Móveis e eletrodomésticos puxaram vendas do comércio em 2017

02:11 Economia, Notícias 09/02/2018 - 14h25 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

Depois de duas quedas consecutivas em 2015 e 2016, as vendas do comércio tiveram um aumento de 2% no ano de 2017 em comparação ao ano anterior. Em 2015, a queda foi de 4,3% e em 2016, de 6,2%.

 

Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio foram divulgados nesta sexta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE.

 

Três dos oito segmentos pesquisados fecharam o ano em alta, com destaque para móveis e eletrodomésticos, com um crescimento de 9,5%, e para tecidos, vestuário e calçados, que cresceu 7,6%.

 

Também tiveram desempenho positivo os setores de artigos farmacêuticos, médicos e perfumaria, outros artigos de uso pessoal e doméstico e supermercados e produtos alimentícios.

 

Os segmentos que tiveram queda foram combustíveis e lubrificantes, livros, jornais revistas e papelaria, com o pior desempenho do ano, com queda de 4,2% e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação.

 

Quando os dados incluem o varejo ampliado, que leva em conta também materiais de construção e veículos e peças de veículos e motos, o desempenho do ano tem um crescimento de 4%.

 

Na comparação de dezembro de 2017 com o mesmo mês de 2016, o volume de vendas do varejo cresceu 3,3%, enquanto o do varejo ampliado avançou 6,4%. 

 

Os dados indicam também que a receita do comércio varejista descontadas as eventuais dívidas, a chamada receita nominal, cresceu 2,2% no ano, enquanto a do varejo ampliado aumentou 3,6%. 

 

Na comparação de dezembro de 2017 com o mesmo mês de 2016, a receita avançou 2,6% no varejo e 4,8% no varejo ampliado.