Últimos presos de Auschwitz eram libertados há 70 anos

03:04 Direitos Humanos, Programetes 27/01/2015 - 07h30 Brasilia Embed

Apresentação Dilson Santa Fé

Há 70 anos, o Exército Vermelho libertou Auschwitz, o maior e mais terrível campo de extermínio dos nazistas, onde morreram nas câmaras de gás e crematórios  mais de um milhão de pessoas, a maioria judeus. Com a libertação dos prisioneiros, o mundo conheceu o horror.

 

Auschwitz-Birkenau foi criado em 1940 e ficava a 60 quilômetros de Cracóvia, cidade ao Sul da Polônia. Auschwitz serviria inicialmente como centro de prisioneiros políticos, mas o complexo foi ampliado no ano seguinte. Logo depois foram construídas as câmaras de gás, que utilizavam o composto químico altamente tóxico Zyklon B - quando em contato com o ar  produz gases que provocam morte rápida.

 

Depois os corpos eram incinerados em enormes crematórios. Durante o teste inicial com esse gás, morreram 850 prisioneiros polacos e russos, em setembro de 1941. A experiência foi considerada um sucesso e utilizada no campo em 1941 e 1942, além de serem construídas câmaras também em outros campos de concentração.

 

Em 1944, no auge do Holocausto 6 mil pessoas eram assassinadas por dia, o que tornou Auschwitz sinônimo de genocídio de judeus e de muitos outros grupos perseguidos pelo nazismo. Na iminência da chegada das tropas soviéticas, os nazistas queriam liquidar o maior número possível de prisioneiros e na pressa muitos foram enviados aos crematórios ainda vivos.

 

Para apagar os vestígios do Holocausto antes da chegada do Exército Vermelho, os nazistas implodiram as câmaras de gás em 1944 e evacuaram a maioria dos prisioneiros.  Muitos marcharam dia e noite numa direção desconhecida.

 

Quem não suportava a caminhada, era executado a tiros. Vários corpos ficaram estendidos na rota da morte. Os que conseguiram chegar no campo de concentração de Bergen-Belsen, foram libertados mais tarde pelos britânicos, em 1945.

 

Na tarde de 27 de janeiro de 1945, as tropas soviéticas chegaram a Auschwitz, era um sábado. A forte resistência dos soldados alemães ainda resultou na morte de 231 soldados soviéticos. Oito mil prisioneiros foram libertados, a maioria em situação deplorável por causa do sofrimento que enfrentaram. A ONU instituiu em novembro de 2005 o dia 27 de janeiro em memória das vítimas do Holocausto.

 

História Hoje : Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. É publicado de segunda a sexta-feira.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique