No Pará, crianças são exploradas sexualmente por R$ 3 ou comida estragada

03:45 Direitos Humanos, Notícias 19/05/2017 - 08h54 Belém Embed

Iolanda Kinoshita, da Rádio Cultura

Em 1.969 pontos espalhados nas rodovias brasileiras, roupas curtas e batons de cores fortes escondem a inocência de crianças e adolescentes que tão cedo tiveram a inocência trocada pelo comércio da exploração sexual.


No Pará, nas vias fluviais, meninos e meninas nem precisam se disfarçar de adultos. No Marajó, por exemplo, basta ter a quantia de R$ 3,00, ou algum resto de alimento, para ter relações com uma criança, afirma a coordenadora de Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).


Confira os detalhes na matéria de Iolanda Kinoshita.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique