Exposição da cultura indígena salva peças de fogo no Museu Nacional

02:28 Cultura, Notícias 10/09/2018 - 08h29 Brasília Embed

Dayana Vitor

Nem todas as peças do acervo do Museu Nacional foram consumidas pelo fogo. Além dos itens que estavam armazenados no prédio anexo à instituição, outros foram salvos.


Entre eles, peças que estão na exposição “Índios: Os Primeiros Brasileiros”, em cartaz no Memorial dos Povos Indígenas do Distrito Federal até o dia 16 de dezembro.


A mostra conta com vários itens do museu do Rio, entre eles imagens de mantos Tupinambás e um conjunto de vestimentas do povo Pankararu, usadas em rituais e confeccionadas em fibras vegetais.


Também estão na exposição, maracás, arcos e flechas, cocares de povos do Nordeste, como os Xucuru, Kiriri, Tupinambá e Fulniô.


O curador da exposição no Memorial dos Povos Indígenas é professor de antropologia da  Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) João Pacheco.


Ele afirmou que o acervo antropológico do Museu Nacional contava com mais 40 mil peças e as que estão em Brasília foram, algumas das poucas salvas.


João Pacheco, que conhecia bem o acervo do Museu Nacional, cita algumas das peças aque existiam no local e foram perdidas no incêndio que ocorreu no dia 2 de setembro.


Mais de 230 mil pessoas no Brasil e exterior já visitaram a exposição “Índios: Os Primeiros Brasileiros” que contêm peças do acervo do Museu Nacional.


Antes de Brasília, a mostra já tinha passado pelas capitais de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia. Também ficou em cartaz em Córdoba, na Argentina.