Casa para abrigar refugiados é inaugurada em Brasília; tem inscrições abertas para cursos

03:03 Direitos Humanos, Notícias 08/11/2018 - 16h18 Brasília Embed

Sayonara Moreno

Um espaço de integração, apoio e orientações a migrantes e refugiados. Assim é a nova Casa de Direitos, que passa a funcionar no centro de Brasília, a partir desta quinta-feira (08).

 

O espaço, na região central da capital federal, foi cedido pela Conferência Nacional de Bispos do Brasil e é o primeiro do país.

 

Como sugere o nome, os acolhidos vão receber acolhimento, atendimento jurídico, psicossocial e também capacitações tanto para o mercado de trabalho, quando para a convivência em comunidade, no dia a dia.

 

É o que explica Fernando Zamban, coordenador nacional da Cáritas Brasileira, entidade ligada à igreja católica.

 

Um dos projetos implantados no local é a realização de cursos de língua portuguesa e cultura brasileira, economia solidária, legislação trabalhista, empreendedorismo e inclusão digital.

 

As inscrições vão até o dia 14 de novembro e já tem gente interessada. É o caso de Andrerobert Okandalemba, que fugiu de perseguições políticas e religiosas da República Democrática do Congo, em 2010.

 

Com o apoio da Cáritas Brasileira, também responsável pela Casa de Direitos, ele diz que essa é uma forma de ajudar quem enfrenta dificuldades no país e, por isso, vai aperfeiçoar o português. 

 

Andrerobert conta que o idioma é a pior barreira, porque atrapalha na comunicação.

 

Outro programa a ser desenvolvido no local, é o Pana, que significa amigo, na língua indígena Warao, etnia venezuelana atingida pela crise econômica de lá; e o projeto de Educação e Capacitação para Refugiados e Migrantes.

 

A ideia é fornecer acesso à moradia, com aluguel subsidiado de casas ou apartamentos para imigrantes que se refugiaram em Roraima, e são encaminhados para Brasília.

 

Aqueles em situação e vulnerabilidade receberão, ainda, kits de primeira necessidade como alimentos, higiene pessoal e de limpeza.

 

A Casa de Direitos vai ser instalada, ainda, em mais seis capitais: Boa Vista, Porto Velho, São Paulo, Recife, Curitiba e Florianópolis.