Cimi aponta morte de 20 crianças indígenas no AC este ano; Sesai investiga os casos

01:36 Direitos Humanos, Notícias 25/10/2019 - 12h56 Brasília Embed

Maíra Heinen

Levantamento feito pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), na Terra Indígena Alto Rio Purus, no Acre, aponta a morte de 20 crianças com idades entre 1 mês e 11 anos. Os casos ocorreram entre janeiro e agosto deste ano, quando as vítimas apresentaram febre, vômito, cãibras e diarreia.

 

Cerca de 45 aldeias dos povos Huni Kui, Kaxinawá, Madja, Kulina e Jaminawa, em sua maioria, estão instaladas às margens do rio Purus.

 

De acordo com o conselho, os surtos de diarreia são periódicos e a causa é a falta de saneamento básico nas aldeias, como explica a integrante do Cimi, Rosenilda Padilha.

 

"As contaminações das águas. Eles bebem água do rio Purus e isso tem provocado diarreia e vômito nas crianças. Teve também casos de pessoas adultas que morreram de vômito e diarreia."

 

Em nota, a Sesai - Secretaria Especial de Saúde Indígena - informou que solicitou um levantamento detalhado da situação do Distrito Sanitário Alto Rio Purus, incluindo as condições de saneamento, para investigar os óbitos.

 

O órgão afirma que o Ministério da Saúde tem ciência das dificuldades locais para a execução de obras de saneamento básico ao longo dos anos e trabalha para solucionar os problemas.

 

A secretaria informa que está adotando as providências para intensificar as ações ao enfrentamento das causas evitáveis de mortalidade.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique