Indígenas fazem vigília em frente ao STF contra Marco Temporal

01:32 Direitos Humanos, Notícias 08/08/2018 - 15h38 Brasília Embed

Leandro Martins

Cerca de 50 indígenas de Mato Grosso do Sul estão em Brasília. Eles vão fazer vigílias diárias, em frente ao STF, o Supremo Tribunal Federal, até a próxima sexta-feira (10).

 

A primeira vigília aconteceu na tarde dessa terça-feira (7), com a participação de indígenas das etnias Guarani e Kaiowá. Eles querem sensibilizar os ministros da suprema corte contra o “marco temporal”.

 

Essa tese prevê que os indígenas só teriam direito à demarcação das terras sob sua posse até o dia 5 de outubro de 1988, quando foi promulgada a Constituição Federal.

 

A representante dos Kaiowá na vigília, Flávia Nunes, declara que comunidades se sentem injustiçadas pelo marco temporal.

 

Sonora: "Nossas áreas, que foram atingidas pelo marco temporal dizendo que a terra não é tradicionalmente. Estamos aqui para defender os nossos direitos, essa grande vigília.

 

Em 2014, a Segunda Turma do STF anulou três demarcações com base nesta tese, entre elas, a Terra Indígena Guyraroka, dos Guarani e Kaiowá, em Mato Grosso do Sul.

 

Desde então, eles temem ser expulsos da região, onde atualmente vivem em situação de vulnerabilidade, numa área cercada por fazendas.

 

 

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.