Painel com gravura rupestre é arrancado no Alto Xingu

02:25 Cultura, Notícias 05/10/2018 - 09h24 Brasília Embed

Juliana Cezar Nunes

Uma Inspeção do Iphan, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, constatou a retirada de um painel com gravuras rupestres localizado na Gruta de Kamukuwaká, em Mato Grosso.

 

O sítio arqueológico é tombado pelo Iphan como patrimônio cultural do país desde 2010 e considerado local sagrado por 11 etnias indígenas do Alto Xingu.

 

Flávio Calippo, diretor do Centro Nacional de Arqueologia do Iphan, afirma que o órgão já solicitou investigação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF).

 

Apurações preliminares da Polícia Militar (PM) indicam a retirada criminosa das placas na gruta onde estavam as pinturas rupestres.

 

Paulo Junqueira, do Instituto Socioambiental (ISA), critica a falta de proteção das áreas depredadas. Ele coordena a equipe do Território Indígena do Xingu e diz que a intensificação do turismo na região da gruta deixou as gravuras rupestres sagradas ainda mais vulneráveis.

 

O Iphan aguarda a apuração da Polícia Federal para definir quais medidas serão tomadas para a proteção do sítio arqueológico da Gruta de Kamukuwaká.

 

Outras gravuras rupestres sagradas para os indígenas estão em galerias inferiores das grutas, cobertas por areia, mas visíveis em algumas épocas do ano.