Também na Agência Brasil

Subscrever feed Também na Agência Brasil
A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.
Atualizado: 6 minutos 54 segundos atrás

Gasolina vendida nas refinarias está mais barata hoje

qui, 03/01/2019 - 11:33

O preço da gasolina negociada hoje (3) nas refinarias está mais baixo: o litro passou de R$ 1,5087 para R$ 1,4675. A última redução no preço do combustível ocorreu no dia 28 de dezembro do ano passado, quando passou de R$ 1,5554 para R$ 1,5087.

De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

Segundo a estatal, essa “paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”. A Petrobras informa ainda que, “o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”.

Bolsa opera em alta e dólar cai para R$ 3,77

qui, 03/01/2019 - 11:29

O índice Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3 (Bolsa de São Paulo), tem alta de 0,38%, totalizando 91354.11 pontos às 11h06 de hoje (3). Isso depois de começar o dia em queda de 0,62%.
 
Com o pregão ainda em andamento, os papéis mais negociados são da Petrobras, Vale e Eletrobras.  

Dólar abriu cotado a R$ 3,77    (Arquivo/Agência Brasil)

Já o dólar, às 11h09, estava sendo negociado a R$ 3,7735.
 
Ontem, o Ibovespa iniciou o ano com alta de 3,56%, totalizando 91.012 pontos no fechamento, atingindo valor recorde. O recorde anterior, de 89.820 pontos, havia sido registrado em 3 de dezembro de 2018.
 
Já a cotação do dólar fechou em queda na quarta-feira, a R$ 3,8087, uma variação negativa de 1,69%.

Grupo incendeia ônibus e explode bomba em Fortaleza

qui, 03/01/2019 - 11:28

Um grupo explodiu, na madrugada de hoje (3), uma bomba em um viaduto do município de Caucaia, região metropolitana de Fortaleza. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a ação foi registrada por volta das 0h30, quando policiais que estavam na região ouviram um forte estrondo e se deslocaram para o local.

Os autores do ataque deixaram um bilhete alertando que aquilo seria um aviso e reivindicando melhores condições nos presídios.

Uma das colunas do viaduto foi atingida por explosivos e o trânsito foi totalmente interrompido – apenas as alças do dispositivo permanecem com fluxo de veículos. Até o momento, homens da PRF seguem no local e aguardam a chegada de engenheiros do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.

Ainda de acordo com a corporação, dois ônibus e uma van foram incendiados também durante a madrugada de hoje. Os veículos maiores foram atacados dentro da capital cearense e a van, em Caucaia.

 

Venda de veículos leves pode ter alta de 11% neste ano, diz Fenabrave

qui, 03/01/2019 - 11:11

A venda de veículos novos no Brasil, considerando-se apenas os automóveis e comerciais leves (picapes e furgões), apresentou alta de 13,74% no ano passado na comparação com 2017, com o emplacamento de 2.470.654 unidades. O dado foi divulgado hoje (3) pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A expectativa para este ano é de aumento de 11% nestes dois segmentos.

Considerando o emplacamento de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos), o aumento foi de 13,58% em 2018, com a venda de 3.653.500 unidades. Para 2019, a expectativa é de que todos os segmentos automotivos apresentem crescimento de 10,1%.

"Iniciamos 2018 com uma expectativa de alta mais moderada, porém, em função da melhora, mais acentuada, da economia e da confiança do consumidor e investidores, ao longo do ano, o desempenho do setor automotivo foi maior do que o esperado. Mesmo com acontecimentos negativos, como a greve dos caminhoneiros, em maio, e a indefinição política – no período pré-eleitoral, o mercado continuou em ritmo de alta", disse Alarico Assumpção Júnior, presidente da entidade.

Dezembro

No mês de dezembro, a venda de todos os segmentos registrou alta de 3,36% na comparação com novembro, totalizando 331.153 emplacamentos. Com relação a dezembro de 2017, o crescimento foi de 9,93%.

Já os emplacamentos de carros e comerciais leves somou 225.001 unidades licenciadas em dezembro, com crescimento de 1,67%, se comparada ao mês de novembro, e de 9,85% na comparação a dezembro do ano passado. "A queda da taxa de juros e a melhora da inadimplência geraram uma maior oferta de crédito, impulsionando, assim, a venda de automóveis e comerciais leves", disse Assumpção Júnior.

IPC-S cresce em sete capitais e o Rio tem a maior inflação: 0,73%

qui, 03/01/2019 - 10:55

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) terminou o ano de 2018 em alta em sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A variação de preços geral na quarta semana de dezembro foi de 0,29%, mas o indicador chegou a 0,73% no Rio de Janeiro.

Ainda no Rio, foi registrada a maior inflação entre as cidades brasileiras que fazem parte do estudo. Belo Horizonte (0,25%), Porto Alegre (0,25%) e Salvador (0,22%) não chegaram a 0,3% de variação. Recife (0,19%), São Paulo (0,11%) e Brasília (0,09%) tiveram as menores taxas.

A maior inflação pelo IPC-S foi registrada no Rio de Janeiro: 0,73%   (Marcello Casal jr/Agência Brasil)

A inflação do Rio de Janeiro subiu 0,18 ponto percentual em relação à terceira semana de dezembro, quando havia atingido 0,55%.

Vestuário e habitação foram as classes de despesa que mais contribuíram para essa alta, mas alimentação e educação também pressionaram o índice por já se encontrarem em um patamar mais elevado.

Apesar de ter a menor taxa de inflação semanal entre todas as capitais, Brasília teve um avanço de 0,38 ponto percentual na variação de preços. O movimento de preços na capital federal foi influenciado por vestuário e transportes, disse a FGV.

Casa Civil exonera 300 ocupantes de cargos de confiança

qui, 03/01/2019 - 10:48

A Casa Civil da Presidência da República publicou, hoje (3), no Diário Oficial da União, portaria exonerando ou dispensando pessoas que ocupam cargos em comissão ou funções de confiança do órgão.

A Portaria Nº 79 consolida o anúncio feito ontem (2), pelo ministro Onyx Lorenzoni, que a assina. No final da tarde desta quarta-feira, Lorenzoni antecipou que cerca de 300 servidores da pasta comissionados seriam exonerados. Segundo o ministro, o objetivo da medida é iniciar um processo de “despetização”, promovendo a “adequação” dos ocupantes de cargos de confiança ao governo Jair Bolsonaro.

"Vamos retirar de perto da administração pública federal todos aqueles que têm marca ideológica clara. Nós todos sabemos do aparelhamento que foi feito principalmente do governo federal nos quase 14 anos que o PT aqui ficou", disse Lorenzoni.

Pelo texto da portaria publicada hoje, a medida atinge a todos os ocupantes de cargos em comissão ou funções de confiança de nível hierárquico igual ou inferior ao nível seis do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS.

Além das exonerações e dispensas, a medida também encerra as cessões, requisições e colocações em disponibilidade de servidores públicos, empregados e militares de pessoal em exercício na Casa Civil da Presidência da República. O efeito da portaria só não se aplica aos servidores, aos empregados e aos militares em exercício na Subchefia para Assuntos Jurídicos ou na Imprensa Nacional da Casa Civil da Presidência da República.

Também não se aplica aos nomeados, designados, requisitados, cedidos ou colocados em disponibilidade a partir de 1º de janeiro de 2019, bem como aos ocupantes de cargo de Natureza Especial.

O secretário-executivo da Casa Civil pode, em até sete dias contados a partir de hoje, manifestar interesse em manter algum servidor, empregado ou militar no órgão.

Ao anunciar a medida, ontem, o ministro Onyx Lorenzoni comentou que, após exonerados, os funcionários que quiserem permanecer na administração pública serão avaliados pela atual gestão, podendo ser readmitidos. "O que nós vamos buscar é retirar desses cargos quem é antagônico ao nosso projeto", disse Lorenzoni, explicando que os cargos não serão extintos.

Ainda segundo Lorenzoni, a iniciativa da Casa Civil pode ser copiada por outros ministérios e órgãos federais. De acordo com ele, o Poder Executivo tem, ao todo, aproximadamente 120 mil cargos comissionados.

Páginas