Uma em cada três línguas indígenas pode desaparecer até 2030

03:45 Direitos Humanos, Especiais 11/12/2014 - 18h28 Rio de Janeiro Embed

Vitor Abdala

Em uma área de proteção ambiental, localizada a pouco mais de 50 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, um grupo de cerca de 60 pessoas mantém uma tradição milenar. Nesse lugar, em meio a casas de barro com teto de sapê e construções simples de madeira, o português quase nunca é ouvido. Pelo menos não quando elas se comunicam entre si, sem a presença de nenhum visitante.

 

A Aldeia Mata Verde Bonita, construída no início de 2013, no município de Maricá, abriga cerca de 20 famílias guaranis mbyá originárias de Paraty, no sul fluminense. Aqui a língua franca é a variedade imbyá do guarani, um idioma indígena do tronco tupi-guarani, falado por milhares de indígenas (e até não-indígenas) no sul e no centro-oeste do país e em vizinhos, como a Bolívia e o Paraguai.

 

Das coisas mais simples, como pedir um objeto, até as mais elaboradas, como a prática de rituais e festas, tudo é feito através do guarani, como conta Miguel Veramirim, líder indígena da comunidade. 

 

 

O guarani é apenas uma das dezenas de línguas indígenas ainda faladas, mais de 500 anos depois da chegada dos europeus. Dependendo do critério usado para definir uma língua, existem no país entre 150 e 200 idiomas. Apenas cinco, entre elas o guarani, têm mais de 10 mil falantes.

 

A maioria é falada por apenas algumas dezenas de indíviduos. Segundo uma estimativa do diretor do Museu do Índio, José Carlos Levinho, uma em cada três línguas indígenas deverá desaparecer no prazo de 15 anos. Ou seja, deverão ser extintos entre 45 e 60 idiomas até 2030.

 

SONORA

 

Segundo ele, desde que o Museu do Índio iniciou um trabalho de documentação de línguas indígenas, chamado de Prodoclin, em 2009, os pesquisadores do projeto viram dois idiomas serem extintos, o apiaká e o umutina.

 

Segundo especialistas, o Brasil já chegou a ter mais de mil línguas, mas o número foi caindo com o passar do tempo, devido à colonização do território pelos portugueses e o predomínio da língua portuguesa. O principal idioma da época da colônia era o tupi antigo, idioma que foi extinto mas que deixou um grande legado para o português falado no Brasil. São nomes de lugares, frutas e animais, além de alguns verbos e expressões ainda usadas pelos não índios hoje em dia. 

 

Confira o especial completo na Agência Brasil

 

Reportagem: Vitor Abdala
Edição: Lilian Beraldo
Sonoplastia: Marcos Tavares

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique