.332 vagas deixadas pelos cubanos. A expectativa é que os médicos brasileiros selecionados nesta nova etapa comecem a trabalhar nos municípios imediatamente após a seleção.

Rompimento

O acordo com o governo brasileiro foi rompido quarta-feira passada (14) pelas autoridades cubanas, que não concordaram com a exigência do Revalida como requisito para a participação de profissionais cubanos no programa Mais Médicos. A medida foi anunciada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, que também quer que os profissionais cubanos recebam integralmente o salário e tenham permissão de trazer a família para o Brasil.

No mesmo dia, o Ministério de Saúde Pública de Cuba anunciou a retirada de seus profissionais do programa no Brasil por divergir de exigências feitas pelo futuro presidente e também em decorrência de críticas feitas por ele aos médicos cubanos.

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento

sab, 17/11/2018 - 09:33

O submarino argentino ARA San Juan foi encontrado um ano e um dia após ter desaparecido, no Atlântico Sul, com 44 pessoas a bordo.

O submarino ARA San Juan, que desapareceu há um ano e um dia - Arquivo/ Divulgação/Marinha da Argentina

Os restos da embarcação foram achados por uma empresa privada norte-americana na sexta-feira (16), mas o Ministério da Defesa da Argentina só confirmou a notícia na madrugada deste sábado (17), depois de informar os parentes dos tripulantes.

Na quinta-feira (15), as famílias dos 44 desaparecidos realizaram um ato para marcar o primeiro aniversario do naufrágio e cobrar respostas das autoridades. “Quanto lamento que nada que se diga possa acalmar a dor dos familiares e amigos aqui presentes”, afirmou o presidente da Argentina, Mauricio Macri, ao prometer continuar as buscas.

No dia seguinte, a empresa norte-americana Ocean Infinity encontrou os restos a 800 metros de profundidade e a 600 metros da cidade de Comodoro Rivadavia, na Patagônia argentina.

O ARA San Juan desapareceu durante uma viagem de Ushuaia, no extremo sul do país, ao balneário de Mar del Plata, a 300 quilômetros da capital, Buenos Aires. O último contato da tripulação foi feito no dia 15 de novembro do ano passado.

Uma megaoperação internacional, que contou também com a participação do Brasil, foi montada para procurar o submarino. Duas semanas depois, a Marinha anunciou que já não havia esperanças de encontrar sobreviventes.

O governo argentino contratou a Ocean Infinity para continuar as buscas, que começaram em setembro. Durante dois meses, 40 tripulantes, a bordo do navio Seabed Constructor, rastrearam o fundo do mar. O submarino foi encontrado horas antes da empresa suspender a operação.

Muitos parentes dos tripulantes do ARA San Juan receberam a notícia em Mar del Plata, onde tinham participado do ato que marcou o primeiro ano para lembrar o primeiro ano do desaparecimento do submarino.

Agora o governo argentino terá que decidir se vai resgatar o casco do ARA San Juan, uma operação cara. A Ocean Infinity cobrou US$ 7,5 milhões somente para encontrar o submarino.

 

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília

sab, 17/11/2018 - 08:59

O presidente eleito Jair Bolsonaro passará três dias da próxima semana em Brasília. Na agenda de compromissos, conversas com a procuradora-geral da República, Raquel Dogde e visita ao Tribunal de Contas da União (TCU), além de reuniões no gabinete de transição. Está prevista também a participação de Bolsonaro no fórum de governadores do Nordeste. O presidente eleito deverá ficar de terça-feira (20) a quinta-feira (22) na capital federal.

O presidente eleito Jair Bolsonaro - Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

Bolsonaro deverá desembarcar em Brasília na manhã de terça-feira (20) e se reunir logo cedo com o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário. Inicialmente, o presidente eleito anunciou que parte da CGU poderá ser absorvida pelo Ministério da Justiça. A definição está em aberto. 

Também para a terça-feira estão previstas reuniões com o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, e representantes da Associação das Santas Casas do Brasil, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB).

As reuniões com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carreiro, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, estão previstas para a tarde de terça-feira.

Na quarta-feira (21), Bolsonaro deverá se reunir com os governadores eleitos e reeleitos do Nordeste. Na semana passada, o governador do Piauí, Wellington Dias, confirmou o encontro, uma vez que, entre os governadores da região, ele foi o único que pôde comparecer ao encontro de governadores eleitos promovido em Brasília pelos futuros governadores de São Paulo, João Doria, e do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

Há ainda a possibilidade. não confirmada oficialmente, de o presidente eleito ir para São Paulo. Bolsonaro deverá ser submetido a uma bateria de exames, no Hospital Albert Einstein, para preparar a retirada da bolsa de colostomia. A cirurgia para remoção da bolsa está prevista para 12 de dezembro.  

Turquia não encontra DNA de Khashoggi no consulado saudita em Istambul

sab, 17/11/2018 - 08:41

A investigação do Ministério Público da Turquia, que fez várias operações no consulado saudita em Istambul, no qual foi assassinado no mês passado, o jornalista Jamal Khashoggi, não encontrou vestígios de DNA da vítima no local, informou neste sábado (17) o jornal turco Hürriyet.

Investigadores analisaram amostras do DNA de Kashoggi colhidas em dois locais - Reuters/Direitos Reservados

Os analistas turcos recolheram amostras tanto no consulado quanto na residência do cônsul, local que, no início das investigações, era considerado possível cenário do crime, além de em vários veículos oficiais da representação diplomática.

No entanto, segundo as análises de laboratório, que terminaram agora, nenhuma das amostras continha vestígios de DNA que coincidisse com o de Khashoggi, obtido de objetos pessoais seus, assegurou o jornal, que não esclarece suas fontes.

O Hürriyet destaca a contradição entre a versão da procuradoria turca, segundo a qual Khashoggi foi assassinado por asfixia, e a do Ministério Público saudita, que na quinta-feira passada (15) garantiu que a morte foi causada pela injeção de "uma grande dose de sonífero".

O jornal sustenta que, de acordo com altos funcionários turcos, a equipe de 15 agentes sauditas enviados da capital saudita matou Khashoggi por asfixia, mas, em seguida, injetou no corpo uma substância para coagular o sangue e, então, fazer o esquartejamento com menos riscos de deixar rastros. 

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 37 milhões neste sábado

sab, 17/11/2018 - 08:24

Os apostadores que acertarem os seis números do concurso 2098 da Mega-Sena vão dividir um prêmio estimado em R$ 37 milhões. Os números serão sorteados às 20h, no Caminhão da Sorte, que estará estacionado na cidade de Manhumirim, em Minas Gerais.

Apostas podem ser feitas em casas lotéricas ou pelo sistema online de loterias da Caixa - Arquivo/Agência Brasil

No sorteio de quarta-feira passada (14), realizado em Nazaré Paulista, São Paulo, ninguém acertou as dezenas 09, 24, 28, 45, 49 e 51, e o prêmio acumulou.

A aposta mínima, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Os apostadores podem tentar a sorte até as 19h de hoje nas casas lotéricas ou pelo sistema online de loterias da Caixa Econômica Federal.
 

Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país

sab, 17/11/2018 - 08:10

O assassinato de crianças e um estado de guerra constante no Rio de Janeiro são a inspiração para o romance Caveiras, do jornalista carioca Vitor Abdala. O livro conta a história do assassinato do menino Serginho, morador de uma comunidade do Rio de Janeiro. O principal suspeito do crime, testemunhado pela mãe da vítima, é o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do estado, o Bope.

Caveiras é uma alegoria que faz uso do suspense e da ficção fantástica para criticar essa política de insegurança que existe há décadas no Brasil e para fazer o leitor refletir sobre os custos dessa guerra e da indiferença social para o sofrimento dos outros, em especial das crianças”, afirma Abdala.

Jornalista e escritor Vitor Abdala lança o romance de terror policial Caveiras, pela editora Generale - Fernando Frazão/Agência Brasil

Ao longo das 190 páginas, o livro narra a saga de um jornalista carioca que, após receber um pedido de ajuda da mãe de Serginho, enfrenta todos os obstáculos burocráticos e de segurança possíveis para publicar a verdade. A história ainda ganha um 'quê' surrealista quando se descobre um segredo que envolve o Bope.   

“O viés de guerra que sempre predominou na política de segurança do Rio, e se espalhou para outros lugares do país, é uma metáfora usada para tratar desse tema”, explica Abdala e complementa: "Curiosamente, a vitimização do público infantil pela violência é algo pouco estudado e que recebe pouca atenção da mídia, a não ser quando eventualmente um caso como esse choca a população, como foi o caso da morte da menina Isabella Nardoni, em 2008”, conta o autor.

Crianças assassinadas

Em sua pesquisa para o livro, o autor chegou ao número de quase cinco mil crianças, de até 14 anos, assassinadas no Brasil em apenas cinco anos, segundo dados do Ministério da Saúde. O número de mortos, registrado nos anos de 2013 a 2017, é o equivalente à população de uma cidade brasileira de pequeno porte e revela uma face assustadora da violência no país.

“Crianças não são as principais vítimas da violência, mas se formos pensar que são a parte da população mais protegida, é surpreendente como ainda assim morrem cerca de mil crianças por ano. As causas das mortes são várias e vão desde a violência doméstica (abuso paternal ou de conhecidos) até violência nas ruas (como tentativas de assalto que resultam em homicídios)”.

Carioca, Vitor Abdala é jornalista há 14 anos. Também é membro da Horror Writers Association e conselheiro da Associação Brasileira de Escritores de Romances Policiais, Suspense e Terror.

 

Mais de 900 médicos fazem prova do Revalida neste sábado

sab, 17/11/2018 - 07:50

A segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2017 será feita neste fim de semana por mais de 900 médicos. A prova será aplicada hoje (17) e amanhã (18) em Brasília, Curitiba, São Luís, Manaus e Belo Horizonte.

O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem trabalhar no Brasil. O exame é feito tanto por estrangeiros formados em medicina fora do Brasil, quanto por brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal.

A segunda etapa do Revalida é uma prova de habilidades clínicas na qual o participante percorre 10 estações para resolução de tarefas sobre investigação de história clínica, interpretação de exames complementares, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos e aconselhamento a pacientes ou familiares.

São dois dias de prova e dois turnos de aplicação em cada um. As provas do primeiro turno começam às 13h e as do segundo turno, às 17h. Os portões são fechados meia hora antes.

Os horários estão detalhados no cartão de confirmação e no edital do Revalida – segunda etapa. É obrigatória a apresentação do original de um documento oficial de identificação com foto para a realização das provas.

Mais Médicos O Mais Médicos foi criado em 2013 para levar atendimento às regiões mais distantes do país - Arquivo/Agência Brasil

A exigência do Revalida foi um dos pontos anunciados pelo presidente eleito Jair Bolsonaro como requisito para a participação de profissionais cubanos no programa Mais Médicos.

Alegando que o governo eleito questiona a preparação dos médicos cubanos ao exigir que eles se submetam à revalidação do título para serem contratados, o governo de Cuba decidiu deixar o programa.

Criado em 2013, no governo Dilma Rousseff, o programa tem o objetivo de levar médicos a regiões distantes e às periferias do país.

A vinda dos médicos cubanos foi acertada por meio de convênio firmado entre os governos do Brasil e de Cuba, por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que dispensava a validação do diploma dos profissionais. Na ocasião, o acordo foi questionado por entidades médicas brasileiras.

Páginas