Presídios de Mato Grosso extinguem revista íntima

02:21 Direitos Humanos, Notícias 22/07/2014 - 13h21 Brasília Embed

Graziele Bezerra

A partir do dia 31 deste mês, visitantes das 65 unidades prisionais de Mato Grosso não vão mais passar por revista íntima. Com a decisão, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado quer evitar que essas pessoas passem por constrangimento. A revista atual exige, por exemplo, que os visitantes tirem a roupa e façam agachamentos para verificar a existência de objetos nas partes íntimas.

Mas a partir da data estipulada pela secretaria, o procedimento padrão será apenas busca manual e utilização de equipamentos que possam identificar objetos portados pelos visitantes, e só nos casos em que apresentarem comportamento suspeito, os visitantes serão submetidos a exames de raio-x, em uma sala reservada.

A medida preocupou alguns cuiabanos, entre eles, Benedito Paulo da Silva, presidente da Associação de Moradores do Bairro Jardim Santa Tereza, a menos de 10 quilômetros da Penitenciária Central do Estado. Ele acredita que a violência nos presídios vai aumentar e trazer insegurança aos moradores da região: " Com certeza vai entrar drogas, armas, celulares, principalmente, no sistema prisional, as pessoas vão ter menos segurança. Vai acontecer muita fuga".

Já a advogada do Programa de Justiça da Conectas Direitos Humanos, Vivian Calderoni, comemora a decisão. Ela acredita em outras formas de revista para garantir a segurança nos presídios: " Existem diversas formas de realizar a revista de forma a preservar a dignidade humana, que é o mais importante, e que possam encontrar esses objetos proibidos. O estado de Goiás, por exemplo, não instalou scanner corporal, apenas aparelho de raio-x ,e vem lidando muito bem com a situação".

A proibição da revista íntima nas unidades prisionais matogrossenses segue o exemplo do que já acontece em Goiás, Recife, Espírito Santo, e em Joinville, Santa Catarina.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique