Rádio Nacional da Amazônia completa 40 anos nesta sexta-feira

03:11 Geral, Especiais 01/09/2017 - 05h02 Brasília Embed

Maíra Heinen

Uma ferramenta de segurança nacional.

 

Esse foi o caráter inicial atribuído à Rádio Nacional da Amazônia, no contexto de regime militar no Brasil. Num período de população nas ruas pedindo a retomada da democracia e liberdade para presos políticos, em 1º de setembro de 1977, a Rádio Nacional da Amazônia foi inaugurada, transmitindo em ondas curtas para mais da metade do país.

 


A partir daí, a rádio começou a levar informação a moradores de áreas rurais, ribeirinhas e fronteiriças, onde outros veículos de comunicação, ainda hoje, têm dificuldade de acesso. A relação com o ouvinte, segundo a coordenadora da rádio Artemisa Azevedo, moldou o trabalho da equipe e abriu um horizonte antes desconhecido.

 

Sonora: Quando nós iniciamos, nós começamos a fazer uma pesquisa e fomos descobrir quem era o povo da Amazônia e o que eles queriam. Então a princípio, nós perguntávamos: 'o que a gente faz pra vocês? O que vocês esperam da gente?' E aí eles começaram a mandar cartinhas: 'Ah, eu quero isso, eu quero isso..' E a gente foi moldando a nossa programação em cima do que eles pediam pra gente, né. Eles nos ensinaram a princípio, como fazer o nosso trabalho.

 

A rádio começou a integrar a região com outros estados por meio de informação e também por mensagens e recados. No ar com o programa que promove a integração entre ouvintes há 32 anos, a apresentadora Carmem Crisula, mais conhecida como Sula Sevilis, ressalta a função da rádio como um verdadeiro “Ponto de Encontro”.

 

Sonora : Nós criamos o Ponto de Encontro porque havia muitas cartas que nós recebíamos de ouvintes que queriam encontrar seus parentes, desaparecidos. Porque a amazônia na verdade estava se abrindo como região, muitas pessoas do Brasil iam tentar sua sorte, plantar e também garimpar né, e aí os parentes que ficavam nos outros estados queriam saber notícias.

 

O conteúdo da Nacional sempre atingiu os mais diversos públicos. As crianças, por exemplo, tinham o Encontro com Tia Leninha que estreou em 1979, apresentado pela querida Helena Bortone, e que marcou a infância de muita gente.

 

Em 2004, a rádio inovou com a criação do primeiro radiojornal com uma pauta voltada exclusivamente para a região: o Jornal da Amazônia.

 

O programa Falando Francamente ganhou diversos prêmios com quadro que falava de forma didática sobre a previdência.

 

Atualmente, ao completar 40 anos, a Rádio Nacional da Amazônia vem transmitindo em baixa potência.

 

Ela parou de transmitir em ondas curtas por causa de um incêndio na subestação de energia, em março deste ano.

 

Assim, a internet é hoje uma grande aliada e além da transmissão via satélite, a Nacional pode ser ouvida pelo site radios.ebc.com.br e pelo aplicativo Rádios EBC.