Sem salários, professores da Uerj entram em greve por tempo indeterminado

01:32 Educação, Notícias 02/08/2017 - 14h38 Brasília Embed

Ícaro Matos

Os professores da Uerj, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, entraram em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada nesta terça-feira, em assembleia da categoria, onde também foi definido que as atividades só serão retomadas quando o governo do Rio regularizar o pagamento dos salários.

 

Os professores e funcionários da Uerj estão entre os mais de 200 mil servidores estaduais com vencimentos atrasados. Até o momento, este grupo está sem receber o salário de maio e junho deste ano, além do décimo terceiro de 2016.

 

A greve é apenas mais um triste capítulo da crise que a Uerj vive há quase dois anos. Na segunda-feira, a reitoria da universidade decidiu adiar por tempo indeterminado o início do ano letivo de 2017, que começaria no dia primeiro de agosto.

 

Os motivos do adiamento foram o atraso no pagamento de salários e bolsas, inclusive para alunos cotistas, e as condições precárias da universidade, devido ao atraso no pagamento das empresas terceirizadas responsáveis por serviços de manutenção da infraestrutura e equipamentos, limpeza, segurança e operação do restaurante universitário.

 

A reitoria da Uerj afirmou ainda que a universidade atingiu um patamar insuportável que impede o bom desempenho das suas funções, e que só voltará a se manifestar sobre o início das aulas quando surgirem fatos novos que possam modificar o quadro atual.