Estados e o Distrito Federal não alcançam meta do Ideb no ensino médio

03:47 Educação, Notícias 03/09/2018 - 19h17 Brasília Embed

Sayonara Moreno

Com meta de 4,7, o Brasil conseguiu subir apenas até 3,8 o índice da qualidade do ensino médio e, com isso, continua sem alcançar a meta. O número foi apontado pelo Ideb, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, divulgado nesta segunda-feira, pelo Ministério da Educação e se refere ao ano de 2017.

 

Entre os estados, cinco pioraram os índices, no ensino médio: Amazonas, Roraima, Amapá, Bahia e Rio de Janeiro. O melhor índice por estado está no Espírito Santo, mas, mesmo assim, teve média de 4,4 pontos, sendo que a expectativa para 2017 era de alcançar os 5,1.

 

O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou a situação da Região Norte do país, onde os estados apresentaram os piores índices, a exemplo do Amapá: por lá, nenhum município alcançou a meta do IDEB.

 

Numa escala que vai de zero a dez, o Brasil havia estagnado em 3,7 pontos no ensino médio, desde 2011. Só aumentou em 2017 para 3,8. Nessa etapa, nenhum estado do país e nem o Distrito Federal conseguiu alcançar a meta.

 

As taxas levam em conta os índices do Saeb, Sistema de Avaliação do Ensino Básico, divulgados na semana passada, junto com o rendimento escolar, que envolve a taxa de reprovação e abandono.

 

O pior índice de insucesso está também no ensino médio, onde mais de 23% dos estudantes do primeiro ano reprovam ou abandonam a escola. O ministro da Educação ressaltou que para amenizar esses índices é preciso garantir o aprendizado, nos anos iniciais de ensino.

 

Nos anos finais do ensino fundamental, do sexto ao nono ano, a meta era de cinco pontos, e esta etapa chegou aos 4,7. Também nesta fase a meta não vem sendo alcançada desde 2013. Das 27 unidades da federação, 23 aumentaram o índice, mas somente sete alcançaram a meta: Rondônia, Amazonas, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso e Goiás.

 

A meta nacional na qualidade da educação nas escolas só foi alcançada nos anos iniciais do ensino fundamental, do primeiro ao quinto ano. Esta fase do ensino superou a meta de cinco e meio, e alcançou 5,8 pontos.

 

Mesmo com os avanços, os estados do Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul não alcançaram a meta. O Espírito Santo teve o melhor desempenho do país, do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental.

 

O Ideb é o principal indicador de qualidade da educação brasileira. Criado em 2007, o método propõe metas a serem alcançadas a cada dois anos. Até 2021, a meta para o Brasil é seis pontos.

 

Para o Ministério da Educação, os problemas da educação básica devem ser amenizados para que o Brasil alcance níveis na educação, compatíveis com seu potencial de desenvolvimento.