Comissão da Alerj pede retirada de peças do candomblé do Museu da Polícia Civil

02:01 Direitos Humanos, Notícias 21/08/2017 - 18h58 Rio de Janeiro Embed

Joana Moscatelli

Peças sagradas do Candomblé e da Umbanda correm o risco de degradação no Museu da Polícia Civil do Rio de Janeiro. A avaliação é da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado, que visitou nesta segunda-feira (21) o acervo apreendido na primeira metade do século XX. O deputado estadual Flávio Serafini lembrou que o acervo além do valor religioso, tem uma importância histórica e cultural.

 

Segundo Serafini, é preciso realizar uma devolução simbólica dessas peças apreendidas e a gestão do acervo deve ser compartilhada com representantes das religiões de matrizes africanas.

 

No dia 5 de setembro, a Assembleia Legislativa do Rio realiza audiência pública com a presença de representantes das religiões de matrizes africanas, do movimento negro e do Museu da Polícia Civil. O objetivo é discutir a importância e o melhor destino para o acervo que inclui imagens religiosas, vestimentas e instrumentos musicais. Até o fechamento dessa reportagem, a Polícia Civil não se pronunciou sobre o tema.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique