Eleições 2018: horário de verão é adiado em duas semanas

02:02 Geral, Notícias 16/12/2017 - 13h40 Brasília Embed

Kariane Costa

Em decreto publicado nesta sexta-feira (15), o presidente Michel Temer alterou a data do início do horário diferenciado.

 

O horário de verão, que deveria começar no terceiro domingo de outubro, passa para o primeiro domingo de novembro.

 

A data do fim do horário não foi modificada e continua valendo o terceiro domingo de fevereiro.

 

As capitais que aderem ao horário de verão adiantam em 1 hora os relógios em relação ao horário oficial de Brasília.

 

A mudança acontece após um pedido do ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, que alegou ao presidente Michel Temer que o horário de verão durante as eleições atrapalha a apuração de votos, dada a maior diferença de fuso horário entre as cidades com e sem horário de verão.

 

O horário de verão já foi alvo de polêmica este ano. O cancelamento da medida chegou a ser discutido após estudos recentes comprovarem que o brasileiro vem mudando os hábitos de consumo de energia, e é o clima que vem determinando o consumo.

 

Assim, os picos de consumo estão ocorrendo entre duas e três da tarde, no meio da tarde, e não mais entre as cinco da tarde e às oito da noite.

 

Esse era o principal argumento para se manter o horário de verão.

 

O Operador Nacional do Sistema apontou que, durante o horário de verão praticado de 2016 a 2017, a economia foi de R$159 milhões, valor abaixo período de 2015 a 2016, que foi de R$ 162 milhões.

 

Na época, o governo havia informado que, para 2018, iria fazer uma pesquisa para decidir se manteria ou não o horário diferenciado nos próximos anos.