Polícia atribui crime de intolerância religiosa a violação de imagens sacras de catedral no Rio

01:49 Geral, Notícias 21/01/2017 - 08h16 Rio de Janeiro Embed

Fabiana Sampaio

A Delegacia de Polícia do centro de Niterói, na região metropolitana do Rio, encaminhou à Justiça investigação sobre a destruição de imagens de santos da Catedral de São João Batista.

 

O procedimento policial aponta a violação ao artigo 208, do Código Penal, que corresponde ao crime de intolerância religiosa. No sábado, um homem quebrou as imagens de Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Cabeças.

 

Lorrama Machado, coordenadora do Centro de Promoção da Liberdade Religiosa (o Ceplir), ligado à Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, alerta para o crescimento dos casos de intolerância no estado.

 

Sonora: “Os crimes de intolerância no estado infelizmente têm crescido, e a gente vê que é sempre isso. O agressor não tem nada que o iniba ou que o pare. Ele fazer vai fazer de novo. É um crime de ódio. Tanto que o agressor, diversas vezes a gente vê nas imagens internas da igreja, ele fala que odeia a religião.”


O Centro de Promoção da Liberdade Religiosa solicitou à prefeitura de Niterói a intensificação das rondas da Guarda Patrimonial na região para evitar novas ocorrências. O centro faz o atendimento das vítimas e acompanha o andamento dos casos de intolerância religiosa junto à polícia, Defensoria Pública e Ministério Público. Denúncias podem ser feitas pelos telefones (21) 2334-9550 e 2334-9457.