Comissão pede reconhecimento da escravidão como genocídio

02:27 Direitos Humanos, Notícias 09/12/2015 - 23h00 Brasília Embed

Carol Barreto

A História é, em geral, escrita pelos vencedores. No entanto, de vez em quando os vencidos se rebelam e atrevem-se a reescrevê-la com suas próprias cores. Esse é o trabalho da Comissão Estadual da Verdade sobre a Escravidão Negra, instalada em março deste ano no Rio de Janeiro.

 

Após oito meses de pesquisa, o resultado parcial das investigações foi apresentado nesta quarta-feira (9) no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Relator da Comissão Estadual da Verdade Sobre a Escravidão Negra, Wilson Prudente pontuou os mitos que o trabalho do grupo está derrubando e as propostas de reparação que apresentarão.

 

Presidente da Comissão Estadual da Verdade sobre a Escravidão Negra, Marcelo Dias anunciou a assinatura de um convênio com a Polícia Militar para a continuidade das pesquisas do grupo.

 

Em oito meses de trabalho, uma das coisas que a comissão já descobriu é que 70% dos africanos que chegaram vivos ao Brasil nos navios negreiros eram menores de 18 anos, o que significa que o país teve uma escravidão essencialmente infantil. Já foram realizadas reuniões e audiências públicas em 12 municípios do estado, mas o plano é visitar todos para ouvir a população negra, incluindo-a no processo.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique