Conheça os projetos de alfabetização de jovens e adultos no DF

04:50 Educação, Especiais 25/02/2015 - 15h43 Brasília Embed

Jéssica Gonçalves

Raimunda Oliveira nasceu em uma família pobre no interior do Maranhão. Começou a trabalhar ainda criança, e precisou trocar os livros e cadernos pela enxada. Junto com oito irmãos, ajudava o pai a capinar, colher arroz e quebrar coco. Depois de alguns anos ela veio morar em Brasília para tentar uma vida melhor. Aqui, ela se casou e teve dois filhos. Hoje, com 34 anos de idade, Raimunda, que trabalha como doméstica, decidiu aprender a ler e escrever.

 

SONORA RAIMUNDA

 

Assim como Raimunda, milhares de outros moradores do Distrito Federal decidiram estudar mesmo depois de terem ultrapassado a idade escolar. São os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que possuem mais de 15 anos de idade e ingressaram no ensino fundamental, ou aqueles que têm mais de 18 anos e entraram no ensino médio. Segundo a Secretaria de Educação do DF, em 2015 serão cerca de 55 mil estudantes nessa modalidade.

 

Olga Setúbal deu aula para adultos em uma escola de Santa Maria, e disse que o método de alfabetização utilizado é diferente daquele para crianças.

 

SONORA

 

O programa é destinado a jovens e adultos que não tiveram acesso ou não concluíram os estudos. A maioria deles trabalha durante o dia; por isso, as aulas geralmente são à noite. Além do cansaço, eles precisam superar barreiras como a distância entre a casa e a escola e o medo da violência. E foi justamente por causa do grande número de assaltos que os 500 alunos da EJA do Centro Educacional São Francisco, em São Sebastião, foram transferidos para outro colégio. A diretora, Leísa Sasso, fala sobre a insegurança dos alunos.

 

SONORA

 

A Secretaria de Educação do DF reconhece que a violência é um grande motivo para a evasão escolar. Segundo a diretora do São Francisco, as turmas começavam com 60 alunos e terminavam com menos de dez. De acordo com o coordenador de Educação de Jovens e Adultos, Claudio Amorim, este ano o DF vai aderir ao Pacto pela Segurança, uma parceria com a Secretaria de Segurança Pública e o Governo Federal.

 

SONORA

 

A pessoa que tem interesse em se inscrever na Educação de Jovens e Adultos deve ligar para o 156. O estudante pode escolher duas escolas para concorrer a uma vaga. Ele precisa informar o nome completo, endereço e CEP. Depois, é só conferir se foi selecionado no site da Secretaria de Educação e ir à escola fazer a matrícula.

 

É possível ainda estudar à distância. O conteúdo é ministrado pela internet, em um ambiente virtual desenvolvido pelo Ministério da Educação. A matrícula é feita pessoalmente na secretaria do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Cesas), que fica na quadra 602 da Asa Sul.

 

A Universidade Católica de Brasília também possui um projeto social de alfabetização de Jovens e Adultos, o Alfabetização Cidadã. Lá, muitos trabalham de forma voluntária para atender alunos com mais de 18 anos que vivem em situação de vulnerabilidade social e ganham uma renda mensal de até R$ 400. A estudante Márcia Garcia, se voluntariou pelo programa, e fala sobre os benefícios para a formação profissional.

 

SONORA

 

O projeto atende na própria universidade e em locais como Areal, Samambaia Sul e Norte, Riacho Fundo 2, Varjão, Recanto das Emas e Brazlândia. Para se inscrever basta ir ao Campus 1 da Católica, que fica no Pistão Sul, em Taguatinga.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique