Trocando em Miúdo: Participação política, um caminho real de combate à violência contra a mulher

04:29 Geral, Programetes 09/03/2017 - 02h00 Brasília Embed

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte e cidadã.

 

São diversos os tipos de violência a que uma mulher é submetida. Esta é a nossa prosa em mais um especial por esta Semana da Mulher. Já falamos do teto de vidro, do relacionamento dentro do lar, da história do Dia Internacional da Mulher e, agora, tocamos num ponto negativo que, infelizmente, ainda continua acontecendo aqui no nosso Brasil: a violência contra a mulher na forma de agressão física.

 

Então, a gente conversa hoje com a coordenadora institucional da Proteste - Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, que está com a palavra.

 

Pois vamos em frente. Violência contra a mulher. O que pode ser feito, Maria Inês Dolci, coordenadora da Proteste, para mudar esta situação de violência contra a mulher?

 

Mas são tantos os tipos de violência contra a mulher e vão desde os salários menores, as cobranças maiores, a falta de respeito, a agressão, e o que mais?

 

Dentro do lar. É onde costuma acontecer muita violência contra a mulher. Infelizmente. Violência física. Então, Maria Inês Dolci, qual o trabalho que deve ser feito dentro do lar, com o marido e os filhos para que a violência contra a mulher não continue existindo?


Tem um caminho que vale a pena lembrar nesta prosa de hoje que é justamente a ainda pequena participação da mulher na política, mesmo com a reserva de 30% de candidatas em todos os partidos. Nem o Partido das Mulheres obedece.

 

Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste. A política é um caminho para a defesa da mulher?

 

Esta foi Maria inês Dolci, da Proteste, no quarto programa do Semana Especial da Mulher. Acompanhe amanhã (10) o último programa da série.


Então, tá. Inté e axé.

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa Em Conta, da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.