Cerca de 200 indígenas ocupam o canteiro de obras da Usina Hidrelétrica São Manoel

02:16 Geral, Notícias 17/07/2017 - 16h38 Brasília Embed

Renata Martins

Caciques, pajés, lideranças, guerreiros, mulheres e crianças chegaram ao local na madrugada desse domingo. As informações são do Conselho Indigenista Missionário – Cimi.

 

A Usina Hidrelétrica São Manoel está sendo construída no Rio Teles Pires, na divisa dos estados de Mato Grosso e Pará.

 

Os manifestantes afirmam que representam mais de 130 aldeais do povo munduruku e dizem que só saem do local quando tiveram as reivindicações atendidas.

 

Na lista de 12 exigências estão a realização de consulta prévia sobre obras que afetem seu território, a demarcação da Terra Indígena Sawre Muybu e a  criação do Fundo Munduruku para construção da Universidade Indígena e preservação da cultura e história do povo.

 

Os munduruku denunciam que um cemitério sagrado indígena foi violado durante as obras e os corpos retirados do local. 

 

O movimento quer que as empresas responsáveis pela construção das hidrelétricas São Manoel e Teles Pires devolvam as urnas funerárias.