Prefeito de Abadiânia não descarta estado de calamidade econômica e 2 mil demissões

01:27 Economia, Notícias 21/01/2019 - 13h27 Brasília Embed

Nádia Faggiani

O prefeito de Abadiânia, em Goiás, José Diniz (PSD), vai se reunir nesta terça-feira  (22) com o secretariado para discutir a crise econômica no município. Ele não descarta a possibilidade de decretar estado de calamidade econômica nos próximos dias.

 

Com mais de 60 hotéis e pousadas, cerca de 5 mil pessoas viajavam até Abadiânia em busca da cura para seus males.

 

Depois das denúncias de abuso sexual envolvendo o médium João de Deus, o movimento na cidade caiu drasticamente, o que provocou uma queda na arrecadação de taxas e tributos, que pode chegar a R$ 150 mil.

 

De acordo com o prefeito de Abadiânia, José Diniz, 2 mil pessoas devem ser demitidas.

 

Distante 113 km de Brasília, Abadiânia, que conta hoje com 19,6 mil habitantes, tem sua economia voltada para o comércio, sobretudo para atender pessoas vindas de todo o país e também do exterior, para serem atendidas por João de Deus, na Casa Dom Inácio de Loyola.

 

*Produção: Renato Lima

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique