Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 4 minutos 54 segundos atrás

Trump diz que quer construir “relação extraordinária” com Putin

seg, 16/07/2018 - 10:01

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (16) que quer desenvolver uma relação "extraordinária" com o presidente russo, Vladimir Putin. A afirmação ocorreu logo no começo da reunião privada entre ambos, em Helsinki (Finlândia).

A primeira cúpula formal entre Trump e Putin começou por volta das 8h10 (horário de Brasília) com breves declarações de ambos líderes, sentados um ao lado do outro no Palácio Presidencial da capital finlandesa.

"Realmente acredito que o mundo quer que tenhamos uma boa relação", disse Trump a Putin ao começo do encontro.

"Acho que como países, temos grandes oportunidades juntos. Não temos nos dado muito bem durante os últimos anos, eu não estou há tanto tempo no poder, mas já são quase dois anos. E acredito que acabaremos tendo uma relação extraordinária", previu Trump, que ressaltou sua ideia de que se dar bem com a Rússia "é algo bom, não ruim".

Declarações

O líder americano lembrou que Putin e ele lideram "as duas grandes potências nucleares do mundo", e disse que "isso não é algo bom, mas ruim".

"Teremos conversas sobre todos os assuntos, desde o comércio até as Forças Armadas, e sobre a China, falaremos um pouco sobre a China, sobre o nosso amigo comum, o presidente Xi [Jinping]", ressaltou Trump, que acrescentou que tanto ele quanto Putin tentarão encontrar "respostas" às suas perguntas.

Putin evitou falar sobre relações bilaterais ou o futuro da relação. Ele também se mostrou contente de poder se reunir com Trump "em solo finlandês".

"Chegou a hora de falar minuciosamente, tanto das relações bilaterais quanto dos diferentes pontos de tensão no mundo, e são muitos", afirmou Putin em russo.

O chefe do Kremlin indicou que mantém "contatos permanentes" com o líder americano. "Temos nos falado por telefone e nos reunimos várias vezes no marco de diversos eventos internacionais .

Trump parabenizou Putin pelo trabalho da Rússia como anfitriã da Copa do Mundo. "Vi bastante da competição, e vi toda a final e a semifinal".

Os dois líderes tinham previsto se reunir durante uma hora e meia a sós, com a única companhia de seus intérpretes, antes de manter um lanche de trabalho com suas respectivas delegações e uma posterior entrevista coletiva.

Trump e Putin se encontram na Finlândia - Reuters/Kevin Lamarque/Direitos Reservados
Protestos

O encontro de Trump e Putin levou às ruas de Helsinki manifestantes contrários à presença de ambos e às políticas dos dois governos.

Durante protesto ontem (15) um músico cantava: "Trump e Putin vão embora!".

A dois quarteirões de onde Trump e Putin se reúnem, manifestantes falavam palavras de ordem e críticas à política migratória norte-americana que separa pais e filhos. Organizações não governamentais, como a Anistia Internacional, distribuíram cartazes durante a manifestação.

*Com informações da Deute Welle, agência pública de notícias da Alemanha e da Agência EFE.

Inflação pelo IPC-S desacelera na segunda semana de julho

seg, 16/07/2018 - 09:28

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) fechou a semana encerrada em 15 de julho, com queda de 0,34 ponto percentual, ao apresentar variação de 0,67%, contra 1,01% da semana imediatamente anterior.

Divulgada hoje (16), pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), o resultado desta última semana reflete queda de preços em sete das oito classes de despesas componentes do índice.

A exceção foi apenas o grupo Educação, Leitura e Recreação, cujos preços passaram de 0,76% para 1,05%. Nesta classe de despesa, a maior contribuição partiu do item salas de espetáculo, que passou de 0,70% para 1,72%.

Já entre os sete grupos que fecharam com retração na taxa de inflação, entre a semana encerrada no dia 7 e da do dia 15, a maior contribuição partiu do grupo Alimentação, cujos preços chegaram a cair entre uma semana e outra 0,81 ponto percentual, de 1,17% para 0,36%.

Nessa classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de menos 10,27% para menos 18,45%, fechando a semana encerrada no último dia 15 com uma deflação que chegou a 28,82 pontos percentuais.

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (de 0,98% para 0,36%), Habitação (de 1,75% para 1,59%), Vestuário (de -0,26% para -0,54%), Despesas Diversas (de 0,18% para 0,07%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,35% para 0,31%) e Comunicação (de 0,42% para 0,39%).

Inflação pelo IGP-10 tem forte queda de junho para julho

seg, 16/07/2018 - 09:20

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços 10 (IGP-10) fechou o mês de julho com alta de 0,93%, com forte desaceleração de preços em relação a junho, que registrou 1,86%. A queda no período é de 0,93 ponto percentual.

Os dados foram divulgados hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Com o resultado de julho, a taxa acumulada nos primeiros sete meses do ano ficou em 6,07%, enquanto a dos últimos 12 meses ficou em 8,06%. Em julho do ano passado, o índice havia caído 0,84% e acumulava queda de 1,79% em 12 meses.

A alta do IGP-M foi puxada pelos preços ao consumidor e na construção civil, uma vez que os preços ao produtor fecharam julho com forte retração em relação a junho.

Os dados da FGV indicam que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 1,51 ponto percentual de junho para julho, de 2,50% para 0,99%.

Na análise por estágios de processamento, os preços dos bens finais subiram, em média 1,13% em julho, ante 1,80% em junho. A principal contribuição para esse resultado, segundo a FGV, partiu do subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 9,37% para uma inflação negativa de 1,64%.

Já o índice relativo a bens finais, que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, registrou alta de 1,93% em julho, mostrando desaceleração em relação a junho, quando a taxa fechou em 0,96%.

O grupo bens intermediários também fechou com desaceleração de preços, ao cair de 2,84% em junho para 1,99% em julho. A principal contribuição para esse movimento partiu do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa passou de 7,10% para uma deflação de 0,29%.

Outro grupo que apresentou forte desaceleração de junho para julho foi o de matérias primas brutas, que fechou com deflação de 0,42%, depois de ter subido 2,94% em junho.

Preços ao Consumidor

Em julho, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,78%, mostrando alta de 0,04 ponto percentual em relação aos 0,74% de junho.

Quatro das oito classes de despesas componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo habitação, de 1,04% para 1,63%. Nessa classe de despesa, vale citar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, que variou 7,60% em julho, após registrar alta de 5,39%, em junho.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos educação, leitura e recreação, de menos 0,30% para 0,86%; comunicação, de 0,22% para 0,40%; e despesas diversas, de 0,11% para 0,14%.

Em contrapartida, os grupos alimentação (de 0,98% para 0,51%), vestuário (de 0,58% para -0,32%), saúde e cuidados pessoais (de 0,55% para 0,33%) e transportes (de 0,89% para 0,78%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação.

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,92%, fechando em alta de 0,56 ponto percentual em relação aos 0,36% de junho. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 1,0%, ante 0,33% no mês anterior.

Já o índice que representa o custo da mão de obra registrou alta de 0,86% em julho. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,38%.

Com greve dos caminhoneiros, atividade econômica recua 3,34% em maio

seg, 16/07/2018 - 09:03

A atividade econômica recuou em maio. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou queda de 3,34%, na comparação com abril, de acordo com dados divulgados hoje (16). O recuo veio após crescimento de 0,5%, em abril comparado a março, de acordo com dados revisados.

Em maio, o país foi afetado pela crise de desabastecimento gerada pela greve dos caminhoneiros no final do mês.Na comparação com o mesmo mês de 2017 (sem ajuste para o período), houve queda de 2,9%. No ano, foi registrado crescimento de 0,73%. Em 12 meses, a expansão chegou a 1,13%.

 

O país foi afetado pela crise de desabastecimento gerada pela greve dos caminhoneiros  - Marcello Casal jr/Agência Brasil

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Para instituições financeiras consultadas pelo BC, o PIB deve crescer 1,5%, neste ano.

Projeção do mercado financeiro para inflação cai para 4,15%

seg, 16/07/2018 - 08:57

Depois de oito altas consecutivas, instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram projeção para a inflação deste ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 4,17% para 4,15%, segundo a pesquisa Focus, publicação elaborada todas as semanas pelo BC, com projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Para as instituições financeiras, o IPCA em 2019 será 4,10%, mesma estimativa de há quatro semanas, e 4% em 2020 e em 2021.

Essas estimativas estão abaixo do centro da meta que deve ser perseguida pelo BC, com exceção de 2020 e 2021. Neste ano, o centro da meta é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a previsão é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para 2020, a meta é 4% e 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

Para alcançar a meta de inflação, o BC usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente 6,5% ao ano.

Para as instituições financeiras, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o final de 2018. Para 2019, a expectativa é aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 1,53% para 1,50%, neste ano. Para 2019, a estimativa segue em 2,50%. As instituições financeiras também projetam crescimento de 2,50% do PIB em 2020 e 2021.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,70 no final deste ano. Para o fim de 2019, passou de R$ 3,60 para R$ 3,68.

Em minoria, mulheres buscam liderar negócios de inovação e tecnologia

seg, 16/07/2018 - 08:52

 

O crescimento no número de startups do Brasil nos últimos anos tem chamado a atenção para a liderança de mulheres no setor. Apesar das empreendedoras representarem pouco mais de 10% das comandantes das startups, seus empreendimentos têm gerado impacto significativo em alguns segmentos da economia.

Empreendedorismo feminino foi um dos temas debatidos no Startup Summit, primeiro evento nacional de startups realizado em Florianópolis, nos últimos dias 12 e 13 de julho. Pesquisa da AssociaçãoBrasileira de Startups (ABStarups) aponta que 74% das equipes de startups são formadas por homens e quase 90% das empresas de inovação e base tecnológica são comandadas por eles.

Cristina Bittencourt, cofundadora da Agriness, startup que gerencia soluções de gestão e melhoria de produtividade no mercado de suinocultura, já está há 17 anos no mercado. A empresa já atende 90% dos produtores de suínos do país e metade do mercado argentino.

“Eu estava em dois setores resistentes, que é a tecnologia e o agronegócio. Para mim, o que fez a diferença foi ter a parceria certa, meus sócios me deram espaço, eu conquistei meu espaço, mas a gente conseguiu construir essa relação junto”, disse.

A empreendedora conta que várias vezes participou de reuniões com outras empresas em que era a única mulher. “Acontecia bastante isso, era como se eu não estivesse na reunião. Mas, eu sabia que meu papel naquela reunião era importante, que eu precisava perguntar o que precisava saber, e eu comecei a conquistar meu espaço. A gente não pode se acanhar”, afirma.

Potencial para liderar

A engenheira civil Paula Lunardelli, 31 anos, também teve que aprender a se impor em um ambiente ocupado majoritariamente por homens. Ela é a única mulher da recém-iniciada startup Welog, que desenvolve software e soluções para planejamento e gestão de obras da construção civil, com o objetivo de garantir maior previsibilidade e evitar atrasos.

Em experiências profissionais anteriores, Paula conta que enfrentou dificuldades na sua trajetória como mulher. “Eu lido com o meio masculino há muito tempo, então sendo engenheira civil eu já fiz uma escolha lá atrás que me fez trabalhar com pessoas, estudar e conviver com um mercado muito machista. Já passei por preconceitos, já recebi assédio, já perdi contratos”, relata.

Hoje, enquanto se dedica a firmar o novo negócio, Paula afirma que se sente mais preparada e não tem enfrentado mais tantas situações de discriminação. Depois de ter já ter atuado no mercado como engenheira e consultora de empresas, ela sentiu confiança para iniciar o desafio da startup ao lado de dois sócios da área tecnológica e comercial.

“A gente entende que obras bem planejadas podem ser muito mais rentáveis e acabam gerando benefícios para o consumidor; e podem ser muito mais sustentáveis, trazendo benefícios para a própria construtora e para o país em geral”, explica.

A empresa passou pela fase de incubação com apoio da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina e foi selecionada em vários programas de aceleração. Hoje, a startup está em fase de captação de recursos, enquanto já vende o principal produto.

Diversidade para inovar

As empresárias declaram que as mulheres têm habilidades que podem agregar mais valor aos negócios, como criatividade, sensibilidade, visão sistêmica e capacidade de lidar com vários problemas ao mesmo tempo. Mas, elas ressaltam que as habilidades femininas e masculinas devem se complementar no ambiente de inovação e que as mulheres podem aprender a trabalhar com dinheiro e gerir finanças.

“Quando a gente fala em inovação, a gente fala em diversidade, então é muito importante ter uma equipe com mulheres, trabalhar junto com homens e ter essa diversidade dentro das empresas, é assim que vai gerar inovação”, declarou Tatina Takimoto, gerente de programas estratégicos da Acate.

Grupo de apoio

Tatiana também coordena o grupo Acate Mulheres, lançado no início deste ano para valorizar a figura feminina nas empresas de tecnologia. O grupo trabalha o fortalecimento das mulheres dentro da cultura organizacional e prepara as funcionárias para alcançar cargos de liderança.

O ambiente de confiança criado pelo grupo promove ainda a interação entre as empreendedoras, que trocam experiências, conhecimentos, ideias e firmam parcerias para novos negócios entre elas. As participantes são beneficiadas com acesso a informações e serviços de fundos de investimentos, por exemplo, para facilitar e diminuir os custos físicos e emocionais da jornada dupla geralmente vivida pelas mulheres.

“Conversando com elas e também com colaboradoras, a gente descobre algumas coisas que acontecem nas empresas e não deveriam acontecer, como assédio moral. Isso acontece e a gente quer mudar essa cultura. E a gente entende que é a mulher que vai ter que ser protagonista disso”, explica Tatiana.

O grupo pretende trabalhar com estudantes do ensino médio e universitárias para encorajá-las a ter uma visão empreendedora. O objetivo, segundo a coordenadora, é mudar a cultura de que inovar e liderar, na área de tecnologia são habilidades masculinas.

“Estive recentemente em Toronto, fui em algumas incubadoras e parques tecnológicos e vi como a presença feminina é quase 50% lá, e aqui é muito pouco. Nosso objetivo é esse: mudar a cultura, empoderar a mulher e trabalhar a sociedade como um todo para que seja mais justa”, relata.

Ato político

Durante o Startup Summit, foram apresentados cases de sucesso liderados por mulheres, que se tornaram referências no mercado de inovação. É o caso da startup Foodpass, fundada pela nutricionista Priscila Sabará, que criou uma plataforma que promove a conexão entre pessoas e empresas de vários locais por meio do alimento.

Por meio de ferramentas de tecnologia e marketing, o sistema cadastra eventos gastronômicos e articula com uma rede de contatos, o que possibilidade novos negócios em diferentes áreas.

A empresa só tem funcionárias. Segundo Priscila, a decisão por contratar somente mulheres foi tomada para reforçar o empreendedorismo feminino como um ato político pela busca de oportunidades iguais.

“As pessoas desacreditam da sua capacidade de fazer negócio. Acho que isso vem de um abuso de poder. A gente tem que desconstruir, batalhar por eficiência, profissionalismo e não ser um objeto sexual. Acho que esse é um lugar importante para a mulher conquistar”, declarou Priscila.

* A repórter viajou a convite da organização do Startup Summit, promovido pelo Sebrae Nacional

Trump e Putin se reúnem na Finlândia

seg, 16/07/2018 - 08:46

Os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, têm uma reunião nesta segunda-feira (16), em Helsinki, na Finlândia.

O encontro ocorre a portas fechadas. Putin chegou ao Palácio Presidencial por volta das 7h35, em Brasília, e subiu as escadas acompanhado do presidente finlandês, Sauli Niinistö.

Trump, que atrasou seu trajeto até o palácio aparentemente para não chegar antes de Putin, apareceu mais de meia hora (7h57, em Brasília) depois do horário estipulado para o começo da cúpula

O presidente norte-americano enviou mensagens a Putin, elogiando a organização da Copa do Mundo da Rússia, encerrada ontem (16), em Moscou. "Um dos melhores mundiais de futebol", afirmou o norte-americano.

Segundo a imprensa finlandesa, apesar de aspectos negativos, a partir de críticas de Trump à Rússia, é possível sair um resultado positivo do encontro. A expectativa é que, durante a reunião, os presidentes conversem sobre Síria, Ucrânia (de acordo com a visão Rússia) e acordos bilaterais.

Há informações de que Trump insistirá na questão da suposta interferência russa nos assuntos internos dos Estados Unidos, incluindo uma controvertida acusação contra 12 militares russos. A denúncia é que os russos teriam interceptado comunicação e páginas na internet nos Estados Unidos para manipular informações dos comícios de 2016, quando Trump disputou as eleições com a democrata, Hillary Clinton.

Durante a reunião também deverão ser tratadas violações de direitos humanos e de convenções diplomáticas.

*Com informações da Prensa Latina, agência pública de notícias de Cuba, e da Agência EFE.

Operação em São Gonçalo prende cinco pessoas

seg, 16/07/2018 - 08:20

Homens das Forças Armadas e das polícias Civil e Militar voltaram nesta madrugada (16) às comunidades de Salgueiro e Santa Catarina, no município de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Até o início da manhã, cinco pessoas foram presas e seis barricadas destruídas.

Foram recuperados ainda dois carros roubados, um revólver, uma pistola e uma carabina. Esta é a segunda operação do Comando Conjunto da Intervenção em quatro dias na região. Na operação de sexta-feira (13), quatro pessoas foram presas e uma ferida.

Para a operação, foi utilizado um dos maiores contingentes desde o início da intervenção, em fevereiro. Ao todo, foram 4 mil homens das Forças Armadas, 120 policiais militares e 90 civis.

Seleção francesa chega nesta manhã a Paris e será homenageada

seg, 16/07/2018 - 06:35

A imprensa francesa celebra a vitória da seleção e o título de campeã da Copa do Mundo da Rússia. Os jogadores devem desfilar em um ônibus de dois andares pela Champs-Elisée, em Paris. A seleção será recebida pelo presidente da França, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu.

Os jogadores que venceram a Croácia por 4 a 2 seguem a comemoração feita pela seleção francesa, em 1998, quando também foi campeã na Copa do Mundo - cuja sede era a França e o Brasil ficou em segundo lugar.

Na ocasião, cerca de 500 mil pessoas foram às ruas para saudar a seleção francesa.

De acordo com o jornal Le Monde, o esquema para a recepção dos jogadores reúne 2 mil pessoas e as ruas por onde passarão vão ficar interditadas.

Jogo

Ontem (15) Macron assistiu a vitória da França  em um dos camarotes do Estádio Luzhniki, Para a recepção hoje, o presidente convidou as famílias dos jogadores, mil jovens e 300 atletas, integrantes dos clubes formadores dos atletas. 

Durante a partida da França com a Croácia, foram colocados nas ruas de Paris 4 mil policiais, principalmente na região do Campo de Marte, onde mais de 90 mil pessoas acompanharam a decisão da Copa do Mundo.

 

*Com informações da Agência EFE.

Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem hoje restituição do IR

seg, 16/07/2018 - 05:55

O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote de restituições do Imposto de Renda será feito hoje (16). A consulta ao segundo lote foi aberta no último dia 9. O lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

O valor total liberado é R$ 5 bilhões. Desse total, R$ 1,625 bilhão é destinado a contribuintes com prioridade: 3.358 idosos acima de 80 anos, 49.796 entre 60 anos e 79 anos, 7.159 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 1.120.771 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146 - Arquivo Agência Brasil

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível verificar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificados pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza ainda aplicativos para tablets e smartphones para consulta à declaração e à situação cadastral no CPF. Com ele, é possível verificar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre a liberação das restituições e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contactar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Ex-coronel de regime militar chileno é preso na Argentina

dom, 15/07/2018 - 19:45

Policiais federais da Argentina prenderam na tarde de hoje (15), em Mar del Plata, um cidadão chileno que, segundo a corporação, é um dos foragidos mais procurados pelas autoridades de seu país, acusado por homicídios.

De acordo com a imprensa argentina e chilena, trata-se de Sergio Francisco Jara Arancibia, coronel durante a ditadura militar de Augusto Pinochet, uma das mais violentas da América Latina. Estimativas oficiais apontam que, entre 1973 e 1990, mais de 3 mil opositores ao regime foram mortos e dezenas de milhares presos e torturados. Até hoje, milhares de famílias reclamam informações sobre desaparecidos políticos.

No ano passado, a Corte Suprema do Chile condenou Arancibia a prisão pelos assassinatos de um médico e de um servidor público que se opunham ao regime militar. Desde então, o ex-general está foragido.

De acordo com as autoridades argentinas, o chileno foi detido com base em um mandado de captura internacional e será extraditado para o Chile.

Tremores de terra e explosões em Chillán deixa Chile em alerta

dom, 15/07/2018 - 19:15

A atividade vulcânica registrada durante os últimos dias no complexo Nevados de Chillán, a pouco mais de 400 quilômetros ao Sul da capital chilena, Santiago, voltou a alarmar parte dos moradores da região conhecida como Biobío e as autoridades nacionais.

Segundo o Serviço Nacional de Geologia e Mineração do Chile (Sernageomin), um novo tremor de terra foi sentido na manhã de hoje (15). As estações de monitoramento instaladas nas imediações do complexo vulcânico registraram um abalo de magnitude 3,8 na escala Richter, seguido por explosões originadas a 1,8 quilômetro de profundidade

O sismo e a explosão ocorreram às 3h24 (horário local, 2h24 pelo horário de Brasília). Em seguida, uma coluna incandescente de aproximadamente 340 metros de altura subiu aos céus, espalhando material particulado e motivando o governo chileno a manter o alerta laranja na região.

O nível de alarme indica, segundo o Sernageomin, a possibilidade de que ocorram novas explosões de mesma ou maior intensidade que a desta manhã. Com o alerta, a população deve procurar se distanciar do vulcão e seguir as instruções das autoridades que, por sua vez, devem divulgar relatórios diários com recomendações aos cidadãos chilenos e turistas.

Com 3.216 metros de altura, o vulcão Chillán está distante apenas 80 quilômetros da cidade homônima, Chillán, com seus quase 200 mil habitantes. Além disso, abriga pistas de esqui e snowboard, além de resorts e termas, sendo bastante procurado por praticantes de esportes de neve e turistas em geral.

O tremor desta manhã foi o terceiro de “importante intensidade” registrado desde a última sexta-feira (13). O primeiro ocorreu nas imediações da Cratera Nicanor e atingiu 3,7 escala Richter. Na ocasião, o Sernageomin classificou o evento como a “explosão de maior energia registrada durante esta crise”. Um novo tremor de intensidade 3,9 foi registrado às 15h30 de ontem (14).

Na noite desse sábado (14), um comitê de emergência formado por técnicos e representantes de órgãos público se reuniu para analisar a situação e discutir as medidas a serem tomadas em caso de erupção. Ao final do encontro, o intendente da região de Biobío, Jorge Ulloa, disse a jornalistas que, por ora, a evacuação da área está descartada.

Estudantes criam startups de mobilidade e segurança no trânsito

dom, 15/07/2018 - 18:41

Em busca de conhecimento para desenvolver novos negócios, universitários de vários estados que desenvolvem startups inovadoras em diversas áreas estiveram reunidos no Startup Summit realizado em Florianópolis, nos últimos dias 12 e 13 de julho. Os jovens que tiveram suas ideias de soluções inovadoras na área de mobilidade sustentável e segurança no trânsito selecionados pelo projeto Renault Experience aproveitaram o evento para divulgar seus produtos, fazer contatos com potenciais investidores e promover intercâmbio com outras empresas.

“Ampliamos a visão de onde está inserido realmente. O evento trouxe ao mesmo tempo muito informação, conhecimento e esses contatos, que foi surpresa para gente. Então, foi genial”, comemora Carlos Cunha, de 27 anos, integrante de uma das equipes do projeto Renault Experience, que funciona como um modelador de novos negócios e acelerador de startups idealizadas por estudantes.

Startup Summit Sebrae Nacional - Elis Pereira/Sebrae Nacional

As três equipes selecionadas pelo projeto da montadora passam uma semana de imersão em Curitiba, recebendo monitoria especializada e ferramentas para deslanchar os empreendimentos nascentes no mercado. Além do conhecimento, os grupos saem do projeto com aporte inicial de R$ 30 mil para desenvolver a empresa. Em cinco edições, o Startup Summit já alcançou 83 universidades em 14 estados brasileiros, com 35 mil estudantes participantes.

Sensor motorista alcoolizado

Entre as propostas selecionadas este ano pela Renault Experience, está a Senscar, a startup desenvolveu, em Curitiba, um sensor consegue detectar em qualquer veículo se o motorista está alcoolizado. A ideia de criar um sensor para veículos surgiu durante a apresentação na universidade do projeto da Renault, que desafiou os alunos a encontrar um problema e sua solução.

O projeto já está sendo testado por uma empresa de transporte que leva turistas, principalmente crianças, para atrações do Paraná, mas os meninos já vislumbram o mercado nacional que tem mais de 11 milhões de veículos só para transporte de passageiros.

startup_summit, por Débora Brito/Agência Brasil

Redução de mortes

Também pensando na segurança do trânsito, Gustavo de Lima Lourenço e Silva, 20 anos, estudante de engenharia civil da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, desenvolveu junto com quatro amigos, um aplicativo que pode reduzir acidentes. Chamado Arquimedes, o projeto pensado pelos jovens é baseado na gamificação, um método novo no mercado que usa dinâmica de jogos para promover interação e busca de soluções para um problema, no caso, incentivar boas condutas no trânsito.

“A gente sentou e pensou como é o trânsito hoje. A gente começou a destrinchar e descobriu que 90% dos acidentes que acontecem, desde colisões rotineiras até acidentes fatais, são causados por distração. E um terço das distrações são causadas pelo uso do celular”, explicou Gustavo.

O grupo, então, desenvolveu uma ferramenta que bloqueia notificações que podem distrair os motoristas. O aplicativo colhe informações sobre o condutor que poderão ser utilizadas por seguradoras para conceder descontos para bons motoristas, por exemplo.

Visão de negócio

Miguel Macedo de Carvalho Filho, estudante da engenharia civil da Universidade Federal do Espírito Santo, integra outra equipe selecionada pelo projeto Renault Experience. A ideia do grupo é desenvolver um sistema unificado de delivery para que atenda todos os estabelecimentos da cidade. A partir da plataforma chamada “Ideliver”, os comerciantes não precisariam contratar entregadores, bastando apenas acionar o sistema conforme a demanda.

Miguel disse que a ideia surgiu ao perceber que, em sua cidade, os entregadores ficavam muito tempo parado na porta das lojas, com prejuízos para cada um deles. “A gente pensou, por que esses comerciantes não se juntam para fazer uma rede de entrega compartilhada?”. A partir daí, o grupo passou a desenvolver um aplicativo que acabasse com essa ociosidade. “A ideia é fortalecer principalmente os pequenos e médios comerciantes pra que eles possam expandir os negócios sem esse risco logístico”, explicou Miguel.

 

*A repórter participou do Startup Summit, em Florianópolis, a convite do Sebrae Nacional

Domingo de voos atrasados nos aeroportos do Rio de Janeiro

dom, 15/07/2018 - 18:00

O forte nevoeiro ocorrido durante boa parte da manhã deste domingo (15) provocou cancelamentos e atrasos de até sete horas nos voos dos aeroportos Internacional Tom Jobim e Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Os dois terminais ficaram fechados das 6h às 9h e das 6h às 10h30, respectivamente.

Até o momento, o Aeroporto Santos Dumont registrou 22 pousos e 26 de decolagens com atrasos. No Tom Jobim, levantamento das 16h50 indica um total de 54 voos atrasados, representando 58,70% do total de 92 voos programados, com 8 cancelamentos (8,70% do total).

O voo G3 9337, por exemplo, afretado por uma agência de viagens de São Paulo com destino a Caldas Novas, em Goiás, estava programado para decolar às 7h30, só deixou o Galeão após as 14h.

Copa do Mundo da Rússia deixa como legado o árbitro de vídeo

dom, 15/07/2018 - 17:37

A Copa da Rússia foi a Copa do VAR. O segundo dos quatro gols da França no jogo final da competição, por exemplo, só foi possível pela interferência do árbitro de vídeo. E pelas declarações do presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Gianni Infantino, a tecnologia de auxílio ao árbitro de campo veio para ficar. “Estamos muito felizes de termos introduzido o VAR. Hoje é difícil pensar em Copa do Mundo sem VAR”, disse Infantino em entrevista à de imprensa na última sexta-feira (13).

França vence a Copa da Rússia e conquista segundo título - Kai Pfaffenbach/Reuters/Direitos reservados

Mas a Copa não será só lembrada pela presença da arbitragem de vídeo pela primeira vez na principal competição do futebol mundial. A eliminação de seleções tradicionais como a da Alemanha, Argentina, Espanha, do Uruguai e Brasil, que não conseguiram chegar sequer a semifinais, também ficará na memória do torcedor como a Copa em que as grandes equipes voltaram para casa mais cedo.

Queda dos gigantes

A Rússia foi território indigesto para os principais favoritos ao título. Os alemães não mostraram nada do futebol exuberante que desfilaram pelos gramados brasileiros em 2014. Não houve criatividade, inspiração e o sangue frio que fizeram o futebol alemão tão respeitado nos últimos anos. Foram eliminados na primeira fase.

Copa 2018, Coreia e Alemanha, derrota elimina os alemães REUTERS/Pilar Olivares - Reuters/Pilar Olivares/Direitos Reservados

A Espanha ficou também pelo caminho. Caiu nas oitavas de final após perder nos pênaltis para a Rússia, muito inferior tecnicamente. Mostrou dificuldades em furar as defesas e o toque de bola, envolvente e ofensivo no passado, se tornou cansativo e sem objetividade. O Uruguai, outra seleção da qual se esperava uma caminhada mais longa, ficou nas oitavas de final.

A Seleção Brasileira era cotada para chegar à final e aumentou seu favoritismo após a queda de espanhóis e alemães. Mas o time comandado por Tite não demonstrou poder de recuperação quando saiu atrás do placar na partida contra a equipe belga e terminou sendo derrotada por 2 a 1. Caiu nas quartas de final.

Os três maiores craques do futebol mundial, Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar, foram discretos nesta Copa. Na primeira rodada, o português marcou três gols contra a Espanha e deu esperanças de que se destacaria, mas suas atuações esfriaram junto com a sua seleção. Messi era parte de um aglomerado de jogadores. Eles, mesmo com a tradicional garra em campo, não conseguiam ter um esquema tático que enfrentasse as demais equipes em condições de igualdade. A seleção argentina sucumbiu diante do jovem time da França.

Copa 2018: Brasil e Costa Rica. O choro de  Neymar após o jogo. - Henry Romero/Reuters/Direitos reservados

Coletividade é o caminho

Pelé, Beckenbauer, Romário, Zidane e Ronaldo foram alguns dos nomes-símbolo de títulos mundiais nas Copas que disputaram. Mas a França de 2018 não teve um único jogador que comandou a equipe. O coletivo foi o forte das seleções que foram longe neste mundial. Mesmo com jogadores de destaque no cenário do futebol, como Mbappé, Pogba, Griezmann e o goleiro Lloris, o time prezou pela eficiência coletiva. E foi assim que passou por Argentina, Uruguai, Bélgica e Croácia para colocar a segunda estrela de campeã mundial em sua camisa.

Disputa pelo Terceiro Lugar entre a Bélgica e a Inglaterra na Copa 2018 - Toru Hanai/Reuters/Direitos reservados

Os belgas foram outro bom exemplo do futebol que predominou nesta Copa. Em verdadeiros contra-ataques dignos de manual, os Diabos Vermelhos venceram o Japão, Brasil e a Inglaterra e saem da Rússia com um honroso terceiro lugar.

A Croácia, por sua vez, teve o melhor jogador do campeonato, Modric. Mas ele não foi o único responsável por levar o time à final inédita. A Croácia talvez tenham sido a seleção cujos jogadores que mais se entregaram em todos os jogos. Foi um time de operários, onde todos marcavam e todos atacavam.

Croácia no mapa do futebol

O pequeno país de pouco mais de 4 milhões de habitantes entra no rol das seleções de respeito do futebol mundial. E não é por acaso. Vários jogadores atuam em clubes de ponta. O meio-campo croata não é celebrado à toa. Os meias Modric e Rakitic são titulares no Real Madrid e no Barcelona, respectivamente.

Croácia: a força de um futebol coletivo Peter Powell/EFE/Direitos Reservados

O centroavante Mandzukic joga na Juventus, da Itália. Perisic, autor do primeiro gol do time na semifinal, joga na Internazionale de Milão. Já os defensores Lovren e Vrsaljko jogam no Liverpool e Atlético de Madrid, respectivamente. O técnico Zlatko Dalic fez da reunião de grandes jogadores um time talentoso e comprometido. O vice-campeão mundial é digno do mesmo respeito ostentado por seleções como a Holanda, Inglaterra e Bélgica.

Violência ou simulação?

Se Neymar queria deixar sua marca nesta Copa, deu certo, mas não da maneira que esperava. Suas reações exageradas às faltas recebidas viraram memes na internet. Nos dois primeiros jogos, suas constantes caretas de dor, como se a cada falta tivesse sofrido uma lesão séria, incomodaram muita gente. Neymar ficou com reputação de jogador que tenta enganar a arbitragem.

E seu futebol não foi o suficiente para calar os críticos. Jogou bem contra Sérvia e México, mas não teve a atuação que dele se esperava. A partir do jogo contra os sérvios, mudou claramente de postura, reclamando menos e jogando mais. Mas a derrota do Brasil para a Bélgica, nas quartas de final, interrompeu a trajetória de uma possível redenção do craque brasileiro.

Coadjuvantes simpáticos

Algumas seleções tiveram vida curta na Copa, mas conquistaram a simpatia do mundo. E nesse quesito, os panamenhos foram campeões. Disputaram uma Copa pela primeira vez na vida e, logo no primeiro jogo, entraram para a história. E não pelo que fizeram em campo – perderam para a Bélgica por 3 x 0 – mas pelo que aconteceu antes. Jogadores e torcedores panamenhos no estádio não seguraram as lágrimas ao ouvirem o hino do país pela primeira vez e se tornaram uma das grandes imagens deste mundial.

Copa 2018: A primeira Copa da seleção panamenha. - Ricardo Moraes/Reuters/direitos reservados

Outras seleções voltaram para casa cedo, mas deram orgulho à sua torcida. O Marrocos saiu na primeira fase, mas fez duas boas partidas contra Portugal e a Espanha. Os africanos viram a vitória contra a esquadra espanhola escapar nos minutos finais do jogo. Saíram na primeira fase, mas com moral.

A Coreia do Sul não mostrou futebol para ir longe, mas a vitória por 2 x 0 que eliminou a Alemanha chamou muita a atenção do mundo do futebol. Após o apito final, os sul-coreanos comemoraram a vitória como se tivessem vencido a Copa; não parecia que estavam eliminados.

Catar 2022

Agora, é pensar na Copa do Mundo no Catar, em 2022. Contabilizar o que deu certo e analisar o que deu errado, a fim de iniciar mais um ciclo de preparação para o próximo mundial. Da Copa na Rússia, ficarão as belas imagens das torcidas se confraternizando nas ruas, avenidas e praças das cidades russas e nas arquibancadas dos belos estádios. Nos gramados, as belas jogadas de Mbappé, as defesas de Curtois, a entrega dos jogadores russos e croatas, a emoção da torcida panamenha e a calorosa recepção da população russa.

Paris revive a euforia de 98 e tem as ruas tomadas por torcedores

dom, 15/07/2018 - 17:26

Uma multidão de franceses comemorou neste domingo, nas ruas de Paris, o título conquistado pela seleção liderada por Mbappé, Pogba e Griezmann na Rússia, e reviveu, 20 anos depois, a euforia que tomou conta do país em 1998, quando os 'Bleus' foram campeões pela primeira vez.

Um buzinaço já podia ser ouvido desde as primeiras horas do dia, e a música "I will survive", de Gloria Gaynor, que embalou a equipe de 98 nos vestiários, tocava repetidamente por todos os lugares.

"Como em 98!", diziam os torcedores pelas ruas.

A conquista daquela equipe que contava com Zinedine Zidane e foram contadas aos jovens de hoje por seus pais contagiavam aqueles que ainda não eram nascidos ou muito pequenos na conquista do primeiro título mundial.

Nos arredores da Torre Eiffel, a Câmara Municipal de Paris instalou quatro telões para transmitir a final, e cerca de 100 mil pessoas já estavam posicionadas diante deles antes da partida.

Não havia mais espaço nas áreas para torcedores e também nas ruas. Motoristas encontravam dificuldades para trafegar e, com poucos controladores de trânsito, havia enormes engarrafamentos nas principais avenidas.

Os bares e restaurantes que transmitiram o jogo também já estavam lotados antes da partida, e alguns torcedores começaram a improvisar para assistir à decisão.

Em Cubyn, uma empresa de logística colocou um projetor para que seus funcionários pudessem acompanhar os lances.

"Decidimos abrir o escritório para que pudessem vir com os seus amigos, porque, enfim, é um momento de família, e queríamos que todos participassem. Amanhã de manhã não precisarão vir trabalhar", contou Pierre Canard, um dos donos da empresa.

"Esta Copa é para nós! É a vitória da nossa geração!", afirmou Guillaume, de 26 anos.

Apesar dos franceses terem se mostrado confiantes na conquista durante a semana, na capital os torcedores estavam apreensivos com a vontade da Croácia dentro de campo no início do jogo.

"Os croatas não têm nada a perder, e isso é o mais perigoso, estão jogando a 200%", opinou Kevin, ao final do primeiro tempo.

A euforia pelo gol contra de Mandzukic, aos 18 minutos da partida, terminou rápido quando Perisic deixou tudo igual no placar, dez minutos depois. Aos 35, Griezmann colocou os franceses na frente mais uma vez, ao converter um pênalti e mudar o placar para 2 a 1, mas os torcedores se mostravam ainda apreensivos.

No segundo tempo, os gols de Pogba e Mbappé soltaram o grito da garganta dos franceses por toda Paris. Algumas das principais avenidas da cidade já estavam tomadas, mesmo com o gol marcado por Mandzukic aos 23 da segunda etapa.

Para dar conta da festa que deve seguir madrugada adentro, a prefeitura da capital francesa anunciou a interrupção do tráfego em diversos pontos do centro e da região oeste até o início da manhã desta segunda-feira. O objetivo é evitar acidentes como os que aconteceram durante a comemoração em 1998, que causaram uma morte e deixaram vários feridos.

A seleção da França é aguardada em Paris na tarde desta segunda-feira, quando serão recebidos pelo presidente Emmanuel Macron no Palácio do Eliseu. 

Mostra na Chapada dos Veadeiros destaca ativismo da mulher negra

dom, 15/07/2018 - 17:17

Neste final de semana, a Chapa dos Veadeiros foi palco da Mostra de Teatro Afro Cena, que ocorre em Cavalcante (GO), município que abriga o maior território quilombola do país, do povo Kalunga.

A programação, durante quatro dias, prevê peças, shows, rodas de prosa, contações de histórias e lançamentos de livros que tratam do protagonismo negro - os eventos são gratuitos. Um dos pontos é sobre o ativismo das mulheres. 

O grupo brasiliense Embaraça apresentou, na noite de sexta-feira, a peça Pentes, que usa o cabelo da mulher negra como fio condutor para debater o racismo. Tuanny Araújo, uma das diretoras e também atriz da peça, destacou a importância de de convidar o público à reflexão. “O protagonismo das mulheres negras nas artes é urgente e muito relevante. Sabemos que somos maioria no país e estamos na base da pirâmide social, muitas vezes ocupando subempregos, sendo marginalizadas e exploradas”, diz. 

Peça Pentes, do Grupo Embaraça (DF), convida o público a refletir sobre o racismo - Natalia Xac/Direitos Reservados

 

“É muito importante estarmos aqui, para que tantas meninas negras e quilombolas vejam que não viemos ao mundo para sermos marginalizadas, e que podemos ocupar espaços que são, ainda, majoritariamente brancos, infelizmente”, destaca.

A idealizadora da mostra, Edymara Diniz, nasceu em Cavalcante. Depois de sair da cidade para cursar artes cênicas na Universidade de Brasília, decidiu retornar ao município para se reconectar com suas raízes. “A proposta do evento é destacar o protagonismo negro nas artes e fazer com que a comunidade se aproprie deste protagonismo. Não só na arte, mas em outras situações do dia a dia”, comenta. “Com a expressiva população quilombola que temos na cidade, esse intercâmbio com artistas de fora é de fundamental importância para a região, porque reforça a identidade e a autoestima”.

O público teve a oportunidade de participar também de oficinas. A atriz e escritora Cristiane Sobral, que participa da mostra e lançou dois livros Terra Negra e O Tapete Voador, destacou a importância da troca com as jovens quilombolas e afrodescendentes. “Os jovens precisam saber a importância de dar continuidade às nossas lutas, porque muitas vezes a gente imagina que devido aos avanços tecnológicos e também ao desenvolvimento do próprio país, que o racismo já acabou, que muitas questões já são passadas, mas não são”, afirma. 

Um dos objetivos da mostra é explorar as diversas vertentes da arte que podem dialogar entre si e com o público. “Trouxemos documentários, exposições fotográficas, e focamos também na questão da deficiência – todos nossos cartazes estão em braile”, explica a coordenadora de Produção e Execução, Ednólia Andrade, citando como exemplo o projeto Pés, de Brasília, que pesquisa o movimento expressivo ligado às pessoas com deficiência e fez parte da programação. “O fim de um preconceito não exclui outros, porque a gente precisa ter uma sociedade melhor e, para isso, temos que ter todos os olhares. Não adianta só abordar a causa das questões raciais, que é preponderante no nosso país, mas tem outras causas também que nos abraçam e que a gente abraça de volta”.

Em Brasília, 2º título mundial é comemorado na Aliança Francesa

dom, 15/07/2018 - 16:10

Poucas horas após celebrar o Dia da Bastilha, cerca de 80 membros da comunidade francesa de Brasília se reuniram hoje (15), na sede da Aliança Francesa, para acompanhar a final da Copa do Mundo, vencida pela Seleção da França por 4 a 2 contra a Croácia.

Mesmo após Kylian Mbappé marcar um quarto gol, aos 19 minutos do segundo tempo, os torcedores franceses, que lotavam o auditório da escola, ainda não se davam por satisfeitos e seguiam entusiasmados, aguardando uma ampliação de placar.

Torcedores franceses assistem a final da Copa do Mundo 2018 em um telão na Aliança Francesa, em Brasília - Valter Campanato/Agência Brasil

Munida de cornetas muito mais discretas do que as trovejantes vuvuzelas, a torcida na Aliança Francesa poderia ser descrita, mais fielmente, como um agrupamento francófono nada ortodoxo, já que era formada por pessoas, além de franceses, de nacionalidades a brasileira e angolana, que cursam o idioma francês na instituição. Alguns deles circulando pelas dependências da escola com cachecóis, croissants e taças de vinho e espumante.

Para Carolina Lavelot, estudante de direito em uma universidade de Estrasburgo, Leste da França, o encontro foi especial por proporcionar a aproximação de colegas de turma que não via há algum tempo. Diferentemente de amigos que estavam maquiados com tintas de bastão, ela, com o rosto colorido pela lambuzada guache, disse que a vitória francesa foi merecida.

"Quando o Brasil saiu da Copa, a gente começou a torcer muito pela França, e o time francês surpreendeu até os franceses", afirmou. "Teve um momento em que eu estava torcendo para os dois, porque a Croácia ainda não tem nenhum título, acrescentou"

A jovem comentou ainda que, embora o país europeu tenha uma relação distinta dos brasileiros com o futebol, a comunhão de sentimentos diante de um campeonato mundial pode ser considerada semelhante.

"Não é uma 'religião', como é no Brasil. Nossa comemoração é muito mais de juntar com a família e amigos", disse. "É uma festa atrás da outra", disse, sorrindo, em referência à solenidade de 14 de julho, organizada em memória ao principal símbolo da Revolução Francesa.

Veja imagens do último dia da Copa do Mundo 2018

dom, 15/07/2018 - 15:53

 

A seleção francesa venceu hoje (15) os croatas, por 4 a 2, e conquistou pela segunda vez uma Copa do Mundo. Sob o comando de Didier Deschamps, a França foi o time de que menos oscilou durante a competição e contou com o talento de vários jogadores de destaque no futebol mundial, como Mbappé, Pogba, Griezmann e o goleiro Lloris para chegar ao título.

Veja imagens do último dia da Copa da Rússia: 

A Taça 

 

Sob forte chuva, jogadores franceses recebem a taça e comemoram vitória na final da Copa do Mundo 2018 Christian Hartmann/Reuters/Direitos reservados

 

Torcida francesa Torcedoras francesas comemoram vitória da seleção na avenida Champs-Elysees, em Paris - Gonzalo Fuentes/Reuters/Direitos reservados

 

Jogador revelação

 

O presidente francês, Emmanuel Macron, cumprimenta Mbappé, eleito jogador revelação da Copa - Maxim Shemetov/Reuters/Direitos reservados   Melhor jogador da Copa O croata Luka Modric recebe o prêmio Bola de Ouro da Fifa - Kai Pfaffenbach/Reuters/Direitos reservados Festa de encerramento Ronaldinho Gaúcho foi um dos protagonistas da cerimônia de encerramento da Copa do Mundo da Rússia, antes da decisão do título entre França e Croácia. - Damir Sagolj/Reuters/ Direitos reservados

 

Modric é escolhido o melhor jogador e Mbappé a revelação da Copa

dom, 15/07/2018 - 15:32

Luka Modric foi escolhido o melhor jogador da Copa do Mundo Rússia 2018. O craque croata deixou para trás estrelas como o argentino Messi, o português Cristiano Ronaldo, e o brasileiro Neymar, cujas seleções não conseguiram chegar a semifinais  .

A escolha da Federação Internacional de Futebol (Fifa) premiou o atleta que durante a competição apresentou futebol consistente, levando a Croácia ao vice-campeonato mundial, o seu melhor resultado na história da Copa.

Copa 2018: Croácia e Nigéria. Luka Modric marca o segundo gol da Croácia de pênalti. - Murad Sezer/Reuters/Direitos reservados

Revelação

O prêmio de jogador revelação da Copa ficou com Kylian Mbappé Lottin, de 19 anos. Na vitória francesa sobre a Croácia por 4 a 2, Mbappé fez o quarto gol, aos 19 minutos do segundo tempo, tornando-se o segundo jogador mais jovem a marca em uma partida final de Copa do Mundo, Antes dele, apenas Pelé conseguira tal feito. Com 17 anos, o brasileiro fez dois no jogo contra a Suécia, na decisão da Copa do Mundo de 1958, que deu o primeiro título mundial ao Brasil.

Escolhido jogador revelação, Mbappé comemora o título da Copa do Mundo ao lado de seus companheiros de seleção - Kai Pfaffenbach/Reuters/Direitos reservados

Na rede social, Pelé postou mensagem parabenizando o craque francês: “O segundo adolescente a marcar um gol em uma final de Copa do Mundo. Bem-vindo ao clube, Kylian. É ótimo ter a sua companhia!”.

Artilheiro e melhor goleiro

O troféu de artilheiro da Copa foi para o inglês Harry Kane. Nas sete partidas que disputou pela Seleção da Inglaterra, o craque do Tottenham marcou seis gols. "Trabalhei muito duro nos últimos jogos, mas esse é um trabalho de equipe”, disse Kane. 

Thibaut Courtois, da Bélgica, comemorou a escolha de melhor goleiro do Mundial de 2018. Na vitória da seleção belga por 2 a 1 sobre o Brasil, Courtois foi responsável por importantes defesas, que garantiram a classificação de sua equipe para a fase semifinal da Copa.

Páginas