Trocando em Miúdo: Saiba o quanto se paga de imposto na caipirinha e na máscara de carnaval

03:57 Economia, Programetes 13/02/2018 - 02h00 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, pessoa cidadã.

 

Neste carnaval, não beba. Se beber, por exemplo, uma caipirinha, 76,66% do que pagar será de imposto, a ser recolhido ao governo, municipal, estadual ou federal.

 

São tributos embutidos em produtos consumidos durante o carnaval e, por serem considerados itens supérfluos, de lazer, acabam ficando mais caros. Palavra do IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação. O mesmo que faz o famoso painel do Impostômetro. Vamos nessa?

 

Pois então. Na hora de comprar, por exemplo, uma simples máscara, neste carnaval, a pessoa está pagando vários impostos, entre eles o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Ainda em cima da máscara, que é de plástico, portanto um derivado do petróleo, até ficar pronta, passou por uma série de produtos em que o fabricante da máscara acabou pagando outros impostos que, naturalmente, repassa no custo final.

 

Voltando aos números que a pessoa cidadã nem sempre tem ideia porque está se divertindo no carnaval, pode ser até num simples bloco de rua. Numa lata de refrigerante, inocente, 44,55% do preço final é de impostos. Na garrafinha de água mineral, se não tivesse imposto, seria 37,88% mais barato.

 

Continuando a festa popular. No apito, a pessoa paga 34,48% de taxas. Na serpentina, 43,83% de tributos. E por aí segue o cordão no bloco carnavalesco.

 

Em cima do estudo feito pelo IBPT, vamos supor que a pessoa não está nem aí para o carnaval e aproveita o feriadão para descansar num ligar afastado. Na passagem de avião, vai pagar 22,32% a mais e, na hospedagem no hotel, outros 29,56% só de impostos. Se for num pacote completo para ver de perto o desfile da escola de samba no Rio, outros 36,28%.

 

De qualquer forma, é carnaval, tanto riso, quanta alegria, só tem que tomar cuidado para não chegar nesta Quarta-Feira de Cinzas mais endividado do que estava antes de entrar na folia. Vai parcelar o cartão de crédito? Imagina o tanto de juros que vai ter que pagar.

 

Certo? Então, tá. Inté e Axé.

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa "Em Conta", da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.