Mais de 20 pessoas foram libertadas de trabalho escravo no PA

01:29 Direitos Humanos, Notícias 25/03/2016 - 19h38 Brasília Embed

Michele Moreira

Vinte seis trabalhadores que viviam em condição semelhante à escravidão foram libertados em São Félix do Xingu, sudoeste do Pará entre os dias 7 e 17 de março. A ação foi resultado de Operação do Grupo Móvel de Fiscalização do Ministério do Trabalho e Previdência Social em duas fazendas da região.

 

Na propriedade Guaporé, 12 trabalhadores não tinham anotações na carteira de trabalho e estavam com os salários atrasados. Eles também não tinham água potável e instalações sanitárias. O grupo foi aliciado em Vila Rica, no Mato Grosso e Tucumã, no Pará.

 

O valor das rescisões recebidas pelos trabalhadores alcançou 54 mil reais. Além disso, cada um terá direito a 30 mil reais de indenização por dano moral individual.

 

Já na Fazenda Chocolate, foram resgatadas 14 pessoas. O valor das rescisões chegou a 52 mil reais. Além de 35 mil reais por dano moral a cada trabalhador resgatado.

 

As vítimas receberam guias de encaminhamento do seguro-desemprego, além das carteiras de trabalho.

 

O Grupo Móvel de Fiscalização é formado por auditores do Ministério do Trabalho e Previdência Social, procuradores do Trabalho e defensores públicos, além de agentes da Polícia Federal que fiscalizam denúncias de mão de obra semelhante à de escravo em todo o Brasil.