Trocando em Miúdo: Devo não nego, mas só pagarei se fizer as contas

03:44 Economia, Programetes 06/10/2017 - 08h02 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá prezada pessoa ouvinte cidadã.

 

Direto ao que interessa. Último levantamento da Confederação Nacional do Comércio. Sobe para 58% o percentual de famílias que se dizem endividadas. Tem mais ainda. 10% pelo menos, estão naquela situação: devo, não nego, pagarei se puder.

 

Vamos nessa.

 

Pois então. De volta ao mesmo levantamento  feito, aliás, para alertar os comerciantes na hora de parcelar uma venda, para quem, qual o prazo ou, se for o caso, deixar de vender mas não perde nem o cliente e muito menos o dinheiro da venda.

 

De volta à pesquisa da CNC. Repetindo. Mais da metade das famílias confessam que estão endividadas. Muitas que não vão conseguir pagar tão cedo. Com isso, perde o crédito e tudo. Uma das causas, diz quem fez a pesquisa, é o alto número de pessoas sem emprego e trabalho. Mas também tem outra coisa. Falta de cuidado antes de se endividar.

 

Presidente da Associação Brasileira dos Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos. Tem um jeito simples das famílias se prevenirem antes de sair gastando por aí mesmo que seja em alguma coisa de necessidade?

 

Mais um pouco da última pesquisa da CNC. Tempo médio de atraso no pagamento das dívidas é 64 dias.

 

Geralmente, são prestações em torno dos sete meses de duração. E, mais uma vez, muito cuidado mesmo com o tal do cartão de crédito.

 

É o vilão no endividamento. Por culpa de quem não sabe usar, lógico. E atinge todas as classes. Nas mais ricas, 73%. Nas mais pobres, 77%.

 

Fim de prosa.

 

A pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo alerta. Está maior o pessimismo, entre os endividados, em relação à capacidade de pagamento das prestações em dia. Mas educador financeiro Reinaldo Domingos, por causa de que mesmo as pessoas se endividam além da conta?

 

 

Então, tá. Inté e axé.

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa "Em Conta", da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.