No Pará, índios protestam por atendimento precário de saúde

01:40 Direitos Humanos, Notícias 07/08/2018 - 11h30 Brasília Embed

Renata Martins

Cerca de 80 indígenas ocuparam desde a manhã dessa segunda-feira (6) a sede da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), em Santarém, no Pará.


O protesto é liderado pelo Conselho Indígena Tapajós/Arapiuns, que reivindica melhores condições no atendimento à saúde dos 13 povos indígenas do baixo Tapajós. Na região, vivem, por exemplo, índios dos povos Tapajó, Munduruku, Tupinambá, Arapium, Apiaká e Borari.


O cacique Braz Tupinambá afirma que faltam medicamentos e, além do atendimento ser precário, tem parente morrendo nas aldeias por falta de ambulância para conduzir os doentes para Santarém.


O cacique tupinambá relata, também, que no último mês três indígenas morreram por problemas no atendimento.


“O cidadão foi caçar, fazendo coleta de mel. A 'surucucu pico de jaca' mordeu e acabou que veio a falecer e o atendimento não chegou no tempo hábil. O outro foi o caso de uma moça que veio em estado grave, com a criança pra nascer, e não teve o socorro adequado. A criança veio a falecer e mãe também.”


Os manifestantes informaram que só vão desocupar a Sesai quando tiverem a garantia que todos os parentes serão atendidos com qualidade e a tempo, pela secretaria.

A reportagem ainda não recebeu retorno do Ministério da Saúde sobre a ocupação.