Greve só termina quando governo zerar impostos sobre o diesel, diz Abcam

01:35 Economia, Notícias 24/05/2018 - 15h46 Brasília Embed

Lucas Pordeus León

Para a Associação Brasileira dos Caminhoneiros, a medida da Petrobras de reduzir em 10% o preço do diesel e congelá-lo por 15 dias é um paliativo que não resolve a situação da categoria.

 

A entidade diz representar cerca de 700 mil trabalhadores em um universo estimado de 1 milhão de caminhoneiros no país. 

 

O presidente da associação, José Fonseca, diz que a greve deve continuar até que o governo publique no Diário Oficial da União a lei zerando os impostos federais sobre o diesel.

 

A liderança dos caminhoneiros argumenta que a categoria demoraria cerca de 12 dias para normalizar o serviço. Com isso, o preço ja estaria próximo do valor antes do congelamento proposto pela Petrobras. 

 

O governo já anunciou que vai zerar a Cide, um dos tributos federais, e a Câmara aprovou projeto que zera o PIS e Cofins até o final do ano. 

 

A medida ainda precisa ser aprovada no Senado. Mas o presidente da Casa, Eunício Oliveira, viajou para o Ceará, seu estado de origem, o que pegou a liderança dos caminhoneiros de supresa.

 

Ele esperava que o Senado votasse nesta quinta-feira o fim do Pis e Confis sobre os combustíveis para o governo publicar a lei na sexta-feira, pondo fim ao movimento. Mas, sem a publicação, o presidedente da associação dos caminhoneiros diz que a greve deve continuar.

 

A categoria ainda negocia mudanças na política de preços da Petrobras para dar maior previsibilidade aos caminhoneiros autônomos. A ideia é que o reajuste ocorra a cada 30 a 60 dias.

 

Desde julho do ano passado, a Petrobras reajusta os preços de acordo com a variação do petróleo, derivados e do dólar no mercado internacional. Isso tem gerado aumentos sucessivos nas bombas dos postos de combustíveis.

 

A categoria também quer apresentar um projeto no Congresso para zerar definitivamente o Pis e Cofins dos caminhoneiros autônomos e sindicalizados, já que a medida aprovada na Câmara prevê que os tributos não sejam cobrados só até o final deste ano.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique