MPF quer reverter prisão domiciliar da ex-primeira dama do Rio

02:17 Geral, Notícias 25/04/2017 - 20h25 Rio de Janeiro Embed

Nanna Pôssa

O Tribunal Regional Federal da Segunda Região vai julgar nesta quarta-feira se Adriana Ancelmo deve continuar em prisão domiciliar.

 

O Ministério Público Federal pede que a mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral volte a cumprir prisão preventiva no complexo penitenciário em Bangu, na zona oeste do Rio.

 

Ela foi liberada para aguardar o julgamento em casa pela 7ª Vara Federal Criminal, por ter filhos menores de 12 anos de idade. O recurso elaborado pelo Ministério Público afirma que as causas que deram origem à sua prisão permanecem e ainda se tornaram mais robustas.

 

O advogado de defesa de Adriana Ancelmo, Alexandre Lopes no entanto diz que a prisão domiciliar é um direito de sua cliente.

 

Segundo a nota enviada pelo Ministério Público, a prisão preventiva é essencial para encerrar a prática de lavagem de dinheiro, crime usualmente cometido com o uso de telefone e acesso à internet.

 

Apesar de a justiça ter proibido que Adriana Ancelmo tenha acesso a meios eletrônicos, a acusação diz que a difícil fiscalização torna evidente o risco de ela movimentar patrimônio oculto.

 

A ex-primeira dama do estado responde por corrupção e lavagem de dinheiro na organização criminosa supostamente chefiada por Sérgio Cabral. O advogado de defesa, Alexandre Lopes, diz que ela nega as acusações.

 

Presa no início de dezembro do ano passado, Adriana Ancelmo foi levada para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste da  cidade.

 

No dia 17 de março, a sétima Vara Federal Criminal determinou a prisão domiciliar dela, mas a medida foi suspensa pela segunda instância e a substituição da prisão preventiva somente foi autorizada após decisão do Superior Tribunal de Justiça no dia 24 de março.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique