Trocando em Miúdo: Conheça as pessoas que trabalham de graça no país

03:22 Economia, Programetes 11/05/2016 - 02h00 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte cidadã.

Trabalhar de graça ninguém quer, né? Quer dizer. Tem muita gente trabalhando de graça, sim. Palavra do IBGE. São quase três milhões. E o pior. As mulheres são quase o dobro dos homens que trabalham sem receber. 

 

Em outubro do ano passado, 2015, último levantamento divulgado pelo IBGE, 2 milhões e 652 mil pessoas trabalhavam de graça, em todo o Brasil, e não se trata de trabalho escravo e já digo o porquê.


Trata-se do chamado trabalhador familiar auxiliar, que não entra nos índices de desemprego, ainda que não esteja empregado, apenas ocupado em ajudar alguém da família. Por exemplo: o pai é eletricista e leva o filho junto para ajudar quando consegue um serviço.

 

Continuando a prosa. Trabalhador não remunerado, ou seja, trabalhador que trabalha de graça. Por conta do aumento do desemprego, da crise na economia e da dificuldade cada vez maior de arranjar um trabalho. Esta é a situação.


E tem mais um porém. Este tipo de pessoa cidadão não é incluido no meio dos desempregados e, caso o fosse, o índice de desemprego no Brasil já teria alcançado a casa dos dois dígitos, ou seja, mais de 10%.

 

Desde 2004 até o ano passado que o número de trabalhadores de graça vinha só caindo, mas agora, por causa da nova situação, voltou a aumentar e os técnicos do IBGE acham que, neste ano de 2016, a situação continua na mesma dificuldade.


E tem mais uma coisa. Não entra nestes números de trabalho de graça os que fazem voluntariado em instituições religiosas ou beneficientes. E também estão fora os estagiários e aprendizes, mesmo que recebam apenas a experiência no trabalho.

 

Terminando com uma coisa que estava quase esquecendo. Esse pessoal, quase 3 milhões, que trabalha de graça, sempre ajudando alguém da família que tenha algum serviço, pois mal, este pessoal não entra na estatistica dos desempregados e muito menos naqueles que trabalham por conta própria e nem os que estão na informalidade.


Para os técnicos, eles formam uma força de trabalho oculta. Por isso, não aparecem como desempregados.

Então tá.
Inté e Axé.

 

* Este programa é uma reprise. Ele foi ao ar originalmente em 04/01/2016


Trocando em Miúdo: Programete sobre temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É publicado de segunda a sexta -feira.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique