Postos de Brasília amanhecem com preços de combustíveis reajustados

01:49 Economia, Notícias 21/04/2017 - 12h37 Brasília Embed

Anna Luisa Praser

Nem bem o aumento dos preços foram anunciados nas refinarias e os reajustes já chegaram às bombas de combustível.


Em Brasília, por exemplo, o consumidor chega a pagar entre R$ 3,70 e R$ 3,94 por litro de gasolina. Um aumento de quase 15% em relação ao preço anterior, em média de R$ 3,39. 


Se o cliente tem sempre razão, não anda muito satisfeito. O Alberto Fábio que o diga: “A gente hoje em dia vive um sobe e desce demais. Eles têm condições de trabalhar em cima do valor [dos combustíveis], porém não querem trabalhar, querem jogar o reajuste do preço para o consumidor e o consumidor que se vire”.


De acordo com a Petrobras, o aumento da gasolina nas refinarias foi 2,2% e do diesel chegou a 4,3%. Tudo justificado pelas políticas de preços anunciadas em outubro de 2016, que observa a semelhança com os preços do mercado internacional e os tributos aplicados para que o combustível chegue aos distribuidores. 


A estatal destacou, ainda, que a elevação dos preços dos derivados no mercado externo e os confrontos na Síria influenciaram na decisão pelo aumento do preço.


No entanto, o reajuste dado pela refinaria não significa que o preço tenha que aumentar para o consumidor.


Enquanto as distribuidoras decidem sobre repassar ou não o preço do combustível na bomba, o Ademar Guedes já sabe o que tem fazer para ter um alívio no bolso: “Com relação a preço a gente tem que procurar uma opção melhor e ultimamente a gente não está tendo opção né?”


A revisão de preços nas refinarias é feita a cada 30 dias. De acordo com a Petrobras, o preço final ao consumidor não deve aumentar mais de R$ 0,09 por litro, no caso do diesel, e nem passar de R$ 0,04 no litro da gasolina.