Mutirão em Roraima legaliza situação de venezuelanos no Brasil

02:01 Direitos Humanos, Notícias 31/07/2018 - 12h58 Brasília Embed

Maíra Heinen

A Justiça de Roraima iniciou esta semana um mutirão para legalizar e documentar os estrangeiros na região, principalmente imigrantes venezuelanos.


Serão realizados atendimentos judiciais de forma itinerante à população de refugiados venezuelanos.


Um acordo de cooperação foi firmado, em junho, entre o Tribunal de Justiça de Roraima e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). O acordo permite que toda a documentação do processo seja em espanhol, assim como a língua a ser utilizada durante as audiências.


O juiz Érick Linhares, do Tribunal de Justiça de Roraima, explica que todos os abrigos serão atendidos e a ideia é ficar uma semana em cada local.


O primeiro atendimento foi realizado nessa segunda-feira (30), no Jardim Floresta.


A equipe de trabalho é formada por um juiz civil brasileiro, um promotor, um defensor público, além de um juiz conciliador venezuelano, Oswaldo José Ponce Pérez.


O juiz federal venezuelano tem 51 anos e está há três anos no Brasil. Ele explica o que passou no país nesses últimos anos.


Na última semana, Oswaldo conseguiu validar seu diploma no Brasil. Com seus conhecimentos jurídicos e culturais pretende ajudar os conterrâneos na comunicação, além de criar uma relação de confiança entre os imigrantes e as autoridades brasileiras.


De acordo com dados da Polícia Federal, a maioria dos venezuelanos que migram para Roraima é de Caracas, capital do país. Mais de 58% são homens e jovens entre 22 e 25 anos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique