Estudo mostra que 63% das gestantes em PE que tiveram zika em 2015 são pobres

04:46 Geral, Especiais 21/11/2017 - 11h18 Brasília Embed

Mariana Martins

O surto de microcefalia que o Brasil enfrentou em 2015 mobilizou todo o Estado. Mas foram as mulheres, mães dessas crianças, que enfrentaram, desde então, os maiores desafios.


Dados do governo de Pernambuco revelam o perfil socioeconômico da famílias acometidas pela Síndrome Congênita do vírus Zika e chamam a atenção para a condição financeira da esmagadora maioria dos afetados.


O estado foi o mais afetado pelo surto, com aproximadamente 440 casos de zika confirmados desde  2015 e mais de 300 crianças ainda em observação.


As regiões mais pobres e com piores condições de saneamento básico concentraram o maior número de ocorrências. Dos casos confirmados, 63% das gestantes estão entre a pobreza e a pobreza extrema e 42% recebem o Bolsa Família.

 

Confira os detalhes na matéria de Mariana Martins.