Calor e baixa umidade serão rotina de brasiliense nesta semana

02:48 Geral, Notícias 16/10/2017 - 12h25 Brasília Embed

Sayonara Moreno

Depois de os termômetros do Distrito Federal marcarem a temperatura mais alta já registrada, acima dos 37 graus Celsius (ºC), os brasilienses ainda devem enfrentar, pelo menos por mais uma semana, muito calor e baixa umidade do ar. O cenário preocupa e obriga a população a racionar água, enquanto enfrenta o calor.


Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), tanto as máximas quanto as mínimas devem permanecer altas e a umidade relativa do ar pode variar entre 15% e 11%, nesta semana.


O meteorologista do INMET, Manoel Rangel, explica que as chuvas devem começar entre os dias 22 e 23, devido a uma frente fria que vai se alinhar com áreas de instabilidade na região amazônica, o que pode provocar chuvas fortes durante todos os dias da semana que vem.


O Presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice, explicou que nos últimos dias os reservatórios que abastecem a capital federal registraram recorde negativo, devido a evaporação e aumento do consumo de água, por causa das altas temperaturas.


O reservatório de Santo Antonio Descoberto já se aproxima dos 12% de volume útil e quando chegar aos 9%, o presidente da Caesb não descarta um plano B, para aumentar o racionamento.


Luduvice explica que parte das regiões abastecidas pelo reservatório do Descoberto já recebe água retirada do Lago Paranoá. Esse volume de captação vai aumentar de 300 para 400 litros por segundo.

 

Moradores de Sobradinho e Planaltina reclamam da falta de água, em dias consecutivos. Maurício Luduvice explica que a situação dessas regiões é mesmo complicada, porque o córrego Pipiripau está sem água. Dele são captados uma média de 400 litros por segundo. Mas, atualmente, a captação não chega aos 200 litros por segundo porque está praticamente seco.

 

* Matéria atualizada em às 08h26 de 17/10/17 para correção de informação