Trocando em Miúdo: Conheça o golpe do empréstimo online e fuja de situações suspeitas

04:42 Economia, Programetes 13/11/2017 - 02h00 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte cidadã.

 

Está correndo por todo lugar, pelo telefone, na rua ou mesmo na internet, um golpe que tem apanhado gente desprevenida ou, porque precisando de dinheiro, acredita que está fazendo um negócio interessante.  É o golpe do empréstimo online. Vamos nessa?


 A pessoa oferece dinheiro emprestado, pagamento de juros que parece igual ao dos bancos, sem muita exigência nem nada, garantia de rapidez.

 

A pessoa, precisando muito para pagar dívida atrasada, aceita e o pior. Na maioria das vezes, o golpista, que pode até usar o nome de um correspondente bancário, pede a comissão adiantada.

 

A pessoa manda o dinheiro, que parece pouco, e adivinhe o que acontece. Não vê o dinheiro de volta e muito menos o prometido de emprestado.


A coordenadora institucional da Proteste – Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, avisa que é preciso tomar muito cuidado nestas facilidades de tomar dinheiro emprestado.

 

Primeiro lugar: desconfie. Segundo lugar: fuja na hora se a pessoa, mesmo dizendo que é correspondente bancário, pede algum dinheiro adiantado pelo serviço. É fria.

 

Sonora: "Sem dúvida, não contratar por telefone, por mensagens de email, não contratar sem conhecer onde ele está realmente fazendo o seu contrato de empréstimo. Lembrando que principalmente aposentados e pensionistas devem, caso necessitem, solicitar na instituição onde recebem seu benefício e não contratar fora dali. Porque existe ali o endividamento real de aposentados e pensionistas e que não deveria, por exemplo, ultrapassar 30% do salário que ele recebe para concessão de empréstimo."

 

Pois então, olho vivo para não cair no golpe do empréstimo por pior que esteja a sua situação, precisando pagar dívida atrasada.

 

Sempre tem que pegar o telefone de quem está oferecendo o serviço, o endereço, a página na internet. E depois, por meio do telefone 145, do Banco Central, ver se a empresa existe mesmo.

 

Se existir, vai ter o quanto cobra de taxas pelo serviço, se tem reclamações. Há ainda os serviços de defesa do consumidor. 

 

Sonora: "Ele tem que verificar junto ao Banco Central, pedir informações para defesa do consumidor, verificar se ele não tem muitas reclamações nos órgãos de defesa do consumidor e, prinicipalmente, checar todas as informações que estão sendo passadas. O consumidor não deve contratar por telefone porque, geralmente, não tem as regras claras e o documento físico que vai comprovar o empréstimo. Por telefone é bem perigoso e a Proteste não recomenda."

 

Pronto. Então, estamos entendidos. Se o serviço for oferecido pelo telefone ou pela internet, olho vivo uma porção de vezes. Muito cuidado redobrado.

 

E mesmo assim, o que vale se for assinado numa empresa pequena, faça o seguinte: comece guardando tudo que for papel. Até a propaganda é importante para depois reclamar.

 

Então, tá.
Inté e axé.

 

Trocando em Miúdo: Programete sobre temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É publicado de segunda a sexta-feira.

 

* Este programa é uma reprise de 03/03/2016