Trocando em Miúdo: Saiba como fugir de contratos abusivos de financiamento da casa própria

03:58 Economia, Programetes 08/08/2017 - 02h28 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte cidadã.

 

Sabe aquele sonho da casa própria que a gente leva até 30 anos para pagar e, quando não consegue mais, por causa dos juros compostos e a queda do poder do nosso salário ou, pior ainda, até por causa do desemprego, daí, a gente vê o quanto que ainda está devendo: Pois, vamos nessa!

 

Pois então. Os bancos usam uma coisa que é proibida, a tal da Tabela Price, que permite cobrança de juros em cima de juros e que, por isso, o contrato pode até ser feito de novo. Por isso, a prosa de hoje é com o advogado Nelson Lacerda, tributarista especializado em direito imobiliário.

 

Pela ordem, doutor. Primeiro, é comum assim os bancos obrigarem os compradores de casa própria a assinarem contratos que abusem desta tal de cobrança de juros em cima de juros?

 

Mas não tem como a pessoa que assina a compra da casa em até 30 anos escapar disso não? Eu digo exigir um contrato em que as prestações da casa diminuam, ao longo do tempo, e não aumentem, como está acontecendo?

 

Pois então, doutor Nelson Lacerda, tributarista em direito imobiliário, explique então para a gente do que trata esta tal Tabela Price, que dá tanto lucro para o banco e prejuízo para o cidadão na compra da casa própria? Tabela Price, cobrança de juros em cima de juros, né isso?

 

Então, resumindo a prosa no que interessa. Para não perder a casa, a pessoa tem que, lógico, pagar as prestações, até porque se atrasar uma, na próxima, vai vir os juros e mais juros em cima do total. Acontece que esse sistema, ainda usado pelos bancos, já foi considerado ilegal até pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ): "É proibida a capitalização de juros em financiamentos habitacionais pelo longo prazo do contrato."

 

Então, antes que a pessoa não consiga mais pagar a prestação da casa própria, procure o banco para negociar. Mas tem uma coisa melhor ainda. Procure um advogado para refazer o contrato, tirando os tais juros em cima de juros.

 

Só não pode uma coisa. Perder a sua casa. Aliás, o que está acontecendo com muita gente, por causa da crise econômica, desemprego e tal.

 

Então, tá. Inté e axé.

 

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa "Em Conta", da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.