Governo do Rio pretende quitar pendências salariais na próxima segunda

02:24 Geral, Notícias 12/01/2018 - 12h33 Brasília Embed

Ícaro Matos

O governo do Rio de Janeiro promete pagar na próxima segunda-feira (15) o salário integral de dezembro, do funcionalismo estadual.


De acordo com informações da Secretaria de Estado de Fazenda, os 460 mil servidores ativos, inativos e pensionistas, vão receber o pagamento em dia, no décimo dia útil do mês subsequente ao trabalhado, conforme o calendário oficial.


Esta é a primeira vez que isso ocorre desde maio de 2016, quando todo o funcionalismo recebeu o salário integral de abril, daquele ano, no mesmo dia e sem atraso.


Para quitar a folha salarial de dezembro, o governo estadual desembolsará R$ 1,6 bilhão, sendo R$ 700 milhões provenientes da arrecadação tributária e R$ 900 milhões da segunda e última parcela do empréstimo feito junto ao banco BNP Parribás, que tem como garantia 50% das ações da Cedae, a Companhia Estadual de Saneamento, que será privatizada.


De acordo com o contrato de empréstimo, o dinheiro só seria liberado no dia 14 de fevereiro, mas o governo do Rio conseguiu antecipar a liberação do valor.


A primeira parte, de R$ 2 bilhões, foi paga no dia 20 de dezembro do ano passado e usada para quitar os salários de outubro último do funcionalismo, além do décimo terceiro de 2016.


Após o pagamento da folha de dezembro em dia, o Governo do Estado ainda precisará pagar o décimo terceiro de 2017 para mais de 300 mil servidores, além das gratificações devidas ao pessoal da área da segurança pública, para regularizar todas as pendências salariais.


Ainda não há uma data definida para a regularização desses valores, mas a expectativa do governo é que o montante seja quitado até o fim de fevereiro, com recursos provenientes da arrecadação tributária, que costuma ser maior nesta época do ano, e dos royalties do petróleo.


Até o momento, só receberam o décimo terceiro do ano passado o pessoal da área da Educação, que foram pagos com recursos federais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), e os servidores de órgãos que conseguiram custear o pagamento com recursos próprios.