Após intervenção, serviços do Sesc e Senac são retomados no Rio de Janeiro

03:24 Geral, Notícias 06/02/2018 - 09h47 Rio de Janeiro Embed

Fabiana Sampaio

Uma auditoria determinada pela Justiça identificou uma série de problemas no sistema Sesc/Senac no estado do Rio de Janeiro, como o abandono das unidades, demissões em larga escala e a desativação de programas e ações que fazem parte das atividades fins. 

 

O balanço foi divulgado nesta segunda-feira (5), pelo administrador temporário, Luiz Gastão Bittencourt, que está há um mês a frente das instituições.

 

O antigo gestor, Orlando Diniz, foi afastado, após a Justiça decretar uma intervenção, devido a acusações do conselho fiscal  das entidades de desvios de finalidade das instituições e de uso indiscriminado de recursos.

 

O novo administrador garantiu que a entidade vai manter os recursos para o programa Segurança Presente, parceria com o Governo do Estado que reforça a segurança em bairros do município do  Rio.

 

Gastão ressaltou que o programa poder ser aperfeiçoado e revisto, mas que no entanto, a atuação da instituição não se resume a isso.

 

De acordo com a nova gestão as unidades já estão em processo de retomada de programas importantes para a população, como as clínicas de odontologia, as ações da saúde da mulher, que contam com unidades moveis para a realização de exames de prevenção ao câncer de mama e de colo do útero.

 

As academias já foram remontadas em três unidades e após o carnaval todas serão reativadas.

 

Ainda de acordo com a administração, novas salas de musculação comunitárias serão entregues em fevereiro nas unidades Madureira, Niterói e Campos, com potencial para atender mais de 3 mil pessoas.

 

A nova administração também confirmou que vai manter o patrocínio do vôlei no estado, no valor de cerca de R$ 20 milhões por ano, mas com contrapartidas em acoes sociais inclusivas como palestras e escolinhas em comunidades.

 

Luiz Gastão Bittencourt é empresário do Ceará e foi indicado pela Confederação Nacional do Comércio, tendo se licenciado da presidência da Fecomércio e dos Conselhos do Sesc e Senac no Ceará para assumir o cargo.

 

Questionado sobre a ocorrência de ações na justiça envolvendo empresas suas em três estados, entre elas uma que trata do serviço de administração prisional em Manaus, no Amazonas, ele afirmou que desconhece as ações e, ainda, que não há nenhuma ação no Ministério Público envolvendo o seu nome.

 

Procurada, a defesa de Orlando Diniz, antigo administrador do sistema e atual presidente da Fecomércio no Rio, não respondeu até o fechamento desta reportagem. 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique