Marcelo Caetano: não aprovar a reforma da Previdência trará impacto negativo para o país

01:44 Economia, Notícias 09/02/2018 - 12h47 Brasília Embed

Graziele Bezerra

Deixar de aprovar a reforma da Previdência pode trazer impactos negativos para a economia brasileira, segundo o secretário da Previdência Marcelo Caetano. Em entrevista à TV NBR, nesta sexta-feira (9), Caetano explicou que um dos objetivos da reforma é o ajuste das contas públicas.

 

Sonora: “O brasileiro já paga muito imposto. Praticamente quatro meses do ano são pagos com tributos. Então, se nós não fizermos a reforma da Previdência, a despesa vai crescer muito, muito, muito, e a gente vai precisar ajustar a arrecadação. Se não fizermos a reforma da Previdência, a tributação vai ter que aumentar.”

 

O déficit da Previdência em 2017 ultrapassou R$ 182 bilhões. Número 20% maior que o rombo registrado em 2016. Ainda de acordo com o secretário, esse déficit é crescente, desde 1995 e pode ser explicado pelo envelhecimento da população

 

Sonora: “As pessoas vivem cada vez mais. Também as pessoas têm cada vez menos filhos. Então, é uma realidade que o Brasil envelhece num ritmo muito acentuado. Então, tem uma questão estrutural de envelhecimento populacional que faz com que o déficit cresça num ritmo cada vez mais rápido. Então a gente tem que fazer uma reforma da Previdência, de modo preventivo, pra impedir que haja, no Brasil, situações como as que ocorreram no Portugal e na Grécia, que não puderam pagar os benefícios.”

 

A votação da proposta de reforma da Previdência está marcada para a semana após o carnaval. O governo aposta em 28 de fevereiro como data limite para a aprovação do texto, na Câmara dos Deputados.