Proteção do emprego deve ter adesão principalmente da indústria, diz Rossetto

07:18 Economia, Entrevistas 07/07/2015 - 18h57 Brasília Embed

Denize Bacoccina

O Programa de Proteção ao Emprego é o foco desta entrevista do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República,  Miguel Rossetto, à Agência Brasil. O objetivo central da medida, que inicialmente vai contar com R$ 100 milhões, é preservar os postos de trabalho no país. 

 

As empresas que aderirem vão poder reduzir até 30% da jornada de trabalho e, proporcionalmente os salários. No entanto, o governo federal vai garantir a complementação de até metade da perda salarial até o limite de R$ 900. A medida vai valer até o fim de 2016 e, conforme o ministro, o setor industrial deve ser um dos principais participantes.

 

Uma das condições para que as empresas possam aderir ao Programa de Proteção ao Emprego  é não demitir durante e após um terço do tempo da vigência do acordo.

 

O programa, criado por medida provisória assinada nesta terça-feira (7) pela presidente Dilma Rousseff, foi construído por meio do diálogo com as Centrais Sindicais e setores empresariais. Embora passe a valer imediatamente com força de lei, a proposta ainda vai passar pela avaliação do Congresso Nacional. 

 

Acompanhe os detalhes na entrevista.

 

Leia mais na Agência Brasil:

 

"Vamos financiar o emprego em vez do desemprego", diz Rossetto

 

Medida provisória autoriza empresas a reduzir salário e jornada de trabalho

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique