Ministério Público cobra solução para continuidade de obras do VLT de Cuiabá

01:30 Geral, Notícias 20/07/2017 - 21h20 Brasília Embed

Renata Martins

O governo de Mato Grosso e o Consócio VLT Cuiabá-Várzea Grande têm até a próxima quinta-feira (27) para apresentar uma nova minuta de acordo que contemple as condições e modificações exigidas pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual.

 

O governo já informou que vai apresentar uma segunda versão do acordo, antes do fim do prazo. O objetivo é retomar e concluir as obras.

 

A decisão foi do juiz Ciro Arapiraca, da 1ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso após os MPs informarem que governo e o consócio não resolveram as irregularidades comprovadas na ação judicial para retomada das obras.

 

Entre os problemas apontados está a divergência do prazo fixado pelo estado para conclusão das obras, que seria de 24 meses. Segundo auditoria contratada pelo próprio Estado, 19 meses seriam suficientes, já que restam apenas 30% das obras para serem concluídos.

 

Outro problema apontado foi o valor do contrato. Mais de R$ 1 bilhão já foram investidos no projeto. Governo e consórcio querem mais R$ 900 milhões para a conclusão da obra. Mas para os procuradores e promotores do caso, seria necessário bem menos, R$ 300 milhões.

 

O VLT entre Cuiabá e Várzea Grande tem 22 quilômetros de extensão e deveria ter sido entregue na Copa do Mundo de 2014.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique