Famílias de baixa renda sentem menos impacto de deflação em novembro, segundo IPEA

01:45 Economia, Notícias 11/12/2018 - 13h27 Brasília Embed

Sayonara Moreno

O controle da inflação foi mais sentido entre as famílias de renda mais alta, enquanto as de classes mais baixas sentiram deflação menor, em novembro.

 

O IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, divulgou, nesta terça-feira (11), o Indicador de Inflação por Faixa de Renda, referente ao mês de novembro.

 

Todos os segmentos analisados pelo instituto sofreram deflação.

 

Entre as famílias com menos renda, a deflação foi de 0,17%. Já entre os de renda mais alta, a deflação foi de 0,23%. No caso de alimentos e bebidas, a alta de 0,39% nos preços causou mais impacto na inflação para quem tem menos renda, porque esses itens pesam na cesta de consumo de quem é pobre.

 

Para essas mesmas pessoas, o aumento no gás de botijão e no preço do aluguel também contribuíram para que os de menor renda sentissem menos os efeitos da deflação, mesmo com a queda no preço da energia elétrica e dos produtos de higiene pessoal.

 

Já entre as famílias com maior poder aquisitivo, a queda no preço da gasolina, de 3,1%, foi importante para que os de maior renda sentissem mais os efeitos do controle da inflação.

 

Essas pessoas sofreram menos com o com os efeitos dos preços, mesmo com a alta de 2,1%, no preço do gás encanado, e de 2,9% nos planos de saúde.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique