Crivella diz que decisão do corte da verba das escolas de samba está mantida

01:52 Geral, Notícias 19/06/2017 - 15h35 Rio de Janeiro Embed

Lígia Souto

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, disse nesta segunda-feira (19) que não vai voltar atrás na decisão de corte de verbas às escolas de samba para o carnaval do ano que vem, mesmo diante da polêmica que o anúncio gerou e da ameaça das agremiações de não desfilarem na Marquês de Sapucaí.

 

O prefeito se disse disposto a conversar, mas afirmou que, em momentos de crise como o de agora, é preciso priorizar, reforçando que “nada é mais importante do que as crianças nas escolas”.

 

As afirmações foram feitas durante a inauguração de um mural de 2,5 mil metros quadrados pintado pela grafiteira Luna Buschinelli, de 19 anos, na Escola Municipal Rivadavia Corrêa, no centro.


O prefeito informou, ainda, que é preciso reavaliar e corrigir os custos do ano passado, quando houve um aumento do subsídio em um momento de euforia. A intenção é reduzir à metade o patrocínio das 13 escolas de samba do grupo especial, repassando R$ 1 milhão para cada uma no carnaval de 2018.


Sonora: “Não posso volta atrás. Sou premido pelas circunstâncias. O que estamos fazendo é voltar ao orçamento do carnaval a todos os anos anteriores ao ano passado. Ano passado houve um momento de euforia. E olha o que deu, olha as dívidas que a cidade do Rio de Janeiro se debate.”

 

A Riotur informou que a administração não vai deixar de apoiar os desfiles e que estuda a captação de investimentos da iniciativa privada e o lançamento de um caderno de encargos, a exemplo do que ocorre nos desfiles de blocos de rua.


No último sábado (17), inconformados com o corte de verbas, integrantes das agremiações fizeram um protesto em frente à sede da prefeitura carioca e, depois, caminharam até o Sambódromo.