Ampliação do saque do PIS/Pasep deve injetar mais de R$ 30 bilhões na economia

02:21 Economia, Notícias 14/06/2018 - 12h03 Brasília Embed

Graziele Bezerra

A liberação do PIS/Pasep para cotistas que trabalharam entre 1971 e 1988 deve fazer a economia girar. A expectativa do governo, segundo o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, é injetar R$ 34 bilhões no mercado.

 

Poderão ter acesso ao dinheiro 25 milhões de cotistas. Desse total, 16 milhões são correntistas do Banco do Brasil ou da Caixa e poderão retirar o recurso a partir de 8 de agosto. 

 

Até 1988, as pessoas que trabalhavam com carteira assinada tinham contas individuais do PIS/PASEP. A partir de 88, o recurso passou a ser depositado no Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). 

 

Antes dessa mudança, os saques só eram permitidos nos casos de aposentadoria, idade mínima de 70 anos, invalidez, morte do cotista e algumas doenças específicas. A partir do ano passado, as regras foram flexibilizadas e a idade mínima para o saque foi reduzida para 60 anos.

 

Em caso de morte do beneficiário, o herdeiro passa a ter direito ao saque. Para isso, deve apresentar alguns comprovantes, como declaração de habilitação de pensão por morte e atestado de sucessão legal.