Trocando em Miúdo: Ouça dicas de economista pra não se enrolar em dívidas neste carnaval

06:36 Economia, Programetes 07/02/2018 - 02h06 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte cidadã.

 

Muita gente estressada e, por isso, gastando mais, endividando-se mais, muitas vezes entrando na inadimplência, sujando o nome tal. E um detalhe importante que aparece na pesquisa feita pela SPC Brasil junto com a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Principalmente as mulheres que, quando estressadas, acabam gastando mais.

 

E no carnaval, economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito, Marcela Kawauti, a mulher compra mais do que o homem por causa de que mesmo, sô?

 

Sonora: “As mulheres acabam gastando com mais frequência pra aliviar o ps prolemas do dia-a-d ia não necessariamente o valor é maior, mas a frequência com que ela tem essa atitude é um pouco maior. Isso tem a ver com o fato de que mulheres são mais emotivas que os homens. Mas é bom lembrar que também tem muito homem por aí que acaba descontando nas compras. Tem que tomar cuidado aí.”

 

Vamos aos números frios da pesquisa: 43,7% dos que admitem aliviar o estresse do dia a dia fazendo qualquer tipo de compra são mulheres. Elas também são suscetíveis às emoções quando compram por impulso, quando compram algo sem planejar. Neste caso, repetindo, são 37,7% de mulheres e 26,5% de homens que admitem que caem na tentação da compra por impulso.

 

E já que estamos nestes dias de carnaval em que a pessoa costuma se soltar mais para se livrar do estresse do restante do ano, principalmente na economia, com mais dinheiro gasto do que recebido, imagina então como deve ser a compra por impulso, para dar prazer, para se sentir bem, pelo menos na hora de pegar a mercadoria na mão. Depois do carnaval, quando vier a conta do cartão, aí o bloco é outro. Mas dona Marcela Kawauti, economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito. No carnaval, a pessoa precisa de cuidar mais para não gastar, não é mesmo?

 

Sonora: “Tem que tomar muito cuidado. Não somente durante o carnaval. O que a gente indica, e que sabe que é uma forma de alívio para os problemas do dai a dia, é que todo mundo deixe uma parte do orçamento para as compras não planejadas. No exemplo das mulheres, a gente aconselha, já que elas gostam muito de sapato e de roupa, deixa um pedacinho do orçamento sempre destinado a esse tipo de compra. E, naquela que hora que aparecer aquela oportunidade imperdível, daí você pode comprar sem sair do orçamento, sem sair daquilo que pode.”

 


Mas terminando a prosa, Marcela Kawauti, do SPC Brasil. A mulher não pode perder aquela boa oportunidade, liquidação, moda, modelo. Nesses casos, para escapar da tentação de mais uma compra, qual o conselho? Agora vale tanto para a mulher quanto para o homem ou quanto seja para quem for. Qual o seu conselho?

 


Sonora: “O melhor a se fazer é planejar. O melhor é olhar a situação financeira com bastante cuidado e ver o que do dinheiro pode ser destinado a essa peçaa de carnaval e se ater a esse valor. Quem for viajar, por exemplo, vale a pena levar o dinheiro que pode gastar naquela viagem. Dai, só pode gastar aquilo, não tem como gastar além do orçamento. O certo é planejar e executar o quanto for planejado. E quando acabar o dinheiro, não recorrer ao cartão de crédito, tem que se limitar àquilo que você se programou.”

 

Agora falando sério, gente. Quando o caso vira patológico, doença, vício, aí o negócio é partir para um tratamento especializado. Não tem como fugir disso não.

 

Sonora: “E, em alguns casos, esse impulso de comprar chega ao nível patológico. Necessário sim procurar tratamento. Pra quem ver que está chegando nesse caminho, tem que se policiar para não fazer essas compras sem controle. Algumas dicas são sair de casa com o dinheiro contado, se eu vou ao supermercado e quero gastar R$ 110, eu saio só com esse dinheiro. Deixar o cartão de crédito em casa, escondido. Entregar para algum amigo ou parente o cartão e só usar quando for necessário pode ser uma boa ajuda. Porque o crédito fácil é um impulsionador do consumo por impulso. Porque justamente o crédito fácil pode parecer aquela tal oportunidade que te convence a comprar por impulso.”

 

Então, tá.
Bom Carnaval
Inté e axé.

 

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa "Em Conta", da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.