Mineradora é processada por desmoronar porto no Amapá; MPF quer R$ 100 mi de indenização

01:08 Geral, Notícias 22/11/2017 - 11h07 Brasília Embed

Juliana Russomano

O Ministério Público Federal no Amapá está processando a mineradora responsável pelo desmoronamento do porto de embarque e desembarque de minério em Santana, a 17 quilômetros da capital, Macapá.

 

Na ação, o MPF pede 100 milhões de reais para indenização por danos coletivos, reparação ambiental e indenização vitalícia aos dependentes das vítimas.

 

De acordo com o Ministério Público, a empresa Zamin, à época chamada Anglo Ferrous Amapá Mineração é responsável, por ignorar normas de segurança e engenharia, o que resultou no acidente que deixou SEIS mortos e comprometeu a qualidade do meio ambiente e a socioeconomia do Estado.

 

Para o MPF, a Zamin assumiu o risco do acidente quando não realizou estudos sobre a capacidade de suporte do solo do terminal portuário construído na década de 50. Na madrugada de 28 de março de 2013, quando ocorreu o desmoronamento, havia, aproximadamente, 20 mil toneladas de minério de ferro estocadas na área.

 

Nós não conseguimos contato com a empresa Zamin para comentar a ação.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique